TI+Simples

Inteligência Artificial invade o Star Trek: Bridge Crew

Compartilhe:

34571932036_fa720452d1_cO Watson está cada vez mais envolvido em projetos legais. Já falamos do seu auxílio no combate ao câncer, como pretende revolucionar as visitas aos museus e também de como ajudou a escolher o vencedor de um concurso de cosplay, na Comic Con Experience Recife. Dessa vez, a plataforma de computação cognitiva da IBM vai invadir o universo games para ampliar a experiência do jogo de realidade virtual Star Trek: Bridge Crew, da Ubisoft.

A famosa produtora de games tinha um desafio em mãos: fazer um jogo pensado totalmente para a realidade virtual (VR) e oferecer uma imersão sem precedentes. Eis que o Watson entra na jogada. Para melhorar a experiência do jogador, a Ubisoft fez uso das tecnologias da IBM para inserir comando de voz ao jogo. Ou seja, ao invés do tradicional apertar de botões você pode gritar, instruir e distribuir ordens verbalmente aos tripulantes da sua espaçonave. Muito legal isso!

giphy (1)Em Star Trek: Bridge Crew o foco é o multiplayer, ou seja, se divertir com seus amigos. O jogador fará parte da Starfleet e vai se aventurar pela galáxia e enfrentar os seus perigos. Esqueça Capitão Kirk, Spock e sua turma, neste game somos apresentados a uma nova nave, a U.S.S. Aegis. Como membro da Federação, você e os jogadores deverão completar a importante missão de explorar um setor ainda não mapeado da galáxia: o Trench. Para isso, as ações e decisões que tomarem juntos serão essenciais. Ou seja, a interação é a grande sacada do jogo. A parte divertida (e inédita) é justamente que você vai poder interagir com seus amigos e com os personagens do jogo, utilizando apenas sua voz. Isso vai alavancar o futuro da realidade virtual e trazer à tona uma experiência totalmente imersiva.

Para que tudo isso pudesse funcionar, a IBM criou um software especialmente para o jogo, chamado VR Speech Sandbox, que combina Watson Unity SDK com dois outros serviços, Watson Speech to Text e Watson Conversation. Esses recursos são APIs responsáveis pela análise e interpretação do comando de voz, com capacidade de compreender a intenção da fala em linguagem natural.

Star Trek: Bridge Crew, estará disponível para PlayStation VR, HTC Vive e Oculus Rift no final do ano. A produção está sob os cuidados da Red Storm Entretainment, que auxiliou no desenvolvimento de jogos como Far Cry 3 e The Division. A ideia aqui é usar o dispositivo de realidade virtual para interagir com outros membros e controlar a sua nave enquanto explora o Universo.

Caso esteja curioso, aqui está uma amostra do que está por vir:

E se você tem medo do que novas tecnologias podem trazer para o futuro, como diria o sábio capitão Spok: “Mudança é o processo essencial de toda a existência” (Change is the essential process of all existence).

* Por Gabriela Almeida

Leia mais sobre TI+Simples
By comunica@br.ibm.com on 26 de novembro de 2021

Pesquisa IBM: consumidores se preocupam com sustentabilidade, mas rapidez e conveniência prevalecem nas escolhas diárias de transporte

Para entender melhor as atitudes dos consumidores e identificar potenciais barreiras em torno da mobilidade sustentável, a IBM pesquisou 1.000 consumidores adultos residentes em cada uma destas cinco cidades: Chicago, Londres, Munique, Roma e São Francisco.

Continuar lendo

By comunica@br.ibm.com on 24 de novembro de 2021

Novos artistas e talentos da produção cinematográfica podem ser descobertos graças ao IndieVerse.art e IBM Cloud

Através de uma abordagem de nuvem híbrida, a nova plataforma permitirá a artistas independentes de todo o mundo se conectarem com outros profissionais, marcas e produtoras para colaborar e encontrar oportunidades de trabalho.

Continuar lendo

By comunica@br.ibm.com on 23 de novembro de 2021

O futuro dos bancos: como se antecipar ao consumidor digital nativo

Conheça os princípios base para que as instituições financeiras atendam às experiências esperadas pelos nativos digitais e que requer arquiteturas abertas, híbridas (usando nuvem e seus próprios data centers) e que usam IA para escalar suas operações.

Continuar lendo