O que é teste de software?
Teste seu software com a IBM Inscreva-se para receber atualizações sobre a nuvem
Ilustração com colagem de pictogramas de monitor de computador, servidor, nuvens, pontos
O que é teste de software?

Testes de software são o processo de avaliar e verificar se um produto ou aplicativo de software faz o que deveria fazer. Os benefícios de bons testes incluem a prevenção de bugs e a melhoria do desempenho.

Verifique e valide a qualidade da aplicação para garantir que ela atenda aos requisitos do usuário

Atualmente, os testes de software são mais eficazes quando são contínuos, indicando que os testes começam durante o design, continuam conforme o software é desenvolvido e até ocorrem quando implementado em produção. Testes contínuos significam que as organizações não precisam esperar que todas as partes sejam implantadas antes que os testes possam começar. Shift-left, que está aproximando os testes do design, e shift-right, onde os usuários finais realizam a validação, também são filosofias de testes que recentemente ganharam força na comunidade de software. Quando sua estratégia de testes e seus planos de gerenciamento são compreendidos, a automação de todos os aspectos dos testes se torna essencial para apoiar a velocidade de entrega necessária.

A modernização estratégica de aplicativos gera transformação digital

A modernização estratégica de aplicativos é uma chave para o sucesso transformacional que pode aumentar a receita anual e reduzir os custos de manutenção e operação.

Conteúdo relacionado

Registre-se para receber o guia sobre DaaS

tipos de teste de software

Existem muitos tipos diferentes de testes de software, cada um com objetivos e estratégias específicos:

  • Testes de aceitação: verificar se todo o sistema funciona conforme o esperado.
  • Revisão de código: confirmar se o software novo e modificado está seguindo os padrões de codificação de uma organização e segue suas melhores práticas.
  • Integration Testing: garantir que os componentes ou funções do software operem juntos.
  • Testes de unidades: validar se cada unidade de software funciona conforme o esperado. Uma unidade é o menor componente testável de um aplicativo.
  • Testes funcionais: verificar as funções emulando cenários de negócios, com base em requisitos funcionais. O teste de caixa-preta é uma maneira comum de verificar as funções.
  • Testes de desempenho: testar como o software é executado sob diferentes cargas de trabalho. Testes de carga, por exemplo, são usados para avaliar o desempenho sob condições de carga reais.
  • Testes de regressão: verificar se os novos recursos interrompem ou degradam a funcionalidade. Testes de sanidade podem ser usados para verificar menus, funções e comandos no nível da superfície, quando não há tempo para um teste de regressão completo.
  • Testes de segurança: validar se seu software não está aberto a hackers ou outros tipos maliciosos de vulnerabilidades que possam ser explorados para negar acesso aos seus serviços ou fazer com que eles funcionem incorretamente.
  • Testes de estresse: testar quanto esforço o sistema pode suportar antes de falhar. Os testes de estresse são considerados um tipo de testes não funcionais.
  • Testes de usabilidade: validar com que qualidade um cliente pode usar um sistema ou aplicativo da web para concluir uma tarefa.

Em cada caso, validar os requisitos básicos é uma avaliação crítica. Tão importante quanto isso, os testes exploratórios ajudam um testador ou uma equipe de testes a descobrir cenários e situações difíceis de prever que podem levar a erros de software.

Mesmo um aplicativo simples pode estar sujeito a um grande número e variedade de testes. Um plano de gerenciamento de testes ajuda a priorizar quais tipos de testes fornecem mais valor, dado o tempo e os recursos disponíveis. A eficácia dos testes é otimizada executando o menor número de testes para encontrar o maior número de defeitos.

Plano de gerenciamento de testes
História dos testes de software

Os testes de software chegaram junto com o desenvolvimento do software, que teve seu início logo após a Segunda Guerra Mundial. O cientista da computação Tom Kilburn é creditado por escrever o primeiro software, que estreou em 21 de junho de 1948 na University of Manchester, na Inglaterra. Ele realizou cálculos matemáticos usando instruções de código de máquina.

A depuração era o principal método de testes na época e assim permaneceu pelas duas décadas seguintes. Na década de 1980, as equipes de desenvolvimento olharam além de isolar e corrigir bugs de software para testar aplicações em configurações do mundo real. Isso preparou o cenário para uma visão mais ampla dos testes, que englobava um processo de garantia de qualidade que fazia parte do ciclo de vida do desenvolvimento de software.

desenvolvimento de software
Por que os testes de software são importantes

Poucos podem argumentar contra a necessidade de controle de qualidade ao desenvolver software. Atrasos na entrega ou defeitos no software podem prejudicar a reputação de uma marca, o que leva a clientes frustrados e perdidos. Em casos extremos, um bug ou defeito pode degradar sistemas interconectados ou causar mau funcionamento grave.

Considere a Nissan tendo que fazer um recall de mais de um milhão de carros devido a um defeito de software nos detectores dos sensores dos airbags ou um bug de software que causou a falha de um lançamento de satélite militar de US$ 1,2 bilhão.1 Os números falam por si. Falhas de software nos EUA custaram à economia US$ 1,1 trilhão em ativos em 2016. Além disso, eles afetaram 4,4 bilhões de clientes.2

Embora os testes em si custem dinheiro, as empresas podem economizar milhões por ano em desenvolvimento e suporte se tiverem uma boa técnica de testes e processos de controle de qualidade em vigor. Os primeiros testes de software descobrem problemas antes que um produto seja lançado no mercado. Quanto mais cedo as equipes de desenvolvimento receberem feedback dos testes, mais cedo poderão resolver problemas como:

  • Falhas de arquitetura
  • Decisões de design ruins
  • Funcionalidades inválidas ou incorretas
  • Vulnerabilidades de segurança
  • Problemas de escalabilidade

Quando o desenvolvimento deixa amplo espaço para testes, ele melhora a confiabilidade do software, e aplicativos de alta qualidade são entregues com poucos erros. Um sistema que atende ou até mesmo excede as expectativas dos clientes pode levar a mais vendas e maior participação de mercado.

Melhores práticas de testes de software

Os testes de software seguem um processo comum. As tarefas ou etapas incluem definir o ambiente de testes, desenvolver casos de testes, escrever scripts, analisar os resultados dos testes e apresentar relatórios de defeitos.

Os testes podem ser demorados. Testes manuais ou testes ad hoc podem ser suficientes para pequenas compilações. No entanto, para sistemas maiores, frequentemente são usadas ferramentas para automatizar tarefas. Os testes automatizados ajudam as equipes a implementar diferentes cenários, testar diferenciadores (como mover componentes para um ambiente de nuvem) e obter feedback rapidamente sobre o que funciona e o que não funciona.

Uma boa abordagem de testes engloba a interface de programação de aplicativos (API), a interface do usuário e os níveis do sistema. Quanto mais testes forem automatizados e executados com antecedência, melhor. Algumas equipes criam ferramentas internas de automação de testes. No entanto, as soluções dos fornecedores oferecem recursos que podem simplificar as principais tarefas de gerenciamento de testes, como:

Testes contínuos

As equipes de projeto testam cada compilação à medida que fica disponível. Esse tipo de testes de software depende da automação de testes integrada ao processo de implementação. Ele permite que o software seja validado em ambientes de testes realistas no início do processo, o que melhora o design e reduz os riscos.

Gerenciamento de configuração

As organizações mantêm centralmente os ativos de testes e rastreiam quais compilações de software devem ser testadas. As equipes obtêm acesso a ativos como código, requisitos, documentos de design, modelos, scripts de testes e resultados de testes. Bons sistemas incluem autenticação de usuário e trilhas de auditoria para ajudar as equipes a atender aos requisitos de conformidade com o mínimo de esforço administrativo.

Virtualização de serviços

Os ambientes de testes podem não estar disponíveis, especialmente no início do desenvolvimento do código. A virtualização de serviços simula os serviços e sistemas que estão ausentes ou ainda não foram concluídos, permitindo que as equipes reduzam as dependências e testem mais cedo. Elas podem reutilizar, implementar e alterar uma configuração para testar diferentes cenários sem precisar modificar o ambiente original.

Rastreamento de defeitos ou bugs

O monitoramento de defeitos é importante para as equipes de testes e desenvolvimento para medir e melhorar a qualidade. Ferramentas automatizadas permitem que as equipes rastreiem defeitos, meçam seu escopo e impacto e descubram problemas relacionados.

Métricas e relatórios

Relatórios e análises de dados permitem que os membros da equipe compartilhem status, metas e resultados de testes. Ferramentas avançadas integram métricas de projeto e apresentam resultados em um dashboard. As equipes veem rapidamente o funcionamento geral de um projeto e podem monitorar as relações entre testes, desenvolvimento e outros elementos do projeto.

Estudos de caso

Um importante banco europeu aproveita a virtualização de serviços durante os testes de aplicativos para eliminar os custos de conexão externa. Leia o estudo de caso
Soluções relacionadas IBM Engineering Workflow Management

O gerenciamento do fluxo de trabalho da IBM Engineering atua como um vínculo crítico entre o trabalho necessário e o trabalho entregue, permitindo que as equipes gerenciem planos, tarefas e status do projeto.

IBM Engineering Test Management

O IBM Engineering Test Management é uma solução colaborativa de gerenciamento de qualidade que oferece planejamento de testes e gerenciamento de ativos de testes de ponta a ponta, desde requisitos até defeitos.

Teste do IBM DevOps

Uma plataforma abrangente de testes e virtualização para ajudar a garantir a qualidade dos aplicativos durante todo o ciclo de vida do software.

IBM DevOps Test Workbench

O IBM DevOps Test Workbench fornece ferramentas de teste de software para suportar testes de API, testes funcionais de IU, testes de desempenho e virtualização de serviços.

IBM® DevOps Test Virtualization

O IBM DevOps Test Virtualization permite testes iniciais e frequentes no ciclo de vida do desenvolvimento.

IBM DevOps Automation

O IBM DevOps Automation ajuda a melhorar a produtividade, reduzir o risco dos negócios e entregar aplicativos mais rapidamente usando IA generativa e automação.

IBM DevOps Deploy

O IBM DevOps Deploy é uma solução de lançamento de aplicativos que infunde automação no processo de entrega contínua e implementação contínua e fornece recursos robustos de visibilidade, rastreabilidade e auditoria.

IBM DevOps Velocity

O Velocity automatiza processos no ciclo de vida da versão e coleta insights para seus processos de DevOps.

Recursos de testes de software O que são testes contínuos?

Os testes contínuos desempenham um papel crucial na aceleração do desenvolvimento de software, aprimorando a qualidade do código e evitando gargalos dispendiosos.

O que é desenvolvimento de software?

O desenvolvimento de software se refere a um conjunto de atividades de ciência da computação dedicadas ao processo de criação, design, implementação e suporte de software.

Continuous Testing for Dummies

Este ebook explora por que testar mais cedo e com mais frequência é fundamental para atingir o objetivo do IBM DevOps de entrega de software mais rápida.

IBM Developer (DevSecOps)

Recursos de aprofundamento centrados no desenvolvedor para ajudar a melhorar sua experiência no ciclo de vida do software.

IBM DevOps Automation Community

Uma plataforma onde você pode se manter informado por meio de webinars, blogs e outros conteúdos excelentes. Discuta testes de software e DevOps com seus colegas de todo o mundo.

Dê o próximo passo

Você está pronto para DevOps? Para entregar software e serviços na velocidade que o mercado exige, as equipes precisam iterar e experimentar rapidamente, implementar novas versões com frequência e ser orientadas por feedback e dados. As equipes de desenvolvimento em nuvem mais bem-sucedidas adotam a cultura e as práticas modernas de DevOps, incorporam arquiteturas nativas da nuvem e montam cadeias de ferramentas com as melhores da categoria para estimular sua produtividade.

Explore as soluções de DevOps Faça um teste gratuito
Fontes

1 "What is Software Testing?" (link externo a ibm.com), Thomas Hamilton, guru99.com, atualizado em 3 de janeiro de 2024

2 "The glitch economy: Counting the cost of software failures" (link externo a ibm.com), Dalibor Siroky, 30 de outubro de 2017