Guia de adaptação ao 
risco climático
As organizações enfrentam possíveis interrupções e danos como resultado de riscos climáticos. É essencial que não nos concentremos apenas em minimizar os impactos da mudança climática no meio ambiente para o futuro, mas que aprendamos a nos adaptar aos impactos da mudança climática que enfrentamos hoje.
Ilustração de uma cidade sendo exposta a adversidades climáticas como calor extremo, tempestades e inundações.
A mudança climática está nos afetando hoje

A mudança climática, juntamente com seu impacto nos riscos 
relacionados ao clima, cria um conjunto exclusivo de riscos e desafios inter-relacionados para as empresas e seus gerentes. Ele apresenta ameaças a vários aspectos de uma empresa, desde preocupações imediatas, como interrupções nas operações, danos aos ativos físicos e ao bem-estar dos funcionários, até impactos mais indiretos nas cadeias de suprimentos e na viabilidade do mercado. Compreender a magnitude e as características desses riscos é essencial, e as estratégias para gerenciá-los devem ser incorporadas de forma completa e proativa às decisões de negócios desde o início. Então, quais são as próximas etapas apropriadas? Como as empresas podem se preparar contra as ramificações da mudança climática e das condições climáticas extremas? Vamos explorar maneiras de compreender os riscos envolvidos de forma mais eficaz e identificar medidas proativas para minimizar esses riscos para sua empresa e seus stakeholders.

O gerenciamento do risco climático é bom para a empresa e para o planeta.

O que é o risco climático de médio a longo prazo e em que difere das previsões meteorológicas?

A modelagem do risco climático é uma abordagem sofisticada 
empregada para avaliar e compreender os riscos potenciais que os perigos relacionados ao clima representam para os ativos em períodos de tempo prolongados. Esse método difere significativamente da modelagem tradicional de riscos relacionados ao clima em seu foco temporal e contextual. A modelagem de riscos relacionados ao clima normalmente envolve observações em tempo real de 
variáveis meteorológicas usando dados meteorológicos, imagens de satélite 
e modelos computacionais. O risco climático lida com eventos climáticos de curto prazo e seus impactos imediatos; a modelagem do risco climático prospectiva adota uma perspectiva abrangente e de longo prazo. Ele integra dados climáticos históricos, projeções da mudança climática, modelos específicos de risco e dados geográficos e contextuais específicos do local para prever a probabilidade e a gravidade de eventos relacionados ao clima, como furacões, inundações e ondas de calor, décadas no futuro.

Esses dados de exposição podem, então, ser traduzidos em dados significativos usando funções de impacto e perda específicas para cada caso de uso. Ao considerar fatores como mudanças nos padrões climáticos, elevação do nível do mar e aumento das temperaturas, essa abordagem de modelagem permite que os stakeholders, incluindo empresas, governos e seguradoras, 
tomem decisões informadas sobre mitigação de riscos, planejamento de longo prazo e medidas de construção de resiliência adaptadas ao cenário climático em evolução. Ele nos capacita a enfrentar proativamente os complexos desafios decorrentes da mudança climática e seus possíveis impactos sobre ativos e infraestrutura críticos.

Perigos climáticos agudos

Os riscos climáticos agudos referem-se àqueles que são impulsionados por eventos, incluindo o aumento da gravidade de eventos climáticos extremos, como ciclones, furacões, ondas de calor ou frio ou inundações.

Incêndios florestais Uma combinação de fatores, incluindo temperaturas mais altas, umidade relativa mais baixa, além de ventos e raios, pode aumentar o risco de incêndios florestais.
Inundações Com o aumento das temperaturas, observamos mais derretimento de neve, elevação do nível do mar e um maior potencial para ressacas, todos contribuindo para inundações mais frequentes e graves.
Ondas de calor Considerado como um período de altas temperaturas sustentadas ao longo de vários dias, estamos observando um aumento na frequência, gravidade e duração das ondas de calor.
Tempestades À medida que as tempestades atravessam oceanos mais quentes, puxando mais vapor de água e calor, estamos observando maior intensidade e menor velocidade, resultando em danos prolongados.

Perigos climáticos crônicos

Os riscos climáticos crônicos referem-se a mudanças de longo prazo nos padrões climáticos (por exemplo, temperaturas mais altas sustentadas, aumento do nível do mar, mudanças nos padrões de precipitação), que podem causar aumento do nível do mar ou ondas de calor crônicas.

Seca Períodos de seca prolongados estão se tornando mais frequentes, severos e extensos, afetando a disponibilidade de água e secando o solo.
Erosão do solo Chuvas mais frequentes e intensas podem aumentar a erosão, resultando em maiores quantidades de sedimentos que chegam aos rios, lagos e córregos. A terra degradada tem menos capacidade de sustentar a vida vegetal.
Aumento do nível do mar Uma combinação de água derretida de geleiras e calotas de gelo, além da expansão térmica da água do mar à medida que se aquece, está causando o aumento do nível do mar. Isso pode causar erosão de praias, inundação de deltas, bem como inundações e perda de muitos charcos e pântanos.

Temperaturas extremas A temperatura média da superfície da Terra é agora mais quente do que em qualquer momento nos últimos 100.000 anos, com 2011 e 2020 representando os anos mais quentes já registrados.

Como os perigos climáticos afetam as organizações?

Os perigos climáticos podem impactar as organizações de diversas maneiras críticas.

Impactos operacionais

Eventos climáticos incomuns podem interromper as operações regulares em instalações, resultando em perdas devido à redução da produtividade, interrupções na cadeia de suprimentos e vendas atrasadas. Por exemplo, o furacão Harvey inundou a costa do Texas, causando uma paralisação temporária de quase toda a capacidade de refino do estado, afetando até 4,4 milhões de barris de petróleo por dia.1

Danos e falhas em ativos e infraestruturas e aumento das taxas de seguros

Os eventos climáticos podem provocar danos ou dificultar a infraestrutura crítica, levando a perdas financeiras associadas a reparos, substituições, aumento dos prêmios de seguro e interrupções operacionais que podem, por sua vez, resultar em passivos no futuro. Um exemplo dessa situação é observado no Colorado, onde um alto risco de incêndios florestais contribuiu para o aumento dos prêmios de seguros de quase 52% em três anos.

Deslocamento temporário e permanente

Eventos extremos e riscos climáticos crônicos, como secas e temperaturas extremas, podem resultar em deslocamento ambiental, afetando a produtividade e as mudanças na demanda do mercado.

Perdas na cadeia de valor e atrasos logísticos

Os fatores relacionados ao clima não só influenciam a demanda, a oferta e os preços de insumos críticos, mas também podem causar interrupções na infraestrutura logística, levando a atrasos na produção. Por exemplo, durante o Grande Congelamento do Texas, os fechamentos ferroviários interromperam as conexões vitais da cadeia de suprimentos entre o Texas e o noroeste do Pacífico por três dias.

Redução dos serviços públicos disponíveis

Tanto os riscos físicos agudos quanto os crônicos podem levar a variações nos custos e na disponibilidade da infraestrutura de serviços públicos de energia, afetando a eficiência operacional e exigindo soluções alternativas de geração de energia. Por exemplo, uma seca em Sichuan, na China, interrompeu a geração de energia hidrelétrica, resultando no fechamento durante uma semana de empresas como a Intel e Apple.

Saúde e segurança dos funcionários

A mudança climática pode ter implicações de saúde que afetam o bem-estar e a segurança dos funcionários, podendo aumentar os encargos das empresas. Por exemplo, o aumento das temperaturas e eventos extremos de calor podem representar riscos para a saúde de pessoas que trabalham em ambientes externos, levando ao aumento dos custos de saúde e responsabilidades legais potenciais para os empregadores.

Como se adaptar aos perigos climáticos e mitigar os riscos climáticos

Há várias medidas que as organizações podem tomar para se preparar adequadamente para os impactos da mudança climática.

 

Modele e preveja os efeitos potenciais da mudança de gravidade e dos impactos dos eventos climáticos devido à mudança climática. Localize, preveja, prepare-se e monitore o impacto de uma variedade de perigos meteorológicos extremos, que incluem tempestades intensas, incêndios florestais, inundações, temperaturas extremas, secas, poluição do ar e outros.

Entenda os riscos com base em vários cenários de transição e climáticos futuros e como eles podem afetar os objetivos estratégicos de curto e longo prazo da empresa.

Use essa inteligência para tomar as decisões certas para criar resiliência e adaptação no momento certo, para minimizar o risco para a organização e seus recursos decorrentes do impacto cada vez mais frequente do clima severo devido à mudança climática.

As organizações precisam entender suas opções para mitigar o risco climático para seus ativos e avaliar o retorno sobre o investimento (ROI) potencial de tais ações.

É importante manter a conformidade com várias divulgações e regulamentações de relatórios ambientais, sociais e de governança (ESG) locais e internacionais, como a Task Force on Climate-related Financial Disclosures (TCFD).

Esses pontos podem parecer simples de listar, mas implementá-los representa um desafio considerável. Por quê? Para entender plenamente esses riscos, é necessário reunir, amalgamar e examinar conjuntos de dados extensos, incluindo modelos de mudança climática e de 
riscos climáticos globais, juntamente com uma infinidade de dados geoespaciais de 
satélites de monitoramento da Terra, para mencionar apenas alguns. Além disso, os dados relativos aos 
ativos, instalações, infraestrutura e cadeia de suprimentos de uma organização precisam ser incorporados à combinação.

Ademais, todos os setores e empresas operam com um conjunto único e complexo 
de funções de impacto e perda, que não podem ser satisfeitas pelos provedores de dados padrão. Abordar essas funções exige a adoção de novos recursos de ciência de dados informados pelas pesquisas científicas mais recentes. Consequentemente, enfrentamos grandes volumes de dados 
em constante evolução, que exigem simplificação, gerenciamento, integração 
e análise. Essas complexidades de dados dificultam a mobilização e a 
compreensão imediata dos dados, prejudicando a eficácia dos processos 
decisórios orientados por dados.

O IBM Envizi pode ajudar a acelerar sua estratégia de ESG e simplificar a geração de seus relatórios
Análise de dados preditiva para planejamento proativo

As organizações que estão preparadas para tomar decisões baseadas em dados podem se adaptar de forma mais eficaz e proativa a eventos climáticos severos que podem afetar adversamente suas operações. Ferramentas que combinam IA com dados meteorológicos, climáticos e geoespaciais específicos do setor são particularmente úteis para capacitar organizações com dados e insights quase em tempo real. Ao desenvolver sua estratégia e plano de adaptação ao risco climático, procure soluções que ajudem sua organização a:

  • Obter insights sobre os riscos a curto, médio e longo prazos da mudança 
climática com base em vários cenários futuros de transição de carbono. Obter uma compreensão 
mais profunda da metodologia por trás dos modelos e onde sua empresa 
e o setor têm exposição a riscos relacionados a perigos climáticos.

  • Obter estimativas específicas de casos de uso de valor em risco e métricas de perda para 
funções imediatas e de impacto de segunda e terceira ordens. Permitir que você crie novos modelos de ciência de dados sobre como os riscos relacionados ao clima podem comprometer operações 
específicas de sua empresa e setor.

  • Chamar a atenção para esses riscos com recursos de geração de painéis e análise 
projetados para melhorar o engajamento dos stakeholders. Entender os efeitos no nível do portfólio em seus objetivos estratégicos e realizar um mergulho profundo na análise 
no nível do ativo. Ajudar a garantir a continuidade de negócios, priorizando os esforços de mitigação de 
ativos de alto risco para melhorar as operações e os custos de seguros.

  • Melhorar a tomada de decisões em tempo real para reduzir custos, melhorar a eficiência e 
contribuir para as metas de sustentabilidade. Integrar dados em todas as plataformas e softwares para tornar a informação acionável.

  • Reduzir as preocupações dos investidores e dos stakeholders, fornecendo recursos de geração de relatórios que fornecem todas as informações necessárias para fins de relatórios de ESG.

Atualmente, as organizações não só precisam entender os riscos representados pelos perigos climáticos, mas devem aproveitar a tecnologia para prever e contextualizar os riscos específicos dos perigos climáticos para seus ativos e operações de negócios. Ao aproveitar a análise de dados preditiva e a modelagem geoespacial, é possível criar um plano robusto de adaptação ao risco climático e minimizar interrupções e destruição organizacional.

Como a IBM pode ajudar

Receba insights meteorológicos para prever condições ambientais disruptivas, gerenciar os riscos de forma proativa e melhorar a prontidão operacional relacionada à mudança climática com a IBM. 

IBM Environmental Intelligence Suite

Uma solução SaaS baseada em IA que fornece inteligência acionável em tempo hábil e baseada em fatos para gerenciar proativamente o impacto dos eventos de mudança climática.

Explore mais
IBM Envizi ESG Suite

Simplifique a captura, a consolidação, o gerenciamento, a análise e a geração de relatórios dos seus dados ambientais, sociais e de governança (ESG).

Explore mais
Notas de rodapé

1 Um breve histórico de perdas de refinarias de petróleo nos EUA devido a furacões, Reuters, 30 de junho de 2022.