Automação

Performance vs. Custo: Como encontrar o ponto ideal?

Compartilhe:

Recentemente, a IBM concluiu a aquisição da Turbonomic, um provedor de software de Application Resource Management (ARM) e Network Performance Management (NPM). Essa aquisição endereça a otimização de recursos de infraestrutura para nuvem híbrida minimizando os custos usando IA (AIOps). Conheça as possibilidades para acelerar a modernização das suas entregas conciliando com as aplicações legadas.

Lidar com a complexidade e dinamicidade dos ambientes das aplicações legadas e novas é um dos grandes desafios para os times de DevOps, SRE (Site Reliability Engineering) e operações, atualmente. Ao mesmo tempo em que a abordagem de microsserviços e plataformas mais modernas aceleram o desenvolvimento e entrega de aplicações, também criam grandes desafios aos times responsáveis por mantê-los em operação, conciliando as aplicações legadas. 

Para assegurar a performance e a disponibilidade das aplicações, a primeira atitude tomada é super-provisionar recursos de infraestrutura, de forma que os mesmos não faltem quando necessário – e, ainda, considerando-se o “pior caso”. Essa atitude funciona? Você é capaz de prever com exatidão a variação da demanda de todas as suas aplicações? Você consegue identificar em qual camada do stack de recursos (container, pod, VM, host, nó, cluster, etc.) está o gargalo e onde há desperdício? 

Praticamente todos os times de operação ou SRE têm mecanismos de alerta de eventos e incidentes implementados que os ajudam a detectar situações de degradação de performance ou interrupção de serviços. Mas o quanto estes mecanismos conseguem responder automaticamente a estes eventos, sem necessidade de intervenção manual e de implementação de scripts? E o quanto eles levam em consideração recursos ociosos?

Turbonomic ARM

A IBM concluiu recentemente a aquisição da Turbonomic, uma fabricante de software para Gerenciamento de Recursos de Aplicação (ARM – Application Resource Management) e Gerenciamento de Performance de Rede (NPM – Network Performance Management).

O principal objetivo do ARM é garantir a performance das aplicações através da análise contínua do uso de recursos de infraestrutura, ao mesmo tempo em que identifica desperdícios e oportunidades de melhoria de eficiência. 

Mas o quanto isso difere de APM (Application Performance Monitoring)? O principal objetivo de APM é identificar problemas de performance nas aplicações e facilitar ao máximo aos times responsáveis identificar a causa raiz e resolver o incidente. Espera aí: eu falei “facilitar”? E por quê essas ferramentas não resolvem os problemas sozinhas? Então, é aí que entra o Turbonomic ARM. Ele identifica as ações necessárias – preventivas, corretivas e de eficiência – e é capaz de executá-las automaticamente, sem necessidade de intervenção humana nem de implementação de scripts ou customizações.

Em ambientes híbridos, que envolvem recursos on-premises e de nuvem (inclusive múltiplas nuvens, mais conhecido como multi-cloud) e plataformas tradicionais (máquinas virtuais) e modernas (contêineres), essa complexidade é exponencial. Lidar com este cenário de forma manual é inviável e a consequência disso nós já sabemos: aplicações lentas, instáveis e alto custo de serviços de nuvem e infraestrutura on-premises.

É importante destacar que o Turbonomic ARM não substitui as soluções de APM, mas as complementa perfeitamente. Prova disso é que, pouco tempo antes de adquirir a Turbonomic, a IBM também adquiriu a Instana: uma Plataforma de Observabilidade Corporativa e APM moderna e automatizada.

Saiba mais

Não é fantástica a possibilidade de ter uma ferramenta executando estas ações automaticamente no seu ambiente? Saiba mais em: https://www.turbonomic.com

Vamos conversar?

A IBM é líder de mercado em soluções e projetos de IA.
Qual o problema do seu negócio que iremos solucionar juntos?

Entre em contato com um representante da IBM

AIOps and DevOps Specialist na IBM

Leia mais sobre

AIOps: o futuro das operações em Telecom (Parte 2)

Conheça o AIOps, o futuro das operações em Telecom Ao contrário do que ocorreu com o 2G, 3G e 4G, a operação de uma rede 5G não poderá ser entregue e suportada com sucesso sem o apoio de um Centro de Operações de Rede Inteligente. Ele deverá estar baseado em um modelo AIOps, onde juntamos […]

Automação Inteligente para Tempos Extremos

Sua empresa pode diminuir até 80% dos trabalhos manuais, ter um tempo de resposta seis vezes mais rápido e ainda estar conectada a uma das tecnologias com projeção de crescimento de 32,8% por ano até 2028, segundo a consultoria Gartner.E essa é só a ponta do iceberg, apenas um frame sobre o que será tratado […]

AIOps: o futuro das operações em Telecom (Parte 1)

Este é o primeiro de dois artigos em que eu exploro o AIOps em Telecom. Nesta primeira parte, entenderemos a razão pela qual o AIOps é tão importante para as futuras operações na indústria de telecomunicações, além de esclarecer algumas confusões relacionados aos termos: Análise de Dados, Automação, Inteligência Artificial (AI – Artificial Intelligence) e […]