O que é infraestrutura crítica?
Quando a infraestrutura crítica diminui, o resultado pode ser catastrófico. Saiba por que é tão importante que a infraestrutura crítica seja resiliente e como as soluções de software podem ajudar.
Fileiras de caixas cheias de suprimentos essenciais
O que é infraestrutura crítica?

Infraestrutura crítica refere-se aos sistemas, instalações e ativos essenciais para o funcionamento da sociedade e da economia.

Estas infraestruturas são consideradas essenciais porque a sua disrupção teria impacto na segurança pública, na estabilidade econômica ou na saúde pública. A infraestrutura crítica inclui componentes físicos e virtuais interconectados e interdependentes.

A maioria dos países e órgãos governamentais mantém regras sobre como a infraestrutura crítica deve ser gerenciada. Por exemplo, nos EUA, agências governamentais como o Departamento de Segurança Interna (DHS), a Cybersecurity and Infrastructure Security Agency (CISA) e o Departamento de Energia (DOE) definem regulamentações e padrões relacionados à segurança e ao gerenciamento de infraestruturas críticas. A Diretiva de Política Presidencial 21 (PPD-21) avança uma unidade nacional de esforço para fortalecer e manter uma infraestrutura crítica segura, funcional e resiliente.

É essencial que aqueles que gerenciam tais sistemas estejam cientes das últimas regulamentações, melhores práticas e tecnologias para administrar o bem-estar da infraestrutura vital.Os setores de infraestrutura crítica estão ao nosso redor:

  • Setor de energia: reatores nucleares, redes elétricas, instalações de petróleo e gás natural, dutos e armazenamento de combustível.

  • Setor químico: fabricação petroquímica, produção química agrícola e distribuição química.

  • Setor de transporte: aeroportos, portos marítimos, ferrovias, autoestradas, pontes e sistemas de transporte público.

  • Sistemas de água e águas residuais: plantas de tratamento de água, reservatórios, barragens, estações de bombeamento e sistemas de esgoto.

  • Setor de comunicações: redes de telecomunicações, provedores de serviços de internet e sistemas de satélite.

  • Setor de serviços financeiros: bancos, bolsas de valores, sistemas de pagamento e depósitos.

  • Saúde: hospitais, clínicas e cadeias de suprimentos médicos.

  • Serviços de emergência: polícia, bombeiros e sistemas de gerenciamento de emergências.

  • Alimentos e agricultura: fazendas, instalações de processamento de alimentos, redes de distribuição e sistemas de segurança alimentar.

  • Governo: base industrial de defesa, instalações do governo federal e sistemas de segurança nacional.

  • Tecnologia da informação: data centers, software e hardware críticos, sistemas de cibersegurança e infraestrutura de internet.

Essas infraestruturas frequentemente estão interligadas, e interrupções em um setor podem ter efeitos em cascata em outros setores, levando a consequências abrangentes.

Faça um tour pelo IBM Maximo

Explore o IBM Maximo para saber como os dados de IoT, funções analíticas e IA podem ajudar a simplificar suas operações de ativos.

Conteúdo relacionado

Assine a newsletter da IBM

Ameaças comuns à infraestrutura crítica

A infraestrutura crítica enfrenta diversas ameaças que podem interromper suas operações e representar riscos à segurança pública, à proteção e à estabilidade econômica.Ameaças comuns incluem:

Ataques cibernéticos

Os invasores podem ter como alvo sistemas de controle, redes e vulnerabilidades de software para obter acesso não autorizado, interromper operações, roubar informações sensíveis ou causar danos físicos.

Ataques físicos

Sabotagem, terrorismo ou vandalismo podem danificar diretamente as instalações, perturbar as operações e ameaçar vidas. Esses ataques podem ter como alvo instalações comerciais, sistemas de transporte, operações críticas de fabricação ou outros ativos.

Desastres naturais

Furacões, terremotos, inundações, incêndios florestais e eventos climáticos severos podem interromper serviços essenciais.Os sistemas baseados em padrões climáticos históricos podem enfrentar desafios devido ao aumento da frequência e da intensidade de eventos climáticos extremos.

Pandemias e emergências de saúde

Pandemias e surtos de doenças podem causar escassez de mão de obra, interrupções operacionais e aumento da demanda por serviços de saúde que podem sobrecarregar os profissionais de saúde pública e a resiliência geral do sistema.

Vulnerabilidades da cadeia de suprimentos

Vulnerabilidades na cadeia de fornecimento, como produtos falsificados ou comprometidos, podem introduzir fragilidades que podem ser exploradas para perturbar operações ou comprometer a integridade do sistema.

Dependências tecnológicas

Com a crescente interconexão da infraestrutura vital e sua dependência de tecnologias sofisticadas, as dependências de sistemas complexos e software crescem.

Como gerenciar a infraestrutura crítica

O gerenciamento de infraestrutura crítica envolve a implementação de soluções e sistemas de software robustos para monitorar, controlar e proteger os vários componentes da infraestrutura.

 

  • Gerenciamento de ativos: Utilize sistemas de gerenciamento de ativos empresariais (EAM) baseados em software para controlar todos os ativos de infraestrutura crítica, inclusive equipamentos físicos, licenças de software e dispositivos de rede. Isso permite inventário eficiente de ativos, agendamento de manutenção e gerenciamento do ciclo de vida.
  • Sistemas SCADA e de controle: implemente sistemas de Controle Supervisório e Aquisição de Dados (SCADA) ou sistemas de controle semelhantes para monitorar e controlar os processos físicos da infraestrutura crítica. Esses sistemas permitem que os operadores monitorem e gerenciem remotamente a infraestrutura, coletem dados em tempo real e tomem decisões fundamentadas.
  • Monitoramento e segurança de rede: implemente ferramentas de monitoramento de rede e soluções de segurança para monitorar continuamente a infraestrutura de rede. Isso ajuda a detectar e responder a possíveis ameaças cibernéticas, vulnerabilidades ou anomalias que podem comprometer a integridade e a disponibilidade dos sistemas de infraestrutura crítica.
  • Abordagens baseadas em riscos: essas abordagens envolvem a avaliação e priorização de riscos para sistemas de infraestrutura, implementando medidas de gestão de riscos e alocando recursos com base na criticidade dos ativos e no impacto potencial das interrupções.
  • Análise de dados e manutenção preditiva: Utilize ferramentas de análise de software para analisar os dados coletados dos sistemas de infraestrutura crítica. Ao aplicar técnicas de análise de dados, é possível identificar padrões e tendências, possibilitando práticasde manutenção preditiva que ajudam a evitar falhas nos equipamentos e incentivam a redução do tempo de inatividade.
  • Monitoramento e controle remoto: Implemente recursos de monitoramento e controle à distância por meio de soluções de software. Isso permite que os operadores supervisem e gerenciem sistemas de infraestrutura críticas de um local centralizado, agilizando a resposta a incidentes e diminuindo a necessidade de presença física em cada localidade.
  • Resposta a incidentes e recuperação após desastres: desenvolva planos abrangentes de resposta a incidentes e estratégias de recuperação após desastres usando ferramentas de software. Esses planos devem detalhar procedimentos passo a passo a serem seguidos no caso de um ciberataque, catástrofe natural ou outras situações emergenciais. Sistemas de gerenciamento de incidentes baseados em software podem ajudar a simplificar os processos de resposta e recuperação.
  • Requisitos regulatórios e de conformidade: certifique-se de que os sistemas de software usados para gerenciar infraestrutura crítica estejam em conformidade com regulamentações e padrões relevantes. Isso inclui padrões de segurança cibernética, regulamentações de proteção de dados e requisitos de conformidade específicas do setor.
  • Treinamento e educação: Forneça treinamento e formação ao pessoal encarregado da gestão de infraestruturas críticas por meio de software. É crucial assegurar que os operadores e administradores estejam profundamente familiarizados com as ferramentas e sistemas de software empregados, bem como com as melhores práticas e protocolos de cibersegurança.
  • Sistemas de backup e redundância: Implemente sistemas de backup e redundância para garantir a continuidade das operações críticas. Isso inclui servidores redundantes, fontes de alimentação de backup e soluções de backup de dados. Testes regulares de sistemas de backup devem ser realizados para verificar sua eficácia.
  • Colaboração e compartilhamento de informações: estimule a colaboração e o compartilhamento de informações entre as partes interessadas da infraestrutura crítica, incluindo agências governamentais, parceiros do setor e organizações de segurança cibernética. Isso ajuda a compartilhar informações sobre ameaças, melhores práticas e lições aprendidas, contribuindo para a segurança geral e resiliência da infraestrutura crítica.
  • Parcerias público-privadas: As relações entre entidades do setor público e privado favorecem a troca de informações, a destinação de recursos e respostas coordenadas a ameaças e interrupções. Estas tendências sublinham o cenário em transformação da gestão da infraestrutura crítica, ressaltando a necessidade de abordagens inovadoras, avanços tecnológicos, colaboração e uma postura proativa quanto a riscos e resiliência.

 

O gerenciamento de infraestruturas críticas com software requer uma abordagem que englobe monitoramento, controle, segurança, manutenção e conformidade. Ao aproveitar o poder das soluções de software, a infraestrutura crítica pode ser gerenciada de forma eficaz, garantindo sua confiabilidade, segurança e resiliência.

Soluções relacionadas
Gerenciamento de ativos Gestão de ativos de infraestrutura com o IBM Maximo Application Suite

Ofereça gerenciamento preditivo e direcionado de ativos de infraestrutura civil com uma abordagem inteligente para garantir a segurança pública

Saiba mais Faça um tour pelo IBM Maximo

Gerenciamento de ativos Software e soluções de gestão de instalações

Utilize dados, IoT e IA para reinventar e reaproveitar o espaço e atender as necessidades em constante mudança de suas instalações

Saiba mais

Recursos O que é um CMMS?

CMMS – abreviação de computerized maintenance management system, ou sistema computadorizado de gerenciamento de manutenção, é o software que ajuda a gerenciar ativos, programar a manutenção e monitorar as ordens de serviço.

O que é gerenciamento de ativos corporativos (EAM)?

O gerenciamento de ativos corporativos (EAM) combina software, sistemas e serviços para ajudar a manter, controlar e otimizar a qualidade dos ativos operacionais durante seu ciclo de vida.

Construção de inteligência artificial em prédios

Saiba como os dispositivos digitais entregam percepções sobre um prédio, desde sua infraestrutura e seu uso de energia até a experiência geral do ocupante.

MTTR vs. MTBF: qual é a diferença?

Para melhorar a manutenção dos sistemas, precisamos medir sua confiabilidade por meio de métricas, como MTTR e MTBF.

Internet das coisas

Saiba como a Internet das Coisas está possibilitando que as empresas monitorem, gerenciem e automatizem suas operações de forma mais eficiente e com mais controle.

O que é uma análise de causa raiz?

Saiba mais sobre diferentes ferramentas e metodologias para conduzir análises de causa raiz e resolver problemas rapidamente.

O que é gerenciamento de instalações?

O gerenciamento de instalações ajuda a garantir a funcionalidade, o conforto, a segurança e a eficiência de prédios e terrenos, infraestrutura e imóveis.

Dê o próximo passo

Aproveite ao máximo seus ativos corporativos com o Maximo Application Suite. É uma plataforma única e integrada baseada em nuvem que usa IA, IoT e análise para otimizar o desempenho, estender os ciclos de vida dos ativos e reduzir o tempo de inatividade operacional e os custos.

Explore o IBM Maximo