Destaques da IBM no CIAB 2018

A IBM estará mais uma vez no CIAB Febraban com muito conteúdo e experts de diversas áreas que tocam a jornada de Reinvenção Digital das instituições financeiras: Cloud Híbrida, Inteligência Artifical, Backoffice Cognitivo, Blockchain, Segurança e Computação Quântica.
 
Confira os principais temas que serão levados pela empresa ao evento!
 
O cenário do setor financeiro

– Mudanças nos comportamentos e expectativas dos clientes, impulsionados pelas experiências em outros setores.

– A expansão de canais, plataformas de parceiros digitais, de novas soluções em nuvem e aceleração das violações de segurança e fraudes.

– Necessidade de cumprimento de regulamentações e conformidades. Espera-se que a indústria tenha 300 milhões de páginas de regulamentações até 2020, com mais de 20.000 novos regulamentos e mais de US$ 300 bilhões em multas e penalidades desde 2008.

– Instituída pelo Bacen em abril de 2018, a resolução BACEN 4658 sobre Segurança Cibernética e Computação em Nuvem determina as regras de armazenamento de dados em Cloud pelas instituições financeiras brasileiras e é aplicável a todos os tipos de Cloud, definindo requisitos para a contratação de serviços de processamento e armazenamento de dados e de computação em nuvem dentro e fora do país. Oficialmente agora o BACEN permite a utilização de Cloud com datacenter fora do Brasil, abrindo um leque de oportunidades para que clientes utilizem novas tecnologias em Cloud, e fora do País. Só os grandes players têm condições de cumprir com as características exigidas e, em alguns casos, nem os grandes. A IBM foi um importante personagem nessa discussão. Acompanhamos de perto e desde o início, levando a visão da IBM que o acesso restrito aos dados pelo cliente é um fator de segurança e diferenciação.
 

Cloud Híbrida

– Dentre todos os setores, o setor bancário é o mais agressivo na adoção da nuvem, respondendo por 16% do total de gastos globais em nuvem. Até 2019, os gastos com a nuvem devem se aproximar de US$ 100 bilhões. Em uma recente pesquisa do IBM Institute for Business Value, os bancos relatam uma intenção clara de manter muitas cargas de trabalho em servidores dedicados no local. Eles citam a falta de skills internos para trabalhar com a nuvem, desafios regulatórios e preocupações de segurança entre suas principais razões.

– Com o ambiente de soluções locais e na nuvem, o desenvolvimento de estratégias robustas e uma governança eficaz é essencial para gerenciar de maneira lucrativa as soluções de nuvem híbrida do setor bancário. A nuvem híbrida e com gerenciamento multi-cloud fornece uma solução personalizada. Em uma abordagem híbrida e multi-cloud, uma nuvem local pode ser otimizada para disponibilidade operacional e estabilidade, enquanto nuvens fora da empresa podem ser aproveitadas pela velocidade e agilidade essenciais para enriquecer o engajamento do cliente.
 

Inteligência Artificial no Setor Financeiro

A IA pode ser aplicada de diversas formas no setor financeiro. Alguns exemplos:

– Atendimento ao cliente (Bradesco, Banco do Brasil e Banco Original já usam essa modalidade).

– Consultor financeiro: Watson interage e engaja em conversas sobre transações complexas da indústria como um consultor. Ajuda, por exemplo, a um cliente a decidir sobre uma melhor aplicação financeira para seu perfil.

– Análise e Personalização: uso do Watson para analisar as necessidades dos clientes, melhorar as interações com eles e processar uma grande quantidade de dados financeiros, econômicos e pessoais. A capacidade de análise e aprendizagem do Watson ajuda a fornecer serviços bancários mais simplificados, experiências de agência intuitivas e serviços bancários personalizados. Seu uso traz benefícios tanto no back office, no apoio aos funcionários das instituições (mais informações abaixo), como no engajamento direto com os clientes.
 

Aplicações com PowerAI:

– Detecção de fraude com PowerAI: o uso do deep learning para análise de fraudes vêm sendo muito utilizado, tanto para identificar fraudes em assinaturas/ documentos, quanto em comportamentos anômalos em sistemas/lugares/operações. Quanto mais você treina o sistema, mais acuracidade ele traz na análise de fraudes – superando a capacidade que o ser humano tem, por exemplo, de identificar uma assinatura falsa em um cheque.

– Reconhecimento visual com PowerAI: uma solução de reconhecimento visual, usando deep learning, pode trazer muito mais segurança para as empresas e seus clientes. Reconhecendo uma face oclusa, por exemplo, o sistema pode disparar alertas de perigo potencial, bloquear ações em ATMs, entre outras ações de mitigação de risco.

É possível também treinar padrões para identificar o comportamento em uma agência bancária, por exemplo. Identificando pessoas em pé, deitadas, armas, e até mesmo pessoas procuradas pela polícia, pode fazer com que, no momento de identificação de algum objeto ou comportamento anormal, autoridades sejam comunicadas e/ou sistemas bloqueados, agilizando assim a assistência em casos de tentativas de assalto.
 

Backoffice cognitivo

– A disrupção digital, o aumento dos custos de mão-de-obra, as pressões geopolíticas e a redução da oferta de talentos exigem uma nova abordagem das operações e processos empresariais, em grande escala. A IBM apresenta uma abordagem inovadora e integrada para mais do que automatizar, desenvolver capacidades cognitivas no backoffice das instituições financeiras: a IBM Automation Platform for Digital Business.

As categorias de processos de negócios mais automatizáveis ​​são as que têm o trabalho mais transacional e volume. Exemplos:

  • Processamento de contas a pagar e despesas
  • Folha de pagamento
  • Gestão de contratos de serviço ao cliente: Seguros, concessão de crédito

 

Blockchain

– Blockchain é uma tecnologia que permite, através de técnicas criptográficas, agilização de transações complexas. A tecnologia está baseada em 4 fundamentos: o registro compartilhado das transações (ledger), o consenso para verificação das transações, um contrato que determina as regras de funcionamento das transações e finalmente, a criptografia, que é o fundamento de tudo.

– O que é Hyperledger? Em 2016, a Linux Foundation criou o projeto Hyperledger, com o objetivo de criar um padrão aberto cross-industry para o desenvolvimento de tecnologias utilizando blockchain. São mais 230 membros das mais diferentes indústrias, incluindo IT, Finanças, Saúde e Transporte. Este consórcio tem a função de desenvolver projetos open source em torno da tecnologia blockchain. Um destes projetos é o Hyperledger Fabric, que é a rede blockchain corporativa utilizada pela IBM para implementação de soluções de negócios com seus clientes.

– Toda a lógica das transações de blockchain é baseada em criptografia. Esta garante segurança, autenticação nas transações e a rastreabilidade destas transações. De forma bem simplória, tudo gira em torno da troca e do processamento de chaves criptográficas em conjunto com as aplicações de negócio.

– A IBM está trabalhando ativamente com centenas de clientes para desenvolver casos de negócios blockchain em todos os setores. A IBM é um dos principais membros do Hyperledger Project da Linux Foundation, um projeto colaborativo entre setores para criar um blockchain adequado para negócios. É open source, permite governança, viabilizando transparência regulamentar.

– Para o segmento financeiro o Blockchain já esta sendo usado em situações onde é necessário assegurar confiança em cadeias de processos de negócios, que podem envolver:

– troca de carta de crédito com finalidade de importação e exportação;
– comercialização de títulos;
– controle de contratos para clientes;
– resolução de disputas;
– auditoria e compliance;
– transações inter fronteiriças;
– transferências interbancárias.
 

Computação Quântica

– A Computação Quântica, a partir de fenômenos da Física Quântica como superposição e emaranhamento, oferece uma lógica de processamento da informação diferente, que permite acelerar muitos dos problemas que são verdadeiros obstáculos para a computação clássica. Computadores Quânticos processam informação através de bits quânticos, ou qubits, que podem processar muito mais possibilidades simultâneas de um problema, uma vez que os qubits podem assumir estados complexos em que são 0 e 1 ao mesmo tempo. Eles são controlados a partir de algoritmos quânticos, também diferentes das linguagens conhecidas de programação clássica.

– A IBM lançou em 2016 a “divisão de pesquisa IBM Q”, que leva a computação a um novo patamar. Enquanto na forma clássica é preciso testar os resultados um a um, até encontrar a solução do problema, o IBM Q analisa as possibilidades simultaneamente, além de o poder de processamento dobrar a cada qubit acrescentado ao processador. O segmento financeiro que trabalha com oceanos de dados e exige os recursos mais avançados de encriptação e segurança tecnológica é uma área que pode ser muito beneficiada com esta nova tecnologia, no futuro. Com a Computação Quântica, será possível:

– acelerar tempo de busca de informações em bancos de dados;

– acelerar algoritmos de machine learning, o que poderá impactar em soluções de inteligência artificial;

– desenvolver formas muito mais seguras de encriptação;

– resolver problemas complexos de otimização que impactam nas decisões de negócio, que dependam de muitas variáveis.

 

PORTA VOZES IBM NO CIAB

Marcelo Braga – Vice-Presidente de Cloud da IBM Brasil
João Rocha – Diretor de Segurança da Informação da IBM Brasil
Ricardo Barbosa – Vice-Presidente LA Digital Strategy & iX
Mirian Cruz – Líder de Soluções para a Indústria Financeira
Wagner Baccarin Arnaut (Tuba) – Distinguished Engineer, CTO IBM Cloud Brasil
Mauricio Magaldi – Blockchain Services Leader IBM América Latina
Fabio Marras – IBM CTO Finanças
Luis Liguori – CTO da IBM Brasil

 

Confira a agenda:
tabela