Voltar ao início

Notícias

Estudo IBM: Qual é a sua personalidade digital?

Lisboa, 17 de abril de 2012

Um novo estudo da IBM sobre o mercado dos Media e Entretenimento revela que a utilização massiva de dispositivos móveis, de diferentes marcas, modelos e funcionalidades, está a dar origem a quatro "personalidades digitais" distintas. Esta alteração sociológica está a obrigar as empresas a adotar modelos de negócio mais inovadores que proporcionem experiências personalizadas.

O estudo "Além do Digital" traça o retrato de uma audiência em rápida mutação, que está a adotar, a um ritmo vertiginoso, uma ampla variedade de dispositivos digitais. E, ao contrário da crença popular, a maioria não são jovens. Por exemplo, 65% dos inquiridos entre os 55 e os 64 anos dizem navegar na Web e trocar SMS com os amigos enquanto veem televisão. E de entre os consumidores com mais de 65 anos, 49% navega na Web e 30% troca SMS. Por outro lado, 82% dos ​​consumidores entrevistados globalmente, entre os 18 e os 64, usam dispositivos digitais com ligação à Internet.

Além disso, os consumidores, tanto na China como nos EUA, afastam-se cada vez mais das formas tradicionais de media (TV, radio, imprensa), sendo que mais de 50% confessa usar as fontes online para saber das últimas notícias.

As novas personalidades

Os consumidores de hoje exigem um acesso imediato a conteúdos personalizados e definidos por eles. Com o aumento do uso de dispositivos digitais, os modelos de comunicação e distribuição de conteúdos deixou de ser viável.

De acordo com o estudo da IBM, a maioria dos utilizadores enquadram-se numa de quatro personalidades emergentes:

• Efficiency Experts: 41% dos consumidores pertencem a esta categoria – utilizam dispositivos e serviços digitais para simplificar o dia a dia. Os Efficiency Experts enviam emails em vez de cartas, usam o Facebook para comunicarem uns com os outros, acedem à Internet através do telemóvel e fazem compras online.

• Content Kings: São geralmente do sexo masculino, têm por hábito aceder a jogos online, fazem download de filmes e de música e assistem a televisão online. Os Content Kings representam 9% da amostra global.

• Social Butterflies: Colocam ênfase na interação social – requerem uma ligação imediata aos amigos, independentemente da hora e do lugar. 15% dos consumidores inquiridos relataram que mantêm e atualizam frequentemente os perfis nas redes sociais, adicionam tags e descrições em fotos online e veem vídeos de outros utilizadores.

• Connected Maestros: 35% dos inquiridos têm tendência para o consumo de conteúdos dos media através de dispositivos móveis e aplicações para smartphones de forma a aceder a jogos, música e vídeos ou para verificar notícias, meteorologia, as últimas do desporto, etc.

"As empresas de media precisam de se relacionar com os consumidores tendo por base as suas personalidades digitais, se quiserem manter um relacionamento duradouro e conectado", alertou Saul Berman, da IBM Global Business Services e co-autor do estudo. "Com a utilização generalizada dos dispositivos digitais, as empresas podem agora melhorar, ampliar ou redefinir a experiência do cliente em poucos minutos, devido a um fluxo constante de dados recolhidos em tempo real através dos media. O sucesso destas empresas depende da forma como analisam e utilizam esses dados, para atingir o consumidor certo, na hora e lugar certos, usando as ferramentas certas."

De acordo com o estudo da IBM, as plataformas para o pagamento de conteúdos das empresas de Media e Entretenimento precisam ser flexíveis e escaláveis, para permitir uma abordagem diferente sobre os preços praticados, de forma a atrair consumidores com diferentes características. A necessidade de flexibilidade nas opções de pagamento, mesmo para o mesmo conjunto de consumidores, é evidente, ao olhar para os que são mais ativos na adoção de novos dispositivos. A modalidade de pagamento preferida deste grupo para assistir a um vídeo online é através da visualização de publicidade que anteceda o filme (39% deste segmento escolheram esta opção), enquanto outros preferem ver filmes num tablet através do pagamento de uma assinatura (escolhido por 36%). Mas para assistir a filmes num smartphone, já preferem pagar por tempo de utilização (escolheram esta opção 36% dos inquiridos).

A IBM entrevistou 3.800 consumidores em seis países – China, França, Alemanha, Japão, Reino Unido e Estados Unidos – e representantes mundiais de empresas de transmissão e publicação de conteúdos, bem como agências de comunicação, para avaliar os comportamentos de consumo digitais.

Fotos em http://photos.prnewswire.com/prnh/20120416/NY84152

Para informações adicionais e entrevistas contacte por favor:

Artur Rodrigues
Comunicações Externas e Relações Institucionais
IBM Portugal
Tel.: (+351) 218 927 798

Catarina Cristão
Media Relations
SYS Projects
Tel.: (+351) 218 927 513


Nota: Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico

Navegação pelos conteúdos

Links relacionados

Links relacionados (US)