Be Equal

Mulheres na Tecnologia: Pesquisadora na IBM Research

Compartilhe:

Pesquisadora no laboratório da IBM Research, conheça a trajetória e história de Maysa Macedo e saiba mais sobre como é o dia a dia trabalhando na área.

Pesquisadora no laboratório da IBM Research, conheça a trajetória e história de Maysa Macedo e saiba mais sobre como é o dia a dia trabalhando na área.

Meu nome é Maysa e sou Pesquisadora no laboratório da IBM Research situado no Brasil.

Sou filha de pais que não chegaram à universidade, mas que dão muito valor à educação. Lembro-me, como se fosse hoje, de uma cena na cozinha de casa em que meu pai me dizia que eu iria fazer faculdade. E a partir daquele momento, comecei a arquitetar como eu conseguiria cumprir aquela espécie de profecia.

Depois de um terceiro ano de muito estudo, consegui ingressar em uma universidade pública e fiz bacharelado em Informática, com 7% de mulheres no curso. Nos últimos meses da faculdade, alguns professores nos informavam dos processos seletivos para mestrado. Fiquei muito animada, já que eu gostaria de continuar estudando temas do meu interesse em computação e, ao mesmo tempo, de ter alguma independência financeira.

Para o mestrado, na dissertação desenvolvi um método computacional para vetorizar moldes de roupas em fotos digitais, de forma que seria possível reajustar o tamanho desses moldes automaticamente. Já no doutorado, me especializei em imagens médicas; minha tese foi criar um método para rastrear vasos sanguíneos em imagens 3D de ressonância magnética e de tomografia computadorizada.

Realizar esse percurso não foi fácil, mas fui construindo passo-a-passo o conhecimento para realizar as tarefas que hoje me são solicitadas na IBM Research. Para realizar tarefas um pouco mais complexas precisamos estudar, treinar, experimentar, antes de realizá-las com algum nível de qualidade.

Para efeito de comparação, podemos usar a bailarina como exemplo: apesar de possuir muito talento, precisa treinar muitas horas diariamente para realizar os passos programados a cada novo espetáculo. E o meu dia a dia como pesquisadora é assim: a cada novo projeto estudo, experimento  e entrego soluções que vão em busca da inovação.

O dia a dia como Pesquisadora na IBM Research

A IBM Research é um braço de pesquisa da IBM, e tem como principal objetivo promover avanços na fronteira do conhecimento em computação. Como é um setor que busca desenvolver materiais, métodos e sistemas totalmente inéditos, é esperado que seus profissionais possuam experiência em inovação, logo, é muito comum que os funcionários possuam mestrado ou doutorado.

Os projetos podem surgir de uma demanda interna vinda de outras áreas da IBM, de clientes externos ou até uma demanda científica de forma mais exploratória. Dado um problema a ser resolvido, buscamos na literatura artigos científicos publicados sobre o mesmo tema e tentamos avançar no desenvolvimento de novos materiais, métodos ou sistemas a partir do que já foi proposto até o momento.

Pesquisadora no laboratório da IBM Research, conheça a trajetória e história de Maysa Macedo e saiba mais sobre como é o dia a dia trabalhando na área.

Durante esse desenvolvimento, tentamos provar hipóteses e/ou responder a perguntas de pesquisa por meio de experimentos ou provas matemáticas.

Dentre os projetos que participei do desenvolvimento, cito o de contagem automática de árvores em fazendas usando imagens de drone [1] e métodos de aprendizado de máquina; identificação de tipos de plantação (soja, milho, algodão, etc) em fazendas usando imagens de satélite e redes neurais recorrentes [2]; e identificação automática de placas de cálcio com redes neurais convolucionais usando imagens ópticas das artérias coronárias que envolvem o coração [3].

Mais recentemente, tive o privilégio de gerenciar um projeto da iniciativa IBM Research – Tech for Justice, onde estudamos vários aspectos que envolvem a conexão entre empresas de tecnologia e profissionais sub-representados, seja por redes sociais, seja por anúncios de emprego [4]. Esse projeto envolveu questões sociais, me trouxe novos conceitos e foi possível fazer novas conexões profissionais, o que foi muito gratificante para mim.

Além do desenvolvimento de novas soluções, nós utilizamos uma parte do nosso tempo para registrar nossos resultados por meio de artigos científicos e patentes. Aliás, a IBM é líder em patentes há 28 anos. O blog TI +simples fala sobre esse assunto aqui.

Uma das grandes vantagens dessa carreira é a possibilidade de publicar artigos científicos. A cada novo projeto dentro da empresa, podemos mostrar à academia e à sociedade em geral nosso trabalho e assim obtermos um reconhecimento externo e não somente dentro da empresa.

Saiba mais

Se você ficou interessada pela carreira de Pesquisadora e gostaria de ingressar nessa ou em outras áreas, se inscreva no nosso banco de talentos.

Acompanhe os posts da série #Mulheres na Tecnologia aqui no blog!

Vamos conversar

Entre em contato com um representante da IBM.

Pesquisadora-cientista na IBM Research

Leia mais sobre

Mulheres na Tecnologia: Pesquisadora na IBM Research

Pesquisadora no laboratório da IBM Research, conheça a trajetória e história de Maysa Macedo e saiba mais sobre como é o dia a dia trabalhando na área. Meu nome é Maysa e sou Pesquisadora no laboratório da IBM Research situado no Brasil. Sou filha de pais que não chegaram à universidade, mas que dão muito […]

Mulheres na Tecnologia: 5 Carreiras em RPA

Neste terceiro post da nossa série Mulheres na Tecnologia, você conhecerá as carreiras que existem dentro da área de RPA e como começar seus estudos. História pessoal: a trajetória de uma Customer Success Manager em Automação Eu, Gisele Consoline, Customer Success Manager em Automação na IBM, vou compartilhar um pouco da minha carreira com vocês. […]

Mulheres na Tecnologia: Cientista de Dados

Neste segundo post da nossa série Mulheres na Tecnologia, você conhecerá o trabalho de uma cientista de dados dentro da consultoria e verá como começar seus estudos nessa área. História pessoal e cenário: a trajetória de uma cientista de dados Eu, Bruna Meneguzzi, consultora e cientista de dados na IBM, vou contar para vocês um […]