Computação em Cloud

Redefinindo as estratégias de mídia digital com o IBM Cloud Object Storage e o Watson

Share this post:

A indústria de mídia digital tem encarado um desafio de longa data. Rádio, televisão e produções cinematográficas geram conjunto de dados massivos e desestruturados, que podem ser medidos na casa das centenas de terabytes para um único projeto de filme em larga escala.

A quantidade de dados gerados por essas produções de mídia digital está crescendo rapidamente. De fato, a IDC previu que a quantidade de dados, no mundo, irá crescer para 44 zettabytes (ou um bilhão de terabytes) em 2020, e enormes oitenta por cento desse crescimento será de conteúdo criado de forma desestruturada pela indústria de mídia digital.

Gerenciar e armazenar todos esses dados pode ser complicado e caro.

As companhias de mídias digital não apenas gerenciam os dados gerados por seus projetos atuais, mas também armazenam e organizam todos os dados associados com seus programas, shows e filmes. Dessa maneira, se tornam arquivistas – não para apenas gerenciar seus próprios conteúdos, mas para também arquivá-los de maneira que eles possuam um valor histórico para a sociedade. Você já deve ter visto isso acontecer sempre que os meios de comunicação compartilham velhos clips de áudio e vídeos, com a intenção de mostrar o contexto e a perspectiva histórica sobre eventos atuais.

No passado, gerenciar essa grande quantidade de dados, de maneira que fosse fácil a busca e acessibilidade, foi um trabalho intenso. Os primeiros processos para alcançar esse objetivo necessitavam que o conteúdo da transmissão fosse registrado manualmente. Isso incluía detalhes básicos das cenas, incluindo o assunto, data e tempo. Eventualmente, isso foi automatizado usando o software Media Asset Management (MAM), que economizou custos com capital humano, mas não necessariamente aprofundou o compreendimento dos conteúdos utilizáveis que os produtores tinham em seus arquivos.

Hoje em dia, nós estamos vendo a que a indústria está repensando as estratégias de dados, com o esforço de redefinir o valor do conteúdo e como ele nos impacta. As organizações estão descobrindo novas maneiras de usar e gerenciar seus dados de uma maneira que torne o que costumava ser custos de obrigação em potenciais geradores de receita.

O grupo Danmon, um transmissor internacional e provedor de soluções de mídia sediado na Dinamarca, entrega soluções que abrangem desde estações de televisão e rádio até comunicações via satélite, assim como estúdios virtuais, soluções de armazenamento e arquivamento, e também software para gerenciamento de fluxo de trabalho.

Quando a Danmon buscou uma nova estratégia para ajudar os consumidores a armazenarem e gerenciarem a coleção massiva e não estruturada de objetos de dados, identificou duas necessidades críticas: uma infraestrutura em cloud global, escalável e a habilidade de acessar essa biblioteca de dados rapidamente e apontar um conteúdo específico.

A Danmon escolheu uma combinação de soluções da IBM para atingir seus objetivos. Primeiro, a companhia utiliza IBM Aspera High Speed Data Transfer para fazer o upload do seu conteúdo para a IBM Cloud Data Center. Então, para gerenciar de maneira eficiente todos os dados, a Danmon adotou o IBM Cloud Object Storage e o IBM Watson.

Os dados são alocados dentro da IBM Cloud, quadro a quadro, enquanto os metadados são analisados pelo IBM Watson com tecnologia de vídeo em cloud. A Danmon utiliza uma API do Watson para aplicar reconhecimento visual e facial para os clips e cenas, adicionando tags de acordo com a necessidade, tudo isso com um nível de granularidade que excede bastante o do MAM, segundo a própria empresa.

Isso será uma virada no jogo para a a Danmon, uma vez que pode ajudar seus consumidores a transformarem seus dados armazenados e seus processos de arquivamento em assets potenciais – uma biblioteca de conteúdo pesquisável e acessível na nuvem.

Outra companhia dinamarquesa que também começou a utilizar as tecnologias do IBM Cloud Object Storage e Watson é a any.cloud, que oferece hospedagem na nuvem para clientes de várias indústrias, incluindo mídia digital.

A any.cloud implementou o IBM Cloud Object Storage para gerenciar sua grande quantidade de dados não estruturados gerados por seus consumidores de mídia digital, e está atualmente testando o IBM Watson Vídeo Analytics para novos serviços. A expansão dos arquivos de dados oferecidos pela any.cloud, por combinar sua disponibilidade de armazenamento 24/7 na IBM Cloud com os serviços e tecnologias do Watson, pode ajudar os clientes a obterem novos insights e valores dos dados que eles armazenam no any.cloud, permitindo a ambos, any.cloud e seus clientes, gerarem novas receitas.

Para mais informações sobre IBM Cloud Object Storage, clique aqui.

Product Strategy and Customer Success for Cleversafe IBM Watson and Cloud Platform

More Computação em Cloud stories

Proteção de Dados para Ambientes Híbridos Multicloud

De acordo com a pesquisa da IDC, 60% das organizações terão uma estratégia de transformação digital em 2020. A infraestrutura de TI deve acompanhar esse ritmo, para que as equipes de TI adotem cada vez mais ambientes de contêineres e híbridos multicloud que permitem melhor eficiência de recursos, escalabilidade massiva, aumento da produtividade e redução […]

Continue reading

Aston Martin Red Bull Racing: A inteligência pronta para trabalhar com a IBM, transformando dados em vantagem competitiva

Velocidade é tudo A Fórmula 1 é a série de corridas de automóveis mais popular, e tecnicamente mais avançada do mundo, abrangendo 21 corridas a cada ano nos cinco continentes. Embora o órgão dirigente do esporte (FIA) mantenha regulamentos complexos que restringem o desempenho máximo — para garantir a segurança do piloto e manter os […]

Continue reading

3 razões pelas quais a maioria das empresas tem apenas 20% de transformação na nuvem

A transformação na nuvem parece algo fácil quando alguns fornecedores a descrevem. A única coisa que as empresas precisam fazer é migrar todas as cargas de trabalho para a nuvem, modernizar suas aplicações e aproveitar todos os benefícios da transformação digital. Obviamente, se fosse realmente assim, tão fácil, a maioria das empresas já o teria […]

Continue reading