Carreiras de TI Enterprise: Entrevista com Mainframe Operations Specialist

By | 4 minute read | 04/05/2020

Quando alguém diz “carreira em TI”, você normalmente imagina um desenvolvedor web, desenvolvedor de aplicativos móveis, engenheiro de software e, é claro, cientista de dados, certo? Como líder de ecossistema para uma das tecnologias mais importantes para nossa economia e crítica para o sucesso das maiores empresas do mundo, parte da minha missão é identificar e desenvolver novos talentos para trabalhar com IBM Z, também conhecidos como Mainframes. E logo vem a pergunta, quais carreiras eu posso seguir trabalhando com essa tecnologia?

Com o intuito de responder essa pergunta, estou lançando a série Carreiras de TI Enterprise, onde, mensalmente, eu entrevisto profissionais de Mainframe brasileiros e deixo que eles apresentem suas carreiras. Em nosso primeiro episódio, convidei o @Vinicius Brocchi, para falar sobre a carreira Mainframe Operations Specialist.

Rafael Ireno: Vini, obrigado por participar dessa iniciativa. Nos fale um pouco sobre você, qual é a sua formação? Onde você trabalha? Quanto tempo você trabalha com Mainframe?

Vinicius Brocchi: Sou formado em Ciência da Computação, tenho 25 anos e trabalho na IBM de Hortolândia. Eu estou na área de Mainframe desde que entrei aqui, em outubro de 2014. Já são 5 anos de muito empenho e dedicação e espero que continuem se multiplicando.

Rafael: O que é um Mainframe Operations Specialist?

Vinicius: O Mainframe Operations Specialist é responsável por monitorar e garantir o funcionamento do Mainframe de seus clientes. Atuar em situações críticas, gerenciar e engajar em reuniões de problemas críticos. Esse profissional também é responsável por manter a documentação de seus procedimentos atualizada e atuar em melhorias.

Rafael: Como e por que você escolheu se tornar um Mainframe Operations Specialist?

Vinicius: Quando decidi aceitar a proposta, sabendo que aprenderia uma tecnologia que nunca tinha visto na vida, sabia que seria um grande desafio e que só dependeria de mim mesmo para desempenhar na área. Eu sempre gostei de coisas novas para aprender, e a cada dia que passa eu aprendo novos conceitos ou funcionalidades.

Rafael: O que você mais gosta em seu trabalho?

Vinicius: O que eu mais gosto no meu trabalho é a liberdade para expressar minhas ideias, oportunidade para criação de soluções para facilitar o dia a dia de operações.

Rafael: Quais habilidades e/ou conhecimentos você precisa para se tornar um Mainframe Operations Specialist?

Vinicius: Inicialmente, conhecimentos básicos de TI, como sistemas operacionais, arquitetura de sistemas, entendimento de fluxograma e redes são elementos chaves para o entendimento do Mainframe. Depois disso, assim como no curso de ciência da computação, você aprende um aglomerado de conceitos e precisará se especializar em algum tema específico para continuar evoluindo na sua carreira.

Rafael: Como é o dia a dia de um Mainframe Operations Specialist?

Vinicius: Monitoração do sistema e atuação tanto reativa quanto proativa para manter a saúde do sistema. Atuar em chamados, problemas com alta severidade, suportar o seu cliente no que for possível e atualização de procedimentos quando necessário.

Rafael: Qual é a importância do inglês para executar suas obrigações como Mainframe Operations Specialist?

Vinicius: Imprescindível! Um bom inglês não só auxilia no seu trabalho com clientes estrangeiros mas também na minha capacitação, com a leitura de manuais e treinamentos.

Rafael: Como você explica seu trabalho para seus amigos que não são da área de TI?

Vinicius: Eu costumo dizer que é um trabalho de prestação de serviços onde eu garanto a estabilidade do sistema através de monitoração do mesmo.

Rafael: O que você mais gostaria que as pessoas entendessem sobre Mainframes?

Vinicius: Gostaria que entendessem que o Mainframe é uma tecnologia fantástica e que não é uma plataforma apenas para as pessoas dos anos 60. O IBM Z está em constante evolução, suporta as mais modernas tecnologias digitais e linguagens de programação. Hoje em dia, há novas ferramentas que estão deixando o mainframe com interface ainda mais amigável o que diminui a curva de aprendizado para novos profissionais.

Rafael: Qual conselho ou dica você daria a alguém que está interessado em explorar uma carreira como Mainframe Operations Specialist?

Vinícius: Eu diria que esforço é a chave para o sucesso como Mainframe Operations Specialist. Digo isso, pois no início você recebe muitas informações, e balancear esse período de aprendizagem e ainda executar as demandas do trabalho é bastante desafiador. Porém, com o apoio de profissionais mais experientes, temos a oportunidade de colocar em prática esses conhecimentos e o dia a dia se torna mais fácil. Algo que me motiva bastante é o próximo passo da minha carreira, conforme adquiro mais conhecimentos técnicos nesta posição, me sinto cada vez mais preparado para me tornar Mainframe Systems Programmer.

Rafael: Vini, muito obrigado pela sua participação, foi um prazer! Tenho certeza que seus comentários irão abrir portas para muitos futuros Mainframers.

Vinicius: Rafa, obrigado pela oportunidade e conte comigo nessa jornada de desmistificação do Mainframe.

 

O crescimento exponencial na demanda por profissionais de TI é inegável, porém profissionais em formação, durante sua vida acadêmica, desconhecem oportunidades em TI Enterprise, como a de Mainframe Operations Specialist. Por meio da Iniciativa Z, em iniciativas como esse post de blog visando conscientizar alunos sobre carreiras como essa. Caso queira mais detalhes sobre nossa missão, confere esse post, onde eu explico melhor nossa iniciativa acadêmica.

Em breve, em nosso próximo post, iremos conversar com @Bill Pereira sobre a carreira de Mainframe Systems Programmer.

Se você quer dar os primeiros passos na sua carreia em mainframe, participe do workshop gratuito Introdução ao z/OS e aprenda o básico sobre ambiente mainframe. Você ainda ganha credenciais reconhecidas mundialmente.