Gerenciamento de Projetos Scrum com o IBM Rational Team Concert Versão 2: Parte 3. Usando a interface da web

A interface da web fornece acesso completo a todos os recursos sem a necessidade de instalar software cliente

Este tutorial fornece instruções atualizadas para o uso da interface da web fornecida pelo IBM® Rational Team Concert™ Versão 2.0.0.2 e do novo modelo Scrum Process para planejamento e gerenciamento de projeto scrum.

Thomas Starz, Software Developer, IBM Corporation

Thomas Starz photoThomas Starz é desenvolvedor de software e instrutor de desenvolvimento Agile com o IBM Software Group, além de pertencer à equipe Tivoli Service Automation Manager. É mestre e profissional certificado em Scrum, usuário e fã do Rational Team Concert. Enquanto atuava como mentor e instrutor, ajudou diversas equipes a darem seus primeiro passos com o Rational Team Concert.



Millard Ellingsworth, Software Developer, IBM Corporation

Millard Ellingsworth photoMillard Ellingsworth, como membro do grupo Enterprise Content Management da IBM, desenvolve software e incentiva a adoção do desenvolvimento de software Agile. Em sua equipe, atua como scrum master, além de ser instrutor de Agile e líder de workshop.



30/Jul/2010

Visão Geral

Antes de iniciar

Antes de iniciar o uso do IBM® Rational® Team Concert™ para planejamento de scrum, assegure-se de que tenha um entendimento completo dos fundamentos de scrum e que entenda termos como Product Backlog, Story Points e assim por diante. Há uma breve introdução ao gerenciamento de projeto scrum no início de um artigo anterior.

Sobre esta série

A amplitude das capacidades de colaboração do IBM® Rational Team Concert™ pode tornar desafiador entendê-lo rapidamente e tirar o máximo proveito dele. Esta série de tutoriais ajuda os recém-chegados ao Rational Team Concert a tornarem-se produtivos rapidamente ao usá-lo para melhorar as capacidades de suas equipes.

Sobre este tutorial

Por algum tempo, equipes do scrum têm usado o Rational Team Concert para planejar e acompanhar seu trabalho. Ele fornece várias opções de UI que podem ser usadas a seu critério. Por exemplo, os desenvolvedores podem preferir clientes ricos, como Eclipse ou Microsoft® Visual Studio. Muitos outros interessados não desejam instalar softwares adicionais em seus sistemas, de forma que preferem interfaces da web. Com a Versão 2, as equipes do IBM® Rational® Jazz™ e do Rational Team Concert ofereceram melhorias significativas em suas interfaces da web, portanto agora elas fornecem todos os recursos que são necessários para o trabalho diário. A interface do Eclipse é descrita em um artigo anterior nesta série.

Objetivos

Este tutorial fornece instruções atualizadas sobre como criar e gerenciar um projeto scrum usando somente a interface da web do Rational Team Concert, ao invés da versão do Eclipse.

Pré-requisitos

Para seguir completamente todas as etapas neste tutorial, é preciso um servidor Jazz, Versão 1.0.0.2, com as capacidades do Rational Team Concert instaladas. Para algumas etapas também serão necessários direitos administrativos neste servidor. Para obter detalhes, consulte jazz.net.

Requisitos do sistema

Este tutorial usa o pacote Rational Team Concert V2.0.0.2 Standard Edition, transferido por download de jazz.net e instalado em um sistema local usando a configuração padrão com o servidor de aplicativos Apache Tomcat e um banco de dados Apache Derby. É preciso ter uma licença do servidor e pelo menos sete licenças de desenvolvedor instaladas, bem como direitos administrativos completos para realizar todas as etapas descritas. Seu servidor Jazz também deverá estar no sufixo nível 2 (por exemplo, 1.0.0.2), e é preciso usar o modelo do scrum fornecido com o Rational Team Concert 2.0.0.2. Se estiver usando uma versão anterior do Rational Team Concert, algumas coisas poderão ter aparência diferente ou não estarem disponíveis.

Para seguir este tutorial, é possível usar o download Express-C do Rational Team Concert, que inclui tudo o que é necessário, incluindo 10 licenças gratuitas de desenvolvedor e instruções fáceis de seguir para concluir as instalações do servidor e do cliente. O wiki no jazz.net mostra uma matriz de compatibilidade que ilustra qual software cliente poderá ser usado em uma certa versão do IBM® Rational® Jazz™ Team Server.


Introdução

Artigos anteriores nesta série usaram a interface de cliente rico baseada em Eclipse para trabalhar com o Rational Team Concert, mas este tutorial tem como foco a interface da web. A interface da web é particularmente útil para todos os interessados de um projeto que não desejam instalar um cliente rico para a ferramenta ou para aqueles cujas responsabilidades de trabalho possam afastá-los de sua estação de trabalho principal para locais onde tenham somente navegadores e conexões de rede.

Com o Rational Team Concert Versão 2.0, a interface da web foi melhorada, de forma que agora oferece a funcionalidade quase completa do Rational Team Concert para planejamento ágil. Antigamente, muitas funções estavam disponíveis somente usando a interface de cliente rico. Com a Versão 2.0, somente categorias de item de trabalho e a maioria da configuração do projeto devem ser definidas usando a interface de cliente rico.

Observação:
Durante todo este artigo, distinguimos entre interface da web (acessada usando um navegador) e interface de cliente rico (Eclipse ou Microsoft Visual Studio).

Este tutorial mostra como configurar a ferramenta e como criar um projeto inicial usando a interface web do Rational Team Concert 2.0.0.2.

Este tutorial é baseado no estudo de caso que Mike Cohn discutiu em seu livro intitulado Agile Estimating and Planning (consulte Recursos). Ele descreve uma pequena equipe que foi montada para desenvolver um novo jogo para computador chamado "Havannah". Este tutorial mostra como configurar o Rational Team Concert para refletir esta equipe e projeto e como a equipe cria planos e adiciona itens de trabalho a esses planos.


Configurar o repositório e os usuários do Rational Team Concert

Antes que possa realizar as etapas descritas neste tutorial, é preciso um Jazz team server (com capacidades do Rational Team Concert) instalado e disponível para uso (consulte Requisitos de sistema). Este tutorial presume que você tenha instalado seu próprio servidor Jazz e esteja iniciando do zero. Se não for este o caso, o comportamento inicial que terá poderá diferir ligeiramente do que é descrito aqui.

Efetue login em seu servidor Jazz

  1. Assegure-se de que seu servidor Jazz tenha sido iniciado.
  2. Direcione seu navegador para o URI de seu servidor Jazz.
    Ao usar a instalação de um servidor Jazz em seu sistema local, o URI poderá ser, por exemplo, https://localhost:9443/jazz/.
  3. Insira o ID de usuário e a senha correspondente.
    O ID de usuário inicial para um servidor Jazz recém-instalado é ADMIN, com ADMIN como senha (ambos diferenciam maiúsculas de minúsculas), a não ser que tenha desativado ADMIN e ativado um ID de usuário admin diferente durante o processo de instalação.

Observação:
Observe a letra "s" (minúscula) no "https" do URI, indicando que o Jazz está utilizando uma conexão segura. Dependendo de seu navegador, poderá ocorrer comportamento estranho se esquecer de incluir o s minúsculo. Note também que o certificado de segurança é autoassinado e deverá ser explicitamente aceito se estiver usando o navegador Firefox.

A tela mostrada na Figura 1 poderá ter aparência ligeiramente diferente, dependendo do navegador que usar (consulte jazz.net para ver uma lista de navegadores suportados).

Figura 1. Efetue login no servidor Jazz
Jazz server login screen

Ao efetuar o login pela primeira vez em seu servidor Jazz, você chegará à área de administração do servidor (consulte a Figura 2). Lá, poderá ser necessário realizar alguma atividade de ativação da licença, adicionar uma licença de servidor e licenças de ativação de cliente, bem como outras tarefas administrativas. Essas tarefas não são parte deste tutorial (apesar de estarem claramente descritas na documentação do software).

Figura 2. Primeira tela
First screen of Jazz login

Adicionar ou importar usuários

Como importar dados de usuários a partir do seu diretório do LDAP

Os usuários também podem ser importados a partir de um repositório de usuário externo (por exemplo, o seu servidor do LDAP corporativo). Para obter informações adicionais sobre como conectar o servidor da equipe a um diretório do LDAP, siga as instruções de LDAP Configuration for Newbies em Jazz.net.

A próxima ação é criar os usuários no Rational Team Concert. Os dados dos usuários são armazenados no repositório do Jazz, assim eles podem participar de mais de uma área de projeto e usar, potencialmente, outras ferramentas baseadas no Jazz que residam no servidor. Se você configurou o Jazz com um repositório de usuários externo (por exemplo, o seu diretório do LDAP corporativo), será possível importar usuários sem que seja necessário criá-los, como esclarece a barra lateral. No entanto, este artigo parte da premissa de que você usou o servidor de aplicativos Tomcat padrão e necessita criar usuários nesse novo repositório.

  1. Para criar um novo usuário, selecione a opção User Management na parte superior da janela.
Figura 3. Criando um novo usuário
Empty user list
  1. Para adicionar o primeiro usuário, clique no botão Create User.
  2. Insira as informações para o primeiro usuário.
    1. Como estamos seguindo o exemplo de Mike Cohn, o primeiro usuário é Sasha.
    2. Opcionalmente, é possível incluir uma foto.
    3. O endereço de e-mail é um campo obrigatório, assim o Jazz pode enviar uma notificação de e-mail sobre as diversas atividades da equipe. Para Sasha, digite sasha@bombshelterstudios.com
    4. A senha inicial do usuário é automaticamente definida igual ao ID do usuário, como destacado na parte superior da tela (consulte a Figura 4).
  3. Selecione o tipo apropriado de licença do usuário.
    1. As licenças Developer são obrigatórias para usuários que criam ou implementam modelos de processo, que criam áreas de projeto ou planos e que criam ou editam páginas associadas. Tais licenças também são apropriadas para os membros da equipe que contribuirão com o código e executarão as compilações.
    2. As licenças Build e IBM® Rational®ClearCase® Connector, normalmente, são atribuídas apenas para usuários administrativos.
    3. As licenças Contributor são uma boa opção para todos os usuários que necessitam de acesso somente à leitura ao repositório. Com tal licença, um usuário também pode criar itens de trabalho.
  4. Clique em Salvar.
Figura 4. Especificando os detalhes do usuário
User tab for Sasha with photo of young man

Dica:
Para simplificar o trabalho com este tutorial, Sasha também foi atribuído ao grupo Jazz Admins. Isto permitirá que ele modifique configurações para todos os usuários. Tipicamente, no entanto, os usuários não têm direitos de Jazz Admin.

Observação:
Os usuários precisarão configurar seus respectivos ambientes de trabalho e inserir suas ausências planejadas (consulte as guias na parte inferior da tela), a fim de que o tempo potencialmente gasto em um projeto possa ser devidamente calculado. Apresentaremos um exemplo mais adiante.

Para o projeto Havannah utilizado neste exemplo, será necessário incluir mais usuários do mesmo modo descrito para Sasha.

  1. Crie os outros usuários que farão parte da equipe do Havannah, ou seja, Allan, Delaney, Frank, Prasad e Rose. Para tanto, navegue de volta para a lista de usuários ativos, clique em Criar usuário e preencha as informações do usuário.
  2. Atribua-os ao grupo JazzUsers com licenças Developer.
Figura 5. Lista de usuários
List of active users after entering all names
  1. Também há a opção de criar contas de usuários para outros interessados, como Laura, a CFO, ou Phil, o CEO, que não contribuem para o projeto, mas precisam ter acesso ao Rational Team Concert para ver informações de progresso e status.

Observação:
Se estes usuários precisarem somente de acesso de leitura ao Jazz e não precisarem atualizar itens de trabalho ou planos, não é preciso atribuir uma licença de cliente a eles.

  1. Conclua clicando em Log Out na parte superior direita da tela (consulte a Figura 6).
Figura 6. Efetue logout
Small screen excerpt showing logout link

Agora, você concluiu as entradas como usuário ADMIN padrão. O modelo de segurança do Jazz concede privilégios administrativos básicos ao usuário no Jazz, mas não inclui nenhum direito especial em uma área de projeto específica. Por exemplo, o usuário ADMIN não pode implementar modelos de projeto ou criar e salvar planos em uma área de projeto, pois esta é uma tarefa do mestre do scrum ou proprietário do produto.

  1. Efetue logon novamente, mas como Sasha, usando suas credenciais de login (sasha e sasha, porque o padrão da senha é ser igual ao ID do usuário).
Figura 7. Efetue login no servidor Jazz novamente
Jazz server login screen
  1. Ao clicar em Log In, você estará conectado como Sasha, que é o scrum master dos Bomb Shelter Studios.

Criar uma área de projeto

A próxima ação é criar uma área de projeto, que servirá como contêiner para todos os planos, itens de trabalho e outras coisas relacionadas ao projeto que está sendo configurado.

  1. Para criar uma nova área de projeto, selecione Project Area Management na parte superior da janela.
  2. Na lista de áreas de projeto ativas (consulte a Figura 8), clique em Create Project Area.
Figura 8. Uma lista vazia de áreas de projeto
List of project areas
  1. Insira o nome da área de projeto e, opcionalmente, uma breve descrição.
  2. Ao criar uma área de projeto pela primeira vez, não existem modelos de processo definidos. Se este for o caso, clique em Deploy predefined process templates (consulte a Figura 9). Poderá levar algum tempo para que os modelos de processo sejam implementados em seu repositório.
Figura 9. Implementar modelos de processo
Link to deploy process templates
  1. Selecione o modelo Scrum Process, pois o exemplo mostra como gerenciar o projeto usando métodos scrum.

Observação:
Com o Rational Team Concert Versão 2.0.0.2, um novo modelo Scrum foi introduzido. Há também um modelo Scrum mais antigo (obsoleto). Assegure-se de selecionar o novo modelo.

  1. Clique em Salvar.
Figura 10. Criação de uma área de projeto usando o modelo Scrum
Create Project Area window

Poderá levar alguns minutos até que a área de projeto seja inicializada no servidor. Quando a ação estiver concluída, você verá uma tela similar à ilustrada na Figura 11.

Figura 11. A área de projeto para o projeto Havannah
Project area for the Havannah project

Na parte direita desta janela, é possível ver a hierarquia da área de equipe associada a este projeto. Como a equipe do Havannah é pequena, o novo recurso introduzido no Rational Team Concert 2.0.0.2 é explorado e nenhuma área de equipe explícita precisa ser criada.

Dica:
Normalmente, equipes maiores são compostas por várias equipes e subequipes. A tecnologia Jazz pode suportar de forma razoável grandes equipes com várias linhas de tempo e subequipes. É possível refletir a estrutura da sua equipe, incluindo no seu projeto tantas equipes e subequipes quanto apropriado.

Adicionar membros e especificar suas funções

Neste exemplo, Sasha criou a Project Area e tornou-se o administrador inicial (com autoridade para fazer qualquer alteração nela).

Figura 12. Administrador inicial
List of members and administrators for the project area

No entanto, a maioria das permissões para modificar a estrutura do projeto dentro do modelo Scrum Process pertence ao scrum master ou ao proprietário do produto. Como administrador, Sasha pode atribuir essas funções aos membros apropriados.

Os outros membros da equipe do Havannah agora são adicionados. Para pequenos projetos, você simplesmente adiciona todos os membros na área do projeto.

  1. Clique em Add no lado direito da linha "Members" (consulte a Figura 13.
  2. Como somente um pequeno número de usuários foi adicionado ao repositório para este exemplo, insira um asterisco (*) para exibir todos os usuários disponíveis.
  3. Selecione Allan, Delaney, Frank, Prasad, Rose e Sasha, pois todos eles trabalharão neste projeto.
  4. Clique em Add & Close.
Figura 13. Adicionar membros à área de projeto
Selection dialog to select members to be added
  1. Clique no ícone Show AllShow All icon na parte inferior da lista de membros para exibir a lista completa.
  2. Mova o mouse sobre cada usuário. No lado direito da linha, selecione o ícone para definir os Process Roles (duas pessoas pequenas).
Figura 14. Adicionar funções de processo
Action and selection dialog to select process roles
  1. Selecione a função de processo para cada usuário e adicione-a à lista de funções selecionadas.
    Frank é o proprietário do produto para o projeto. Sasha é o scrum master, mas também um programador, portanto, também será adicionado como um membro da equipe. Todos os outros usuários são membros da equipe para o projeto do Havannah.
  2. Clique em Finish.
  3. Clique em Save para salvar a área do projeto novamente.

Depois de salvar suas alterações, você verá a lista dos novos membros da equipe e será perguntado se deseja enviar-lhes um convite por e-mail. Se você tiver configurado o suporte a e-mail (quando configurou o servidor) e concordou com isso, os membros do projeto receberão uma mensagem de e-mail de boas-vindas, juntamente com os links e as informações necessárias para conectarem-se ao projeto.

  1. Como esses usuários são fictícios, você pode desmarcar todas as marcas de seleção. Caso contrário, selecione os usuários para os quais deseja enviar convites (consulte a Figura 15
  2. Clique em OK. (Este diálogo é somente para enviar convites por e-mail, portanto você pode cancelá-lo com segurança se não quiser que sejam enviados.)
  3. Se desejar enviar convites por e-mail, será apresentado um diálogo adiante onde será possível especificar o texto do e-mail (consulte a Figura 15).
Figura 15. Enviar convite para a equipe
Dialog to select and send team invitation

Descreva as linhas de tempo do release

A próxima etapa é planejar as linhas de tempo do projeto, o que significa especificar as datas de início e fim do release e dos sprints. Ao configurar a sua área de projeto, ajuste as datas apropriadamente. É adequado selecionar a data inicial no futuro.

Definindo linhas de tempo e iterações

Para equipes muito distribuídas, poderá ser uma opção fazer com que as iterações ocorram de domingo até o sábado seguinte, para ocupar todo o tempo decorrido.

Dica:
É necessário estar autorizado para fazer as alterações na área do projeto. O usuário que criou o projeto tem direitos de administrador e poderá fazer as alterações descritas nesta seção. Para configurar o seu próprio projeto, é necessário ser administrador da área de projeto ou um membro com a função scrum master ou proprietário do produto. Caso contrário, você receberá um erro de permissão negada ao tentar salvar as alterações nas linhas de tempo.

Na guia Timelines da janela da área de projeto (consulte a Figura 16), é possível ver as iterações de marcador de posição padrão que o modelo de processo estabeleceu ao ser criada a área de projeto.

  1. Clique na guia Timelines do editor da área de projeto.
  2. Em Defined Timelines, expanda Main Development e, a seguir, expanda Release 1.0.

Há somente uma linha de tempo Main Development para o projeto. Cada linha de tempo pode conter exatamente uma iteração ativa. Os decoradores triângulo azul pequeno no ícone do Release 1.0 e no ícone do Sprint 1 indicam o release e a iteração atuais.

Adicionalmente, um release Backlog foi criado. Ele não tem cronograma particular e está localizado no final da linha do tempo. Ele é adicionado para ser possível criar um Product Backlog independente de cronograma que contenha itens que não são inicialmente atribuídos (ou que poderão nunca ser atribuídos) a um release específico.

Observação:
O projeto do Havannah é um projeto simples para o primeiro release do produto. Portanto, as linhas de tempo criadas por padrão são suficientes no momento. Se o projeto tornar-se mais complexo (por exemplo, se releases futuros forem desenvolvidos com trabalho de manutenção paralelo para releases anteriores), as definições de linha de tempo tornam-se mais complexas.

  1. Selecione Release 1.0 e clique no botão Edit Properties para abrir a janela Edit exibida na Figura 16.
Figura 16. Especificação das linhas de tempo
Window showing timeline properties
  1. Mantenha o valor padrão em Iteration Type.
  2. O Identifier deverá ser exclusivo, mas é possível alterá-lo se for necessário.
  3. Defina as datas Start e End do release (veja a Nota); a seguir, selecione a caixa de opção "A release is schedule for this iteration" e clique em OK.
  4. Edite as propriedades das iterações de forma similar para refletir as datas inicial e final para seus sprints.
  5. Clique em Salvar.

Localize as tarefas atribuídas a você automaticamente

Algumas tarefas são criadas e atribuídas automaticamente à pessoa que cria a área de projeto.

  1. Para listá-las, saia da interface do Admin selecionando Project Areas na parte superior esquerda da janela.
  2. A seguir, selecione o projeto Havannah. Isto o moverá para o painel do projeto e alterará os itens disponíveis na barra de menu na parte superior da janela (a discussão de painéis não é parte deste tutorial).
  3. Clique em Work Items nesta barra de menu.
  4. A partir dali, execute a consulta predefinida "Open assigned to me". É possível seguir estas tarefas para personalizar sua área de projeto, fechando cada uma à medida que concluí-las.

Observação:
Como o acompanhamento do trabalho depende do tempo, as datas originalmente informadas pelo Rational Team Concert ao criar a área do projeto têm como base o momento em que estiver trabalhando neste exemplo. Inicie o release e a primeira iteração hoje ou em um dia no futuro próximo. Defina a data final do release para seis semanas, no mínimo. Cada sprint deverá durar de duas a quatro semanas. Em nosso exemplo, definimos sprints de duas semanas, de segunda a sexta-feira, tirando os dias não úteis.

Dicas:

É possível fazer alterações adicionais à área de projeto posteriormente. Para abri-la, navegue para a página Project Areas e selecione Manage Project Areas no extremo direito da página (Figura 17). Ou, se tiver direitos administrativos (como Sasha tem), navegue de volta à interface do Admin clicando em Admin na parte direita da barra de menu. Isto alterará a barra de menu novamente e oferecerá uma seleção de Project Area Management.

Figura 17. Link para Manage project areas
Selection to go to the user settings

Esta seleção está sempre disponível, mesmo se o usuário não tiver direitos administrativos. No entanto, tal usuário não será capaz de salvar uma área de projeto.

À medida que você se familiarizar com o Rational Team Concert, provavelmente desejará adaptar ainda mais a área de projeto às necessidades e processos de sua equipe (por exemplo, em virtude das discussões nas reuniões de Reflections). A área de projeto é amplamente configurável; no entanto, esta é uma das poucas tarefas que só pode ser realizada na interface de cliente rico do Eclipse.

Especifique a disponibilidade do membro da equipe

Para que os cálculos de carga de trabalho sejam precisos, é importante que os membros da equipe ajustem sua disponibilidade e duração do dia de trabalho. Pode ser que membros da equipe tenham outras responsabilidades (além da equipe) que limitem sua participação ou que tenham férias planejadas. Outros, como o proprietário do produto, não contribui ativamente para o trabalho. Para equipes distribuídas, é benéfico quando membros da equipe adicionam seus feriados públicos e outras disponibilidades específicas do país.

Essas disponibilidades são ajustadas na página do usuário. Normalmente, espera-se que os próprios usuários mantenham essa área atualizada, no entanto, por ser parte importante do cálculo correto da Team Load, ela merece uma ilustração aqui.

  1. Para editar as configurações do usuário atual, clique no nome do usuário na parte superior da janela, voltado para a direita.
Figura 18. Editar as configurações para um usuário
Selection to go to the user settings
  1. Selecione a guia Work Environment (Figura 19).
  2. Ajuste o fuso horário e as configurações regionais.
  3. Ajuste os dias de trabalho e horas padrão de expediente.
  4. No lado direito, mova o mouse sobre Main Development e clique em Edit.
  5. Ajuste a disponibilidade do usuário.
Figura 19. Editar o ambiente de trabalho para um usuário
Window and dialog for user's work environment

Visualização mais ampla da Figura 19.

Tipicamente, é responsabilidade de cada membro da equipe ajustar suas configurações. Neste exemplo, como Sasha tem permissões de repositório Jazz Admin, também poderá ajustar as configurações para outro usuário.

  1. Clique em Admin na parte superior direita da janela.
Figura 20. Vá para a interface do Jazz Admin
Selection to go to the admin interface
  1. Clique em User Management.
  2. A partir da lista de usuários ativos, selecione Frank.
  3. Dentro da guia Work Environment, ajuste a disponibilidade de Frank para 0%, pois ele é o proprietário do produto e não contribui com produtos de trabalho.
  4. Volte à lista de usuários ativos clicando em Active Users no lado esquerdo da janela (consulte a Figura 21).
  5. Rose disse que tirará dois dias de folga. Tipicamente, Rose informaria isto ela mesma em Scheduled Absences. Mas, neste tutorial, deixaremos que Sasha faça isto para ela, portanto ele clica no sinal de mais (+) para adicionar um tempo de ausência.
Figura 21. Editor de usuário para Rose
User editor for Rose
  1. No diálogo, insira dois dias de férias.
  2. Clique em OK.

Isso ajustará o número de horas em que Rose estará disponível para as atribuições do trabalho durante a iteração seguinte.

  1. Preserve as alterações clicando em Save.

Crie o Product Backlog para o projeto

Um dos artefatos mais importantes no método scrum é o Product Backlog. Portanto, as stories que são criadas durante o planejamento do projeto agora são preenchidas no Product Backlog. Três planos já foram criados automaticamente quando a área do projeto foi criada:

  • Um Product Backlog
    O Product Backlog é a lista completa de todos os itens de trabalho que foram coletados até o momento para este produto.
  • Um Release Backlog
    O Release Backlog é a lista priorizada de itens que estão planejados para um release. Tipicamente, os itens que pertencem a um release são selecionados no Product Backlog e movidos para um Release Backlog.
  • Dois Sprint Backlogs
    Um Sprint Backlog é criado para cada um dos dois sprints que foram definidos automaticamente quando a área do projeto foi criada. O Sprint Backlog contém a lista de itens que estão planejados para um sprint.

Os planos associados a um projeto podem ser acessados de várias formas.

Observação:
A barra de menu adapta-se ao contexto no qual estiver no Rational Team Concert. Apesar da opção de seleção Project Areas estar sempre disponível, ela poderá estar em diferentes posições na barra de menu, dependendo de suas atividades anteriores.

  1. Uma forma de acessar o Product Backlog é iniciar com Project Areas na barra de menu. Outra opção é selecionar a área de projeto a partir do menu suspenso Select a Project Area no lado direito superior da janela.
Figura 22. Lista de áreas de projeto
List showing the one available project area
  1. Selecione Havannah.

Observação:
Você verá o painel do projeto. Personalizar painéis não é parte deste tutorial.

  1. Selecione Plans a partir da barra de menu para ver a lista de planos atuais (Figura 23).

Estes são os planos que foram criados automaticamente ao inicializar a área de projeto com o modelo padrão Scrum Process. Note que, até agora, todos os planos estão vazios.

Figura 23. Lista dos planos para o projeto
List showing all available plans for the project

Note as diferentes representações dos planos. Para o Product Backlog, nenhum progresso foi acompanhado. Isto ocorre porque o Product Backlog destina-se a ser o contêiner para todas as ideias e itens de trabalho que poderão ou não entrar no produto no decorrer do tempo. Os itens de trabalho que realmente serão parte do próximo release serão colocados no Release Backlog.

Como um Release Backlog tipicamente contém epics e stories, o progresso é acompanhado em pontos. Finalmente, para um Sprint Backlog que contenha as tarefas que estão sendo realizadas e onde as tarefas são tipicamente estimadas em horas, o progresso é acompanhado em horas.

  1. Mova o cursor do mouse sobre o Product Backlog e clique em seu nome.
Figura 24. Product Backlog
Window showing empty plan

Inicialmente, um plano contém três páginas (ou guias): uma página Overview, onde é possível inserir informações sobre seu produto usando formatação no estilo wiki, a página Planned Items e a página Charts. Os gráficos poderão não estar disponíveis ainda, pois não há itens disponíveis no armazenamento de dados do Jazz.

Há várias formas de visualizar um plano, chamadas de modos de visualização. Por exemplo, para um plano de Release Backlog, existem, por padrão, quatro modos de visualização predefinidos a partir do menu suspenso "View as". Para excluir itens específicos da visualização, é possível usar o ícone Exclude no lado direito da janela. Também é possível editar modos de visualização existentes ou criar seus próprios. Para tanto, é possível usar o ícone Edit ou Copy. No entanto, tenha ciência de que todas essas modificações são válidas para todos os usuários do projeto.

Figura 25. Modos de visualização
Montage of screen captures showing filter capabilities

Dica:
Caso também queira visualizar tarefas (que são itens de execução) em um plano de backlog, assegure-se de marcar Always load all Execution Items. Para backlogs muito grandes, com um número grande de itens de execução, isto poderá não ser desejado devido a problemas de desempenho.

Para alterar as definições de um plano, clique no ícone Edit na lista de todos os planos (consulte a Figura 23, mostrada anteriormente).

Figura 26. Editar configurações de plano
Plan editor window

Preencha o Product Backlog com stories iniciais

Dentro da guia Planned Items do backlog, comece adicionando itens de backlog. Para o gerenciamento do projeto scrum, os itens no Product Backlog são denominados "stories" ou, quando maiores, "epics" (veja também os livros de Mike Cohn User Stories Applied ou Agile Estimating and Planning, mencionados em Recursos). No exemplo do Havannah, todos os itens estão redigidos como stories, assim você preencherá seu backlog com stories.

  1. Comece adicionando itens de backlog clicando no + (sinal de mais) no lado direito do plano.

Observação:
Também é possível usar o link "Click here to create a work item" (consulte a Figura 24 anterior) para criar um novo item do tipo de item de trabalho padrão para este plano. Para planos de backlog, o tipo padrão é tipicamente Story.

  1. Insira o resumo para o novo item, como mostra a Figura 27.
Figura 27. Adicionando itens ao backlog
Summary begins: 'As a player, I can play against….'
  1. Clique em Save e Close na parte superior direita da janela a qualquer momento para salvar seu trabalho.
  2. Adicione todos os itens adicionais conforme solicitado pelo proprietário do produto.

Dica:
Para adicionar itens de trabalho acima ou abaixo de um item existente, use os ícones Add Work Item Above ou Add Work Item Below. Add Work Item Above

  1. Depois que as stories forem adicionadas, a próxima etapa para a equipe é estimá-las. Insira Story Points usando os menus suspensos, conforme mostra a Figura 28 (veja também os livros de Mike Cohn, User Stories Applied ou Agile Estimating and Planning, mencionados em Recursos, pois uma discussão sobre estimativa e Story Points ultrapassa o escopo deste artigo).
Figura 28. Backlog com stories
Backlog with stories filled in

Observação
: As alterações feitas na visualização da lista são aplicadas imediatamente. Nenhuma ação "Save" explícita é necessária, diferentemente da interface de cliente rico, onde é necessário salvar explicitamente o backlog depois de tais alterações.

Preencher itens de trabalho no backlog

Apesar de realizar a maioria das atividades usando a interface da web, algumas coisas são um pouco mais convenientes na interface de cliente rico do Eclipse. Apesar de este artigo descrever intencionalmente todas as atividades com base no uso da interface da web, adicionar vários itens de uma vez, como é comumente feito durante o planejamento do release, é uma dessas atividades em que a interface do cliente é preferível. Posteriormente durante o projeto, quando somente um ou dois itens adicionais devam ser adicionados em certo ponto, a interface da web é bem adequada para realizar esta tarefa.

  1. A seguir, o proprietário do produto deverá definir prioridades a elas. Os valores disponíveis para o atributo Priority são High, Medium e Low. Para estimativas, é possível usar o menu suspenso para atribuir prioridades usando o (consulte a Figura 29).
  2. Em seguida, é necessário classificar os itens dentro das prioridades. Tal classificação é realizada arrastando os itens para ordená-los de forma apropriada dentro do grupo de prioridades. O sistema lembra-se da ordenação realizada com a ação de arrastar e soltar. Se você arrastar uma story (por exemplo, de prioridade média) para um grupo diferente e soltá-la entre duas stories de prioridades diferentes, o Rational Team Concert redefinirá automaticamente o valor da prioridade de modo a corresponder às stories vizinhas.
Figura 29. Definir prioridade para itens de trabalho
Drop-down menu shows list of available priorities

Dicas:

  • Em versões anteriores do Rational Team Concert V2, epics e stories eram os únicos tipos de item de trabalho para um Product Backlog. Esta restrição foi removida com o novo modelo Scrum Process fornecido na Versão 2.0.0.2.
  • Para organizar e exibir os itens em uma ordem hierárquica em seu backlog, é preciso usar um modo de visualização que apresente os itens de trabalho em uma visualização em árvore. O modo Work Breakdown exibe os itens em uma visualização em árvore, mas também é possível configurar outros modos. Consulte a Figura 25, mostrada anteriormente, para ver como isto pode ser feito.

Evidentemente, esse não será um grande Product Backlog se tudo o que tivermos for Story Summaries.

  1. Clique em uma story para abrir seu editor rápido (neste exemplo, ilustrado na Figura 30, a story diz "As a player, I can play against a weak engine that recognizes rings").
  2. No campo Description, forneça detalhes adicionais sobre o que se espera da story (uma descrição pode ser adicionada ao incluir inicialmente a Story no plano). Neste caso, ela faz referência à documentação (fictícia) que está anexada à área de projeto.
  3. No campo Acceptance Test (Figura 30), inclua os Criteria of Acceptance identificados pela equipe e pelo proprietário do produto como prova de que a story foi concluída com êxito e de que ela satisfará às expectativas das partes interessadas.
Figura 30. Detalhes de um item
Screen capture of details for Story
  1. Selecione Save ou Save and Close depois de alterar uma story.
  2. Para simplesmente fechar a story sem fazer alterações, clique no item da lista novamente. Clicar em itens da lista basicamente alterna a visibilidade do editor de itens.

Dica:
Para abrir um item no editor de Work Items, a partir da visualização do editor rápido, clique no número do item (por exemplo, a story acima é a número 17). No editor de Work Item, você tem acesso a todo o conteúdo de um item. Por exemplo, o criador de um item é automaticamente incluído no rol de assinantes dele. Caso não preciso disso, é possível clicar na guia Links no editor de Work Item e remover o usuário da lista de assinantes.

Figura 31. O editor de Work Item
Work Item editor overview and link tab

Planejar o release e o sprint

Apesar de o Product Backlog ser o contêiner para todas as stories ainda não planejadas, atividade de planejamento explícita ocorre para decidir quais stories vão para um release ou uma iteration. Isto é particularmente útil para equipes maiores com muitas partes interessadas; todos poderão ter permissão de preencher stories no Product Backlog e o proprietário do produto poderá decidir quais desses itens serão adicionados ao release.

Ao criar uma área de projeto usando o novo modelo Scrum Process, os planos são automaticamente criados para o release e os primeiros dois sprints. Lembre-se de que, anteriormente, ajustados as datas da linha de tempo do release imediatamente depois de criar a área do projeto.

Preencha o Release Backlog

Durante o planejamento do release, itens são transferidos do Product Backlog para o release. De acordo com a classificação fornecida pelo proprietário do produto, com base na pesquisa do produto, podem ser transferidas para o release tantas stories quantas for possível realizar no tempo do cronograma (de acordo com a velocidade da equipe). O plano do release pode ser facilmente revisado posteriormente e os itens poderão ser movidos de volta para o Product Backlog. De forma contrária, outros itens poderão ser transferidos para o release com base no feedback da parte interessada.

  1. Se o plano do Product Backlog ainda não estiver aberto, abra-o agora.
  2. Selecione todas as stories, menos as duas últimas.
  3. Depois de marcar a 18ª. caixa de seleção, mova o cursor do mouse para a direita, selecione Modify e, a seguir, planeje todos os itens selecionados para o Release 1.0 (consulte a Figura 32).
  4. As alterações são salvas imediatamente e todos os itens transferidos são exibidos como inativos (cinza).
  5. Atualize o plano para exibir somente os dois itens remanescentes.
Figura 32. Planeje itens para o release
Product backlog plan with action pop-ups
  1. Abra o plano do Release Backlog.
  2. Se os itens ainda não estiverem sendo exibidos, atualize o plano.

Observação:
Caso deseje mover itens que tenham filhos (subitens), assegure-se de selecioná-los e movê-los também. Caso contrário, somente os itens pai selecionados serão movidos para o release.

A vantagem do Release Backlog é que você poderá manter somente aqueles itens do plano que realmente irão para o release. O quadro Release burndown (discutido posteriormente neste artigo) reflete itens que entram e saem, o que permite monitorar com precisão quando a meta do release poderá ser atingida.

Preencha o Sprint Backlog

O planejamento da iteração começa transferindo tantas stories do Release Backlog para o sprint quantas a equipe possa cumprir. A segunda etapa é desenvolver as tarefas para cada uma das stories que a equipe precisa concluir. Apesar de o resultado do planejamento de sprint ser uma coleção de tarefas estimadas, que são provavelmente atribuídas a vários membros da equipe, é importante lembrar que a finalidade do planejamento de sprint é que a equipe se comprometa a concluir uma coleção de stories e, portanto, adicionar funcionalidades novas e entregáveis ao produto. O planejamento e a estimativa ajudam a equipe a decidir quanto trabalho poderá ser encaixado no sprint.

  1. Abra o plano do Sprint Backlog para o Sprint 1.
  2. Selecione a guia Overview.
  3. Na página Overview, clique em Edit Page e documente a meta do sprint (consulte a Figura 33).
Figura 33. Documentando a meta do sprint
Overview tab of the Sprint Backlog plan
  1. Clique em Save.
  2. Atribua stories ao sprint
    No Release Backlog, selecione as stories relevantes e planeje-as para o Sprint 1. Proceda da mesma forma que descrito anteriormente em "Preencha o Release Backlog" para o planejamento do release (consulte a Figura 32).
  3. Como alternativa, na visualização Iterations do Release Backlog, arraste as stories do release para uma iteração (Figura 34).
Figura 34. Atribuindo stories à iteração
Release backlog plan

Vista expandida da Figura 34.


Isto atribuirá as stories ao Sprint Backlog. As alterações são aplicadas imediatamente. (No Rational Team Concert V1, as stories foram realmente movidas do Product Backlog para o Sprint Backlog, mas no Rational Team Concert 2.0, elas permanecem visíveis no Product Backlog para facilitar o acompanhamento. Na V2.0, as iterações são usadas para monitorar a que iterações as stories foram atribuídas.)

As Figuras 35 e 36 mostram os resultados.

Figura 35. Stories atribuídas a uma iteração (Release backlog)
Iterations view of Release backlog plan
Figura 36. Stories atribuídas a uma iteração (Sprint Backlog)
Sprint Backlog plan

Dica:
Poderá ser necessário atualizar o Sprint Backlog para visualizar as stories recém-planejadas.

Adicione tarefas a stories

A próxima etapa é detalhas as stories que foram adicionadas ao sprint. Isto significa que as tarefas são criadas para cada etapa que precisa ser realizada para avançar a story para "done" (aquela definição scrum especial de "done", que significa que o recurso está realmente concluído e pode ser colocado em produção, se necessário).

  1. Mova o cursor do mouse sobre o retângulo à esquerda de um item para abrir o menu de seleção de ação.
  2. Mova o cursor para a direita até que veja o rótulo de ação "Add Work Item Below" (Figura 37) e clique naquela ação.
Figura 37. Adicione tarefas a uma story
Action menus for adding tasks
  1. Selecione Task.
  2. Insira o resumo da tarefa.
Figura 38. Adicione uma tarefa
Dialog for adding a task
  1. Clique em Save and Close.
  2. Uma tarefa será criada abaixo da story. Note que ela é criada no mesmo nível de indentação que a story.

Observação:
Se você não vir a tarefa recém-criada no plano, assegure-se de que Execution items não estão excluídos do plano (consulte a Figura 39).

Figura 39. Menu Filter
Dialog for filtering items
  1. Como esta tarefa "pertence" à story, abra o menu de ação para a tarefa e selecione Demote para movê-la para baixo da story. Como alternativa, é possível arrastá-la para a story, o que também a movera para "baixo" da story.
Figura 40. Rebaixar a tarefa
Dialog for demoting items

Dica:
Assegure-se de usar uma visualização onde os itens sejam exibidos em modo de árvore. Caso selecione uma visualização onde os itens sejam exibidos de forma plana, não será possível indentar tarefas. A visualização Work Breakdown que é aberta por padrão quando um plano de sprint é criado exibe itens em uma visualização em árvore.

Em uma reunião típica de Sprint Planning, os membros da equipe podem mencionar tarefas que precisam ser realizadas. Só registrá-las será suficiente por enquanto. Estimativas de tempo e atribuições podem ser realizadas posteriormente na reunião.

  1. Continue adicionando tarefas para esta e para as outras stories.

Dica:
Por causa da natureza iterativa e interativa do planejamento de sprint, poderá ser melhor realizar estas etapas para uma story e, a seguir, concluir as etapas abaixo para fornecer estimativas e proprietários para as tarefas. A seguir, é possível retornar a esta seção para planejar a próxima story. Não há motivo para planejar mais trabalho do que o tempo que há disponível para ele. Fique de olho nos indicadores Team Load para saber quando parar.

Estime as tarefas e atribua proprietários

Agora é hora de estimar as tarefas que foram inseridas para suas stories. É possível seguir estas etapas na ordem que melhor se adapta às práticas de sua equipe:

  1. Para inserir estimativas para suas tarefas, clique na tarefa para abrir o Quick editor. A seguir, insira a estimativa. Faça isso para cada tarefa, uma após a outra.

    Alternativa: Também é possível inserir estimativas na lista selecionando a partir do menu suspenso. Se sua estimativa de tempo não estiver no menu suspenso, escolha More para obter uma pequena janela de entrada onde será possível inserir sua estimativa.
Figura 41. Inserindo estimativas de tempo
Dialog for entering estimates

Quando tiver inserido todas as estimativas, será possível ver as estimativas totais para cada story, bem como para todo o sprint.

Tipicamente, membros da equipe scrum registram-se para tarefas e as atribuições podem ser feitas ao mesmo tempo. Como diferentes membros da equipe podem levar quantidades de tempo diferentes para concluir uma tarefa, você poderá preferir finalizar uma estimativa de tempo depois que uma atribuição tiver sido realizada.

  1. No Sprint Backlog, a partir da lista, arraste tarefas para os membros atribuídos à equipe do Havannah. Depois de atribuir algumas tarefas aos membros da equipe, o plano do Sprint poderá parecer com o ilustrado na Figura 42.
Figura 42. Atribua proprietário
Sprint Backlog with load bars for team members

Modo de exibição ampliado da Figura 42.

As setas à esquerda de um item indicam que esses itens estão atribuídos a alguém ou em algum outro lugar. Tipicamente, tarefas são atribuídas a membros da equipe, mas as stories permanecem não atribuídas, e a equipe ou o proprietário do produto decidem quando uma story foi concluída. Uma vantagem desta abordagem é que o detalhamento de uma story em tarefas sempre é visível a partir desta e outras visualizações, que exibem tanto stories (itens de trabalho de nível superior) quanto tarefas (frequentemente não consideradas itens de trabalho de nível superior).

Além disso, a carga de trabalho é exibida para cada membro da equipe. A carga de trabalho da equipe pode ser monitorada à medida que tarefas são estimadas. Para equilibrar a carga de trabalho e monitorar o progresso, todos os membros da equipe deverão ter informado suas atribuições de trabalho, bem como suas ausências programadas.

Note que Frank não tem horas de trabalho e Rose tem apenas 54 horas de trabalho disponíveis por causa de sua disponibilidade limitada ou dias de férias. Você continuaria a estimar tarefas até que os membros da equipe não tenham mais tempo disponível. Para que equipes scrum sejam bem sucedidas, lembre-se de deixar uma folga na carga de trabalho de todos os membros para ajustar estimativas que sejam inadequadas ou interrupções. A intenção é que todo o trabalho comprometido seja concluído, não importa o que ocorrer. Portanto, escolha um percentual de folga que se adapte à sua equipe. Para ajudar a garantir o sucesso, deixe uma folga maior em estágios anteriores; é possível apertar o cronograma ao entender melhor o ritmo e as capacidades da equipe.


Monitorar trabalho e progresso durante um sprint

Durante o sprint, os membros da equipe aceitam o trabalho atribuído a eles, começam a trabalhar em tarefas, reportam regularmente quanto tempo acreditam que resta para as tarefas e, eventualmente, as resolvem. Além disso, eles acompanham quanto trabalho já foi concluído para uma tarefa particular.

Isto é feito para suportar a exibição correta do trabalho remanescente durante uma iteração. Dado que o método scrum enfatiza o trabalho concluído, e não o trabalho iniciado, é preferível começar e concluir um item de trabalho antes de passar para o próximo item

Usando a visualização Developer's Taskboard

Uma excelente maneira de atribuir e monitorar trabalho é a Developer's Taskboard, que exibe as tarefas atribuídas a indivíduos em colunas que indicam quais tarefas já foram iniciadas ou concluídas. Além disso, ela mostra o relacionamento das tarefas com seus itens pai (tipicamente stories) na coluna mais à esquerda. Scrum masters ou membros da equipe podem facilmente reatribuir itens arrastando-os para outros membros da equipe. Eles podem começar a trabalhar em itens ou defini-los como completed simplesmente arrastando-os para a coluna apropriada.

Figura 43. Developer's Taskboard
Sprint Backlog as Developer's Taskboard

Modo de exibição ampliado da Figura 43.

Para ajudar a acompanhar a quantidade de trabalho ainda em aberto até que a story esteja concluída, Time Remaining deverá ser registrado para cada tarefa na qual as pessoas trabalharam em cada dia. Existem várias formas de editar um item de trabalho. Para abrir uma janela de Quick editor, simplesmente clique no texto do item (consulte a Figura 44).

Figura 44. Janela do Quick editor
Quick editor opened

Time Remaining é um campo de texto simples; portanto, se a equipe trabalhar em uma tarefa por vários dias, cada membro da equipe precisará atualizar o campo Time Remaining a cada dia de acordo com o que falta naquele momento para a tarefa em particular.

Dica:
Para ajudar membros da equipe a acompanhar seus históricos e sucessos na estimativa de tarefas, uma correção para a estimativa deverá ser inserida assim que for descoberto que a estimativa original foi inadequada.

Para abrir o editor de item de trabalho, simplesmente clique no ID da tarefa. Use o recurso Discussion para registrar o progresso ou capturar informações aprendidas sobre a tarefa. Qualquer membro da equipe poderá atualizar informações neste campo e é uma excelente forma de capturar o histórico do item de trabalho.

Figura 45. Janela do editor de item de trabalho
Work item editor

Modo de exibição ampliado da Figura 45.

O progresso da story poderá ser acompanhando também ao começar seu trabalho. Frequentemente, nenhum membro particular da equipe é colocado como responsável pela story como um todo; portanto, à medida que as tarefas sob a story forem concluídas (desenvolvimento concluído), o scrum master poderá definir a story como "Implemented" (consulte a Figura 46).

Figura 46. Preparando a story para a Sprint Review
Work item editor

Usando a visualização Planned Time

O acompanhamento também pode ser feito de forma eficiente usando a visualização Planned Time para o Sprint Backlog (consulte a Figura 47). Os membros da equipe podem mover tarefas, por exemplo, de suas caixas de entrada para seus planos semanais. Além disso, as ausências são exibidas nessa visualização.

Figura 47. Visualização Planned Time
Sprint Backlog in Planned Time view mode

A visualização Planned Time facilita ver o trabalho remanescente e quando o proprietário planeja realizá-lo. À medida que as equipes navegam nesta visualização, poderão encontrar formas de reordenar suas tarefas para dar melhor suporte a seus companheiros de equipe. A visualização Planned Time também poderá ser usada para dar suporte à reunião scrum diária, tornando, portanto, fácil discutir o que está feito e o que vem a seguir.


Acompanhar e reportar progresso

Uma forma muito flexível para que os membros acompanhem seu trabalho é usando consultas. Existem muitas consultas predefinidas disponíveis e também é possível criar suas próprias consultas. Para usar uma consulta predefinida, acesse Work Items e clique na consulta.

Monitore trabalho usando consultas

Para construir sua própria consulta personalizada, você poderá começar do zero ou modificar uma consulta existente. Se uma consulta existente quase atender às suas necessidades, é possível usar etapas similares a essas para personalizá-la e, a seguir, salvá-la com um novo nome:

  1. Na visualização Work Items (Figura 48), clique em Create Query.
  2. Comece a adicionar condições clicando no sinal de mais no meio da janela.
  3. Na janela Add Condition, selecione Type e clique em Add attribute condition.
  4. Para Type, por exemplo, selecione Story.
  5. Adicione outra condição para selecionar Planned For e insira Backlog.
Figura 48. Crie uma nova consulta
New query window with some conditions added
  1. Opcionalmente, configure a forma como os resultados da consulta são exibidos.
    1. Na guia Result Layout, adicione ou remova colunas e especifique a coluna de classificação e a ordem.
Figura 49. Configure o layout dos resultados da consulta
New query window with result layout selections
  1. Dê um nome à nova consulta, por exemplo, All stories in Product Backlog, e clique em Save.
  2. Clique em Run para executar a consulta e ver os resultados.

Monitorando atividade

Uma forma de preparar-se facilmente para a reunião Daily Scrum é usar a consulta predefinida Recently Modified para identificar tarefas que foram atualizadas no último dia (Figura 50). É possível configurar o número de horas que se qualificam como "recentemente" usando um argumento de consulta. O valor padrão é de 12 horas.

Esta lista mostrará rapidamente quem fez o quê. Ela ajuda a determinar quem não reportou nenhum progresso ultimamente.

Figura 50. A consulta "recently modified"
Actions selection for the Recently Modified query

Outra forma de ver o que está acontecendo é o viewlet Project Events que pode ser adicionado ao painel do projeto. Painéis, em geral, são uma boa maneira de monitorar atividades e exibir o status. Vários painéis podem ser configurados com vários viewlets para endereçar as necessidades da equipe e das partes interessadas. A Figura 51 mostra um exemplo de um viewlet que contém os eventos para o projeto. As configurações deste viewlet podem ser editadas para exibir os eventos de interesse.

Figura 51. O viewlet Project Events
Dashboard with Project Events viewlet and configuration window

Barras de progresso

Para ver rapidamente informações de progresso e de status, estão disponíveis barras de progresso em vários lugares no Rational Team Concert. Essas barras de progresso já fornecem uma boa visualização do status atual do progresso para uma iteração, o progresso de uma story particular, a carga de trabalho para um membro da equipe e muito mais. Para membros ativos da equipe de projeto, essas barras de carga podem apresentar todas as informações de que realmente necessitam para controlar o progresso dentro de um sprint.

Relatórios Burndown

A equipe também pode usar os relatórios burndown para controlar como o trabalho está progredindo e para visualizar o histórico de seu progresso. Eles podem usar um relatório Product (Release) Burndown para acompanhar o progresso geral do projeto e podem usar um relatório Sprint Burndown para ver como o trabalho está progredindo para o sprint.

Relatório Release Burndown

Relatórios são acessados por meio da escolha do menu Reports (Figura 52).

  1. Abra o relatório Release Burndown (em termos de scrum, ele é chamado de relatório Product Burndown) selecionando Reports na barra de menu e, a seguir, expandindo Work Items.
  2. Clique no relatório Release Burndown.

O relatório na Figura 52 exibe os Story Points remanescentes no início de cada sprint, bem como a quantidade total de trabalho planejado. Neste exemplo, o trabalho planejado permaneceu constante durante os primeiros quatro sprints. Durante o quarto sprint, trabalho adicional foi acrescentado ao Product Backlog.

Figura 52. Abra um relatório Release burndown
Release burndown shown

Dica:
Para acompanhar relatórios de tendências e históricos, o Rational Team Concert usa tecnologia de armazém de dados para coletar e, de certa forma, compactar o que seria uma grande quantidade de dados, mesmo para um projeto relativamente pequeno. Se estiver tentando ver relatórios enquanto percorre este artigo e descobriu que eles não têm dados, você não fez nada de errado,. O relatório na Figura 52 foi criado depois de monitorar o progresso do projeto por seis sprints. Quando tiver recém começado, é possível que a coleta de "captura" do armazém de dados não tenha sido executada ainda. Este processo é tipicamente executado à meia-noite no fuso horário do servidor Jazz, portanto será necessário ter um servidor que esteja on-line o tempo todo para que o processo seja executado automaticamente. Um usuário com direitos de admin poderá forçar uma coleta de captura a partir da UI da web (consulte a Figura 53), mas isto não é recomendado em um ambiente de produção, pois o processo pode exigir muitos recursos e afetar a resposta do usuário durante o horário de trabalho normal.

Figura 53. Atualizar todos os dados de captura
Montage of selections to force a data warehouse snapshot

Observação:
Há vários relatórios fornecidos pelo Rational Team Concert. Também é possível usar o Business Intelligence and Reporting Tools (BIRT), um sistema de relatórios com base em Eclipse, para criar seus próprios relatórios. A Figura 54 mostra alguns exemplos.

Figura 54. Exemplos de relatórios
Montage of various reports

Relatório Sprint Burndown

O gráfico Sprint Burndown fornece uma resposta instantânea para a pergunta "Estamos no caminho certo para concluir todo o trabalho com o qual nos comprometemos?" Presumindo que todos os membros de sua equipe atualizem seus itens de trabalho de forma apropriada, a linha tende a zero (trabalho remanescente) à medida que o trabalho é concluído. A taxa de burndown deverá ser facilmente visível para toda a equipe durante o tempo todo.

Para exibir o relatório Sprint Burndown:

  • Abra o Sprint Backlog (plano de iteração) e vá para a guia Charts.
  • De forma alternativa, vá para Reports e selecione Burndown (consulte a Figura 55).

Para que o relatório Sprint Burndown fique similar àquele da Figura 55, é preciso ter atualizado e registrado o trabalho concluído pelos vários membros da equipe durante vários dias.

Figura 55. Relatório Sprint Burndown
Montage of sprint burndown reports

Dica:
Se os membros da equipe não atualizarem seus dados ao final de cada dia, o status de seus itens de trabalho não será adequadamente refletido no relatório. Apesar de atualizar o status de suas tarefas ajudar a linha de tendência a ajustar-se no próximo ponto de processamento, não há como atualizar o histórico. A tarefa será exibida como concluída (terminada) no dia em que for fechada, não quando o trabalho foi realmente concluído.

O Jazz não ignora dias não úteis na plotagem, pois é difícil predeterminar que dias são dias não úteis para uma equipe distribuída globalmente. Portanto, linhas planas frequentemente representam fins de semana, mas também poderão ser sintomáticas de falta de progresso (ou de atualizações de progresso).

Figura 56. Relatório Sprint Burndown no final do sprint
Sprint burndown reports landing on zero hours at end of sprint

Dica:
Talvez seja preciso editar o relatório para exibir o sprint no qual esteja interessado no momento.

Programe as reuniões de Sprint Review e Retrospective

Uma parte importante no processo scrum é a reunião de Sprint Review. A primeira parte disto é a demonstração para as partes interessadas. Usar o Rational Team Concert poderá não ser parte disto, pois o ponto é mostrar software em funcionamento, não a lista de tarefas. No entanto, feedback e comentários da reunião de revisão deverão ser capturados na página de Overview do sprint ou como um anexo daquela página.

A próxima parte da reunião de Sprint Review é a Retrospective (algumas vezes chamada de Reflection). Esta é uma oportunidade para a equipe discutir o que correu bem, o que correu mal e o que planejam fazer a respeito. O modelo Scrum Process define um tipo de item de trabalho Retrospective (Figura 57) que pode ser usado para assegurar que a reunião de reflexão ocorra e para acompanhar os comentários e planos da equipe.

Figura 57. Item de trabalho para a reunião Retrospective
Action and window for new Retrospective items

Modo de exibição ampliado da Figura 57.


Faça a mesma coisa para o próximo sprint

A vida de uma equipe scrum saudável é aquela preenchida com um ritmo de sucesso. Planeje um pouco, trabalhe um pouco, entregue e repita.

Agora você terminou seu primeiro sprint, então é hora de começar o próximo:

  1. O plano para o Sprint 2 foi criado ao criar a área de projeto usando o novo modelo Scrum Process.
  2. Documente a meta do sprint na página Overview
  3. A seguir, comece a adicionar itens a esse sprint, usando a mesma abordagem que a do Sprint 1.

Se uma story não for concluída no sprint atual, há várias práticas para solucionar esse problema. Uma opção é mover completamente um item para o novo sprint.

  1. Abra os planos Release Backlog e selecione o modo de visualização Iterations.
  2. Mova os itens em questão para o próximo sprint
  3. Arraste todos os itens para o próximo sprint, um item após o outro (assegure-se de que não filtrou itens de execução do plano e de que também mova todos os filhos de uma story, se existirem), ou, como alternativa, selecione todos os itens que deverão ser movidos. Abra o menu de ação e modifique-as da mesma forma como quando as moveu do backlog para o sprint. Assegure-se de mover todos os itens (por exemplo, a story e seus filhos). Simplesmente reatribuir a story não moverá os filhos ou subtarefas.
Figura 58. Planejando a próxima iteração
Release Backlog plan with action window for moving items between sprints

Selecione o próximo sprint como "atual"

Mesmo que tenha criado datas para os sprints, o Rational Team Concert não as desloca manualmente para tornar o próximo sprint o atual simplesmente porque o tempo avançou. É preciso atualizar manualmente qual sprint é considerado o atual.

  1. Selecione Project Areas na barra de opções na parte superior da janela.
  2. No lado direito da janela, selecione Manage Project Areas.
  3. Selecione o projeto Havannah.
  4. Clique na guia Timelines.
  5. Expanda a linha Main Development.
  6. Selecione Sprint 2.
  7. Clique em Set the Selected Iteration as Current.
  8. Clique em Salvar.
Figura 59. Definindo a iteração atual
Project area management window

Adicione novas iterações

Quando precisar adicionar uma nova iteração para o projeto, faça-o na mesma janela onde seleciona uma iteração atual (consulte a Figura 59 acima).

  1. Selecione o release onde deseja criar uma nova iteração. Para este exemplo, selecione Release 1.0.
  2. Clique em Create Iteration.
  3. Preencha um Identifier e um Display Name para a nova iteração.
  4. Ajuste as datas e clique em Finish.
    Note que o horário é definido para 12h por padrão. Para assegurar-se de que o último dia da iteração foi incluído corretamente, defina a data para o dia seguinte ao final da iteração ou altere o horário para, por exemplo, 11h59.
  5. Salve as alterações na área do projeto.
Figura 60. Criando uma nova iteração
Project area management window

Lembre-se de criar também um novo plano para a nova iteração.

  1. Volte para a área do projeto Havannah e selecione Plans
  2. Clique em Create Plan (consulte a Figura 61).
  3. Insira Sprint Backlog no nome, Havannah no proprietário e associe-o com a iteração Sprint 3 .

Observação:
Quando um novo plano é criado, ele é associado por padrão com a iteração atual. Portanto, se você só criar o plano depois de definir a nova iteração como atual, não será preciso modificar os valores.

  1. Em Advanced Options, assegure-se de selecionar Always load all Execution Items. O Plan Type é definido como "Assign Automatically", o que resulta em definir corretamente o tipo do plano para Sprint Backlog.
  2. Salve o novo plano
Figura 61. Criando um plano de iteração que contenha o Sprint Backlog
Action and window to create a new plan

Saiba mais e considere essas opções

Apesar de ter abordado muitas coisas nesse exercício, há muito mais coisas relacionadas ao Rational Team Concert e Jazz do que planejamento ágil de desenvolvimento com base em scrum e ainda mais coisas relacionadas ao planejamento ágil do que o que foi descrito aqui. Por exemplo:

  • Considere o uso do controle de origem Jazz e o engine de construção Jazz para melhorar seus esforços contínuos de integração.
  • Considere o uso de painéis para obter informações rapidamente e trocar status, e seus gerentes ficarão viciados em painéis em web. Experimente os vários relatórios para ver quais são adequados à forma como sua equipe gerencia seus processos.

Agradecimentos

Agradecemos a Daniel Haischt pelo tempo que gastou revisando cuidadosamente nosso rascunho e seus muitos comentários valiosos que tornaram este artigo completo na forma em que está.

Também agradecemos a Juergen Baumann, que realizou uma execução completa de testes seguindo todas as etapas e forneceu muitas correções, bem como sugestões e perguntas desafiadoras, que nos ajudaram a ser os mais claros possíveis nos detalhes necessários.

Recursos

Aprender

Obter produtos e tecnologias

Discutir

Comentários

developerWorks: Conecte-se

Los campos obligatorios están marcados con un asterisco (*).


Precisa de um ID IBM?
Esqueceu seu ID IBM?


Esqueceu sua senha?
Alterar sua senha

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

 


A primeira vez que você entrar no developerWorks, um perfil é criado para você. Informações no seu perfil (seu nome, país / região, e nome da empresa) é apresentado ao público e vai acompanhar qualquer conteúdo que você postar, a menos que você opte por esconder o nome da empresa. Você pode atualizar sua conta IBM a qualquer momento.

Todas as informações enviadas são seguras.

Elija su nombre para mostrar



Ao se conectar ao developerWorks pela primeira vez, é criado um perfil para você e é necessário selecionar um nome de exibição. O nome de exibição acompanhará o conteúdo que você postar no developerWorks.

Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres. Seu nome de exibição deve ser exclusivo na comunidade do developerWorks e não deve ser o seu endereço de email por motivo de privacidade.

Los campos obligatorios están marcados con un asterisco (*).

(Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres.)

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

 


Todas as informações enviadas são seguras.


static.content.url=http://www.ibm.com/developerworks/js/artrating/
SITE_ID=80
Zone=Rational
ArticleID=503132
ArticleTitle=Gerenciamento de Projetos Scrum com o IBM Rational Team Concert Versão 2: Parte 3. Usando a interface da web
publish-date=07302010