O que é observabilidade e por que é importante?
Ilustração de uma janela do navegador com informações e gráficos na tela
01: O básico

Desafios globais, pressões competitivas, uma economia complicada e expectativas crescentes dos clientes – em meio a tudo isso, as empresas e os sistemas que as alimentam precisam evoluir constantemente para acompanhar. E à medida que esses sistemas crescem, cresce também sua complexidade, com aplicações, redes e dados mais entrelaçados do que nunca. Isso levanta a questão: como você pode saber como tudo está funcionando, em todos os lugares, de uma só vez?

A resposta é a observabilidade empresarial.

Observabilidade empresarial: visibilidade aprofundada em sistemas distribuídos modernos para identificação e resolução de problemas de forma mais rápida e automatizada.

Que três coisas você pode fazer para iniciar sua jornada de observabilidade?

Ver todos os capítulos

Em geral, observabilidade é a medida em que se pode compreender o estado interno ou condição de um sistema complexo baseando-se apenas no conhecimento de suas saídas externas. Quanto mais observável for um sistema, mais rápido e precisamente você poderá identificar a causa raiz de um problema de desempenho, sem a necessidade de testes ou programação adicionais.

Em TI e computação em nuvem, observabilidade refere-se a ferramentas de software e práticas para agregar, correlacionar e analisar um fluxo contínuo de dados de desempenho de uma aplicação distribuída, juntamente com o hardware e a rede em que ela opera. Isso permite monitorar, solucionar problemas e depurar melhor a aplicação e a rede.

Embora a observabilidade geralmente se refira especificamente à observabilidade de sistemas de TI, cargas de trabalho, redes e infraestrutura, a observabilidade de dados é outra forma da tecnologia.

Com observabilidade de dados, o foco muda para a camada de dados. A ideia é avançar a garantia de qualidade dos dados para um estágio inicial, para solucionar e mitigar quaisquer problemas em uma fase precoce, antes que problemas corrompam um conjunto de dados ou causem questões sistêmicas de qualidade de dados. A observabilidade de dados garante a tomada de decisões com confiança e possibilita a automação impulsionada por IA, fornecendo produtos de dados de qualidade para resultados de negócios confiáveis.

A observabilidade é um assunto crítico. Este guia oferece a você uma compreensão fundamental da observabilidade empresarial e sua função estratégica na gestão de nossas operações cada vez mais complexas. Você encontrará uma explicação dos termos, verá como seus esforços se alinham com seus colegas do setor, descobrirá o papel da observabilidade em sua empresa e explorará as soluções de observabilidade da IBM. Embora este guia se concentre principalmente na observabilidade de aplicações, é importante entender que a observabilidade também afeta os dados e as redes e as linhas entre os três estão desaparecendo.

Como a observabilidade é um termo relativamente novo, ele é frequentemente usado junto com o monitoramento e o monitoramento do desempenho de aplicações (APM). Todas as três representam formas de identificar a causa subjacente dos problemas, mas funcionam de forma diferente.

Monitoramento é uma maneira de rastrear e analisar o progresso ou a qualidade de algo, como dados de telemetria, ao longo do tempo.

Ferramentas de APM coletam métricas, rastreamentos e logs, e normalmente focam no monitoramento de infraestrutura, dependências de aplicações, transações comerciais e experiência do usuário.

Observabilidade leva o monitoramento e APM um passo adiante, aplicando contexto entre todos os ativos. Agentes hiperinteligentes realizam um processo de descoberta automática para todos os serviços e infraestrutura de uma aplicação de microsserviços distribuídos. Isso ajuda a entender a relação entre todos os componentes da infraestrutura e o desempenho da aplicação.

Aplicações modernas nativas da nuvem são compostas por contêineres e arquiteturas de microsserviços, estratégias de nuvem múltipla e híbrida, além de pipelines contínuos de implementação e entrega de aplicações CI/CD.

Plataformas de APM foram projetadas para acomodar implementações baseadas em mensagens de arquitetura orientada a serviços (SOA) e centradas em código. No entanto, nativos da nuvem, contêineres e microsserviços revolucionaram essas implementações. Por quê? Porque mudaram o foco do que precisava ser medido e como precisava ser orquestrado. Em outras palavras, eles não tinham visibilidade e capacidade de gerenciamento completas.

Em comparação com as gerações anteriores de arquitetura de aplicações, esses microsserviços e nativos da nuvem causaram três mudanças fundamentais. Eles:

1. reduziram o controle direto sobre a infraestrutura de aplicações;

2. inverteram as aplicações de uma abordagem centrada em código com comunicações de rede moderadas para uma abordagem centrada na rede com serviços consideravelmente menores e conteinerizados; e

3. criaram uma filosofia de escalabilidade, significando que novos serviços e infraestruturas precisam ser rapidamente adicionados para acomodar a alta demanda de acesso às aplicações, e então ser reduzidos quando a demanda diminuir.


Devido às limitações arquitetônicas e de implementação do design original da plataforma APM, muitos fornecedores de APM não conseguem se adaptar a essas aplicações de microsserviços nativas da nuvem. Eles apresentam deficiências em quatro áreas principais: telemetria, rastreamento, automação e escalabilidade. Mas uma plataforma de observabilidade nativa da nuvem é projetada para atender às demandas de uma arquitetura de microsserviços centrada na rede. Ela utiliza arquiteturas avançadas de streaming e armazenamento de telemetria que observam aplicações altamente distribuídas com precisão.

Conforme ilustrado neste diagrama, a observabilidade em sua forma mais básica inclui o monitoramento e acrescenta automação, contexto e dimensionamento.
Próximo capítulo

 

Aprenda sobre as três coisas que você pode fazer para iniciar sua jornada de observabilidade.

Ler o capítulo 2
Cap. 2: Que três coisas você pode fazer para iniciar sua jornada de observabilidade? Cap. 3: Qual é o valor da observabilidade para sua organização? Cap. 4: Como funciona a observabilidade para vários tipos de empresas? Cap. 5: Como você pode defender a observabilidade para toda a sua organização? Cap. 6: O que a IBM oferece para tornar a observabilidade uma realidade para você?