IBM Hoje

IBM: uma empresa em constante reinvenção

A IBM é uma companhia de soluções cognitivas na nuvem, que está presente há mais de 100 anos no Brasil e hoje passa por uma das maiores reinvenções de sua história. Inaugurou o que chamamos de terceira era da computação, liderada por plataformas cognitivas, que processam e extraem insights de grandes volumes de dados – como textos, áudios, vídeos, imagens, posts em redes sociais –, aprendem em linguagem natural e raciocinam de forma muito semelhante ao ser humano.

Em outras palavras, a IBM é uma companhia de inovação. E a principal aliada para promover inovações é a tecnologia. Além da inteligência artificial, a empresa constroi soluções com as tecnologias mais inteligentes do mercado, como internet das coisas, blockchain, dentre outras. Aliás, sempre com as melhores ferramentas de segurança da informação que existem. Essas soluções transformam o funcionamento dos negócios e da sociedade. E são criadasna nuvem, que hoje é a base para qualquer inovação, porque é um ambiente ágil, escalável e flexível.

Em 2017, pela 25ª vez consecutiva, a IBM liderou em patentes registradas, tornando-se a primeira empresa a quebrar a marca de 8.000 em um ano. A companhia está presente em mais de 170 países e conta com um quadro de cerca de 380 mil funcionários distribuídos pelo globo. Esses 100 anos no Brasil e mais de 107 anos de vida foram movidos por um grande e único propósito: desenvolver e aplicar tecnologias em favor do progresso do país e de toda a sociedade.

Diversidade e inclusão fazem parte da cultura IBM desde sua fundação. Não à toa, foi a primeira empresa a contratar um colaborador especial e a aceitar a união de pessoas do mesmo sexo, por exemplo.

FATOS LEGAIS SOBRE A IBM NO BRASIL

  • A IBM Brasil foi a primeira sucursal da companhia no mundo graças a um santista empreendedor que, em 1917, foi ao escritório do até então presidente da IBM e o fez uma proposta para representar a empresa no Brasil;
  • Foi responsável pelo censo demográfico de 1920. Foi a primeira contagem automática de dados da população na história do país;
  • Em 1970, um ano depois que os EUA lançaram a internet, a IBM Brasil implementou um sistema que integrou contas e melhorou o processamento de dados bancários no país;
  • A transformação da IBM em uma empresa de serviços afetou fortemente a IBM Brasil, que criou o Centro de entrega global em Hortolândia no final dos anos 90 e inaugurou um centro de comando em 2005 para atender clientes do Brasil e de outros continentes. Durante vários anos, a IBM tem sido líder em serviços de exportação no país.
  • Lançou o IBM Research Brasil em 2011. Foi seu 9º laboratório no mundo e o primeiro no hemisfério sul. O laboratório vem desenvolvendo novas tecnologias para clientes no Brasil e em todo o mundo.
  • A IBM Brasil está transformando empresas de todos os tamanhos e indústrias com a Watson. O país possui mais de 40 referências públicas sobre computação cognitiva desde startups até grandes empresas.
  • Em 2017, a IBM Brasil tornou-se uma empresa centenária.
  • Em 2017, a IBM Brasil lançou o Garagem 11.57: espaço projetado para acelerar a entrega de projetos com IBM cloud, cognitive e blockchain com uma metodologia e um conjunto de práticas que ajudam rapidamente os clientes a inovar.
  • Em 2017, abriu no país o Nanolab, laboratório que procura unir as capacidades de construção de protótipos de nanotecnologia com a Internet das coisas (IoT) e a computação em nuvem. O espaço é uma espécie de incubadora para reunir físicos, engenheiros e cientistas da computação, que trabalharão juntos para desenvolver essa nova ciência.

 

O PASSADO:

Quem conhece sabe que a IBM é uma companhia que se reinventa constantemente. Para se ter uma ideia, passou pelo cartão perfurado, pelas máquinas de escrever e pelos computadores pessoais. Lançou o conceito do e-business, que mudou o comportamento de compra online nos consumidores. Inaugurou a era on-demand, que deu flexibilidade e aumentou significativamente o acesso a serviços de tecnologia por todos os segmentos de mercado. Iniciou uma discussão com a sociedade sobre a aplicação da tecnologia para o desenvolvimento de cidades mais inteligentes, com sistemas mais eficientes de segurança pública, trânsito, educação e saúde.