Avançar para a área de conteúdo

Segurança Pública Mais Inteligente

Em 2050, cerca de três quartos dos habitantes do planeta estará vivendo em cidades. A segurança pública será para eles um fator chave na determinação de onde vão viver.

Perspectiva Histórica do Departamento de Polícia de NY.

Public Safety

NYPD, Nova York

Muitas vezes, o que leva à solução de um crime é um detalhe insignificante. Um apelido. Um ticket de estacionamento. Um antigo endereço. E são detalhes como esses – bilhões deles – que povoam o banco de dados do New York City Real Time Crime Center (RTCC).

Nova York é hoje a grande cidade mais segura nos Estados Unidos, um exemplo de como as cidades estão se tornando mais inteligentes em matéria de segurança pública.

A IBM trabalhou com o NYPD para criar um megabanco de dados que pudesse reunir todas as informações enterradas em arquivos metálicos, fichários e notas manuscritas. Hoje o RTCC reúne mais de 120 milhões de queixas criminais na cidade, 31 milhões de registros de crimes nacionais e 33 bilhões de informações públicas... só para citar algumas.

Métodos sofisticados de análise de dados e recursos de busca estabelecem conexões através de múltiplos bancos de dados. As informações podem ser visualizadas, em segundos, em uma tela de vídeo com a altura de dois andares: a foto de um suspeito aparece com detalhes – tatuagens, delitos anteriores, endereços com mapas – rapidamente. Dados críticos podem ser enviados instantaneamente aos policiais na cena do delito. O que antes levava dias, agora é feito em minutos.


 
Lições de um ataque terrorista: Madri, Espanha

Watch the video about how Madrid created the Integrated Security and Emergency Centre with the help of IBM SOA technology. The center enables Madrid to better respond to public safety threats in real time. Do outro lado do Atlântico, em Madri, especialistas observam uma grande bancada de telas, só que esta mostra imagens computadorizadas e em vídeo com o objetivo de coordenar serviços de resposta a emergências. Esta é a central do Centro Integrado de Segurança e Emergência de Madri, que coordena os recursos e ações da polícia, bombeiros, polícia rodoviária, fones de emergência e ambulâncias, entre outras coisas. A parede de 30 metros, cheia de telas, exibe vídeos de tráfego a partir de câmeras de vigilância, mapas com dados de GPS e a situação e localização da equipe de apoio.

O Centro foi criado após o ataque terrorista a trens em 11 de março de 2004, que deflagrou uma resposta médica rápida e maciça, mas um tanto descoordenada. As comunicações de rádio tinham frequências incompatíveis e a comunicação com a cena ficava limitada aos contatos pessoais ou telefone. Hoje, o Centro coordena uma resposta rápida e integrada das equipes certas para uma ampla variedade de emergências.

Video not available.

Video not available.

Javascript is not enabled in your browser.

Flash 9 or later is required. Also Javascript must be enabled in your browser. While lower bandwidth connections are supported, you might experience delays while video is being buffered on dial-up connections. A non-Flash version is also available.


 

Manter as nossas cidades seguras é um fator crítico para sua viabilidade econômica

A área pública está adotando os mesmos avanços tecnológicos que as empresas vêm usando – recursos autonômicos do tipo ‘perceber e responder’, analítica, visualização e modelagem por computação – para tornar os nossos sistemas de segurança pública mais inteligentes, procedendo a uma mudança fundamental, pela qual se deixa de apenas responder a eventos e se passa a prevê-los e evitá-los, sempre que possível.

As 10 cidades mais seguras em 2008.

Chicago, Estados Unidos: vigilância em toda a cidade
A IBM está ajudando a cidade de Chicago a desenvolver a Operação Escudo Virtual (US), um dos mais avançados sistemas inteligentes de segurança envolvendo uma cidade inteira. Inclui vigilância por vídeo em larga escala e incorpora recursos de reconhecimento de placas de veículos, pesquisa avançada e análise de tendências.

Finlândia: envolvimentos militares mais inteligentes
As Forças Armadas Finlandesas (US) participam de missões de paz, como em Kosovo e no Afeganistão. Eles precisavam melhorar a coordenação e agilidade dos seus sistemas de informação e possibilitar um “quadro operacional único” aos seus diferentes escalões. Com a ajuda da IBM, eles desenvolveram um centro com base em SOA (Arquitetura Orientada a Serviços) que melhorou de maneira significativa a sua flexibilidade para se adaptar à natureza complexa e ambígua das operações militares de hoje.

Colômbia: frente unida contra o crime organizado
A Unidade de Análise de Informações Financeiras do Governo colombiano trabalhou com a IBM para desenvolver uma ferramenta que pudesse coletar sistematicamente informações através de diferentes agências e analisá-las para identificar crimes potencialmente relacionados entre si. O sistema, de base em SOA, junta 16 entidades do Governo em uma única frente de combate ao crime organizado.