Comments (3)
  • Add a Comment
  • Edit
  • More Actions v
  • Quarantine this Entry

1 SetembrinoLusa commented Permalink

Realmente muito boa esta abordagem de o que não fazer em teste de software <br /> Uma das coisas que acontecem muito, e foi comentada é que a vontade de automatizar tudo onera o projeto em custo e esforço e muitas vezes é força uma implantação sem que os testes tenham terminado ou feitos de forma satisfatória. <br /> O teste manual, não o teste "viciado" do programador tem sido esquecido e é sem dúvida o um dos mais eficazes, quando possibilita o encontro de um usuário com o sistema, usuário este que não conhece exatamente a sequencia das operações e muitas vezes "clica aonde não deveria", resultando em um bug, defeito, falha ou erro. <br /> Escrevi recentemente algo a respeito também. Segue o link <br /> http://www.tiespecialistas.com.br/2011/10/os-testes-nossos-do-dia-a-dia/?utm_medium=twitter&amp;utm_source=twitterfeed

2 Walter Farias commented Permalink

A busca pela automação a todo custo pode trazer um custo alto para manutenção dos scripts. A automação pode ser muito útil e podemos tirar vários benefícios, porém ela tem que ser planejada. Tenho encontrado alguns cenários em empresas que querem buscar uma altomação de testes sem mesmo ter um ambiente pra isso. Para altomação precisamos ter além de um ambiente, que pode ser físico ou virtual. precisamos e dependemos muito da qualidade dos dados para os testes. A gestão da massa de teste é essencial pra altomação. #ficaadica

3 MarcosCarneiro commented Permalink

Planejamento, foco e dedicação, fazem com que, mesmo já em andamento tudo se encaixe nos eixos da melhor forma, agindo em cima do que é possível e mitigando tratamentos daquilo que não se pode mais mudar. Princípios básicos - que em algumas vezes, infelizmente, são esquecidos e a falta desta base, faz com que esforços sejam grandes, mas a eficácia resultante seja mínima. ;)