Atualização sobre os recursos de modelagem UML no IBM Rational Software Architect Versão 8.0: Parte 2. Aprimoramentos da modelagem UML

Este segundo artigo, de uma série composta de três artigos, destaca algumas funcionalidades novas dos componentes de modelagem UML do Rational Software Architect Versão 8.0 e explica como aproveitar esses recursos incluídos recentemente. Ele descreve os aprimoramentos da visualização Project Explorer, a procura de modelos aprimorada, os aprimoramentos da validação de modelos e da refatoração, a experiência suavizada ao trabalhar com fragmentos de modelos, a funcionalidade adicional ao trabalhar com perfis UML e os pontos de vista da modelagem. Ele também descreve o suporte para alterações na especificação da UML.

Wayne Diu, Software developer, IBM Canada

Wayne DiuNikhil é engenheiro de software de sistemas e atualmente trabalha com a equipe de suporte nível 2 do Tivoli Directory Server, nos Laboratórios de Software IBM Índia. É formado em Engenharia da Computação pelo Pune Institute of Computer Technology, de Pune (Índia).


nível de autor Contribuidor do
        developerWorks

22/Dez/2010

Além dos aprimoramentos no diagrama e das alterações gerais na perspectiva da modelagem, foram feitas diversas alterações para melhorar a produtividade e para a conformidade com a especificação da UML.

Aprimoramentos no Project Explorer

Filtragem por nome

No Project Explorer, é possível exibir uma caixa de texto que permite o descarte dos elementos que não interessam. Apesar dos conjuntos de trabalhos serem úteis por permitir a filtragem por modelos ou projetos completos, esse filtro por nome de elemento textual será particularmente útil em modelos grandes, quando desejar visualizar elementos de interesse no modelo. Dessa forma, esse é um filtro de baixa granularidade.

  1. Para ativar o filtro, clique no botão Show/Hide Filter Box na barra de ferramentas do Project Explorer.
  2. Em seguida, digite um texto na caixa do filtro e pressione a tecla Enter do seu teclado,

Os elementos que não corresponderem à sequência de texto serão descartados.

Dicas:

  • Se existirem diversos elementos correspondentes ao seu filtro, use os botões para cima ou para baixo à direita da caixa do filtro para navegar entre os elementos.
  • Além disso, para um acesso ainda mais rápido, simplesmente clique no elemento de interesse na janela pop-up para navegar até ele imediatamente.
  1. Para determinar se o filtro de nome deve ser considerado, clique no botão de seta para baixo no Project Explorer e escolha Customize View.
  2. Na guia Filters da caixa de diálogo Available Customizations , marque ou desmarque a opção Name Filter. Se a opção Name Filter não estiver marcada, não será possível mostrar a caixa de filtro.
Figura 1. Filtragem por 'Util'
The filter results list in a pop-up box

Visualização maior da Figura 1.

O filtro textual também pode ser programaticamente estendido para suportar EObjects EMF customizados. Para isso, implemente essa interface:

com.ibm.xtools.common.ui.navigator.filters.INameFilterHelper

Agrupando por tipos de diagrama

Anteriormente, a pasta virtual de diagramas continha uma lista de todos os diagramas de um determinado modelo. Agora, os diagramas são agrupados por tipo.

Mostrando a localização física dos arquivos de modelo

Em alguns fluxos de trabalho, os modelos são armazenados nas subpastas do projeto. Tradicionalmente, o Project Explorer exibia todos os modelos como filhos abaixo do projeto. Isso gerava confusão se existissem diversos modelos com o mesmo nome. Por exemplo: ao criar um modelo Helper.emx em todas as pastas, ficava difícil diferenciá-los.

Agora é possível mostrar os modelos e perfis de acordo com a estrutura de pastas:

  1. Clique em Window > Preferences e escolha Views >Project Explorer.
  2. Em seguida, marque a caixa de seleção com rótulo Show UML model and profile under its physical workspace file.

Observação:
Se você possui UML Model files e UML Profile files filtrados na guia Filters da visualização Available Customizations m esses arquivos serão ocultados. Não ative os filtros para UML Model files e UML Profile files se a preferência Show UML model and profile under its physical workspace file estiver ativada, pois os modelos e perfis ficarão completamente ocultos na sua área de trabalho.

  1. Para enfatizar posteriormente a localização física do arquivo, é possível exibir o caminho da área de trabalho do recurso ao lado do nome do recurso raiz:
  2. Mostre a visualização Preferences e escolha Modeling >Views > Project Explorer. O menu suspenso Display workspace path in labels permite a escolha de uma das três opções (consulte a Figura 2):
    • None
    • For models and profiles
    • For models, profiles, and fragment roots

As duas últimas opções ativarão a exibição das localizações físicas dos recursos no Project Explorer.

Figura 2. Visualização das preferências do Project Explorer
The Preferences options in the Project Explorer

Trabalhando com a funcionalidade de importação de elementos aprimorada

Ao trabalhar com a importação de elementos, normalmente nos preocupamos mais com o elemento importado do que com a opção Element Import propriamente dita. Então, foram feitas diversas alterações para focar no elemento importado e não na opção Element Import:

  • A opção Element Import não exibe mais o nome do elemento importado entre parênteses, para que o elemento seja classificado juntamente com os outros elementos diretamente contidos no Project Explorer. Na verdade, se o Project Explorer for configurado para classificar por Type then Alphabetical ou Type then Storage Order, a classificação será feita pelo tipo de elemento importado.
  • Ao selecionar Element Import / imported element no Project Explorer, agora será possível visualizar as propriedades do elemento importado no pop-up de propriedades e na visualização das propriedades. Se estiver interessado em visualizar as propriedades da opção Element Import, escolha Element Import Properties no menu de contexto. Como alternativa, visualize o Element Import no diagrama e mostre as suas propriedades.
  • O ícone do elemento importado (ao invés do ícone do Element Import) será mostrado no Project Explorer. Um ícone de atalho pequeno será exibido na parte inferior esquerda do ícone para indicar que ele é um item de Element Import.
  • Ao incluir novos elementos abaixo de Element Import, a inclusão será feita diretamente no elemento importado, eliminado a necessidade de ter que navegar de volta para o elemento original. De forma similar, ao excluir um elemento abaixo de Element Import, a exclusão será feita diretamente no element import. Em outras palavras, o foco será preservado em ambos os casos.
  • A navegação para o Project Explorer dos diagramas, propriedades e do Inheritance Explorer será a melhor escolha para a seleção de elementos abaixo de Element Import.
  • Será possível visualizar o conteúdo do Element Import mesmo se o elemento pertencer a um modelo que foi descartado por um conjunto de trabalhos. Se quiser navegar para o elemento atual descartado por um conjunto de trabalhos e não houver nenhum elemento importado no contexto, será exibida uma mensagem de notificação.

FormatHelper e Point pertencem ao Element Import (consulte a Figura 3), por isso eles aparecem com uma decoração de atalho no Project Explorer. Além disso, são exibidas as propriedades do elemento importado e não do Element Import.

Figura 3. Exibição das propriedades de um Element Import
A pop-up properties dialog box on the diagram

Visualização maior da Figura 3.


Aprimoramentos da procura

Os conjuntos de trabalhos agora são suportados pela infraestrutura de procura. É possível arrastar dos resultados da procura para a superfície do diagrama. Além disso, a expansão do resultado da procura mostrará as referências ao elemento.

Duas novas colunas foram incluídas:

  • O tipo de elemento foi movido para uma coluna separada para facilitar a classificação.
  • Uma nova coluna indica a data da última modificação.

Por fim, agora os resultados da procura agora podem contar com um mecanismo de provedor público definido em com.ibm.xtools.rmp.ui.search, que permite contribuir programaticamente com os resultados da procura.

Figura 4. Usando conjuntos de trabalho na página de procura do modelo
The Select Working Set sequence

Visualização maior da Figura 4.


Aprimoramentos da validação

Comunicando os resultados da validação

Os resultados da validação do modelo são comunicados visualmente para o usuário. Os erros de validação e os avisos agora são mostrados em elementos de diagrama que representam os elementos que tiveram problemas de validação.

É possível validar o seu modelo executando uma das etapas a seguir:

  1. Na barra de menus, selecione Modeling > Run Validation.
  2. No menu de contexto do elemento no Project Explorer, escolha Validate.
  3. No menu de contexto do elemento no diagrama, escolha Validate.

Conforme mostrado na Figura 5, ao passar o cursor do mouse sobre o decorador de validação no elemento do diagrama (um ponto de exclamação amarelo ou um X vermelho), será exibida uma mensagem pop-up com a descrição do problema.

Figura 5. Passando o cursor do mouse sobre o decorador de validação
A tool tip on a diagram

Visualização maior da Figura 5.

A caixa de diálogo Problems on Selection foi incluída caso precise de mais detalhes. Ela mostra uma lista de problemas da seleção e possibilita a visualização dos detalhes das restrições que foram violadas (pressionando o botão Constraint Definition(s) ) ou a correção rápida dos problemas (pressionando o botão Quick Fix ). Ela está disponível para todos os elementos do Project Explorer ou do diagrama com erros de validação ou avisos.

Figura 6. A caixa de diálogo Problems on Selection contém os marcadores relevantes
Element and Marker columns with lists

Visualização maior da Figura 6.

Reparando as referências da área de trabalho quanto o modelo está aberto

Nas versões anteriores, quando um modelo com referências quebradas era aberto, a caixa de diálogo Repair Workspace Reference era exibida. Nela, era possível tentar reparar as quebras automaticamente, marcando os problemas, ou ignorar as referências quebradas. O botão Repair procurava somente os projetos imediatos. Agora, foi incluída uma caixa de seleção adicional que permite a procura em toda a área de trabalho. A procura detectará até modelos em projetos fechados e solicitará a abertura dos mesmos, caso necessário.

Figura 7. A tela Repair Workspace References exibe dois problemas
Two radio button choices: Repair or Mark problems

Regras de validação incluídas

Diversas regras de validação foram incluídas, e essas regras serão abordadas posteriormente no tópico Regras de validação na subseção Diagrama de sequência .


Refatoração simplificada

Anteriormente, ao refatorar um elemento (renomeado ou movido), era possível visualizar as alterações e escolher individualmente os recursos que seriam atualizados. Quando existiam muito elementos afetados, era entediante selecionar os recursos a serem atualizados. Agora, é possível definir com antecedência o escopo inicial, como um atalho. Os três escopos suportados são workspace, projectou model.

Figura 8. Uso do assistente de refatoração para escolher um escopo suportado
The Rename wizard with Workspace selected

Visualização maior da Figura 8.


Fragmentos de modelo

Os fragmentos de modelo agora são manipulados de forma mais suave. O contexto é preservado no Project Explorer.

Ao recarregar um modelo ou um fragmento de modelo que foi modificado fora da área de trabalho, o foco no Project Explorer agora é preservado. Além disso, se um fragmento for modificado no disco, somente o fragmento modificado será recarregado, e não o modelo inteiro. Por exemplo: se estiver usando visualizações dinâmicas, os fragmentos e modelos poderão ser alterados por outros usuários enquanto o modelo estiver carregado na sua memória. Quando isso ocorrer, o contexto no Project Explorer será mantido, então você não perderá tempo tentando encontrar o seu local no modelo após carregar fragmentos. Isso garantirá um fluxo de trabalho mais suave mesmo quando o conteúdo do modelo for alterado e o modelo for recarregado.

Abrindo diversos subfragmentos de uma só vez

Ao trabalhar com um modelo grande, as partes do modelo normalmente são fragmentadas em recursos separados para melhorar o desempenho e reduzir a possibilidade de conflitos na mesclagem. Ao não abrir os subfragmentos, uma parte menor do modelo será carregada na memória. Isso gerará uma melhora no desempenho. No entanto, modeladores com máquinas potentes podem preferir abrir todos os segmentos de uma só vez para eliminar o atraso caso o fragmentos seja aberto posteriormente na memória. Para isso, a ação Open All Sub-fragments agora suporta diversas seleções, então é possível selecionar todos os fragmentos necessários e abri-los todos de uma só vez. Resultado: o tempo gasto com o carregamento dos fragmentos agora é gasto na etapa inicial.

Figura 9. A ação Open All Sub-Fragments
The Project Explorer drop-down menu

Visualização maior da Figura 9.


Perfis

Os perfis são usados para ativar a modelagem para domínios específicos: eles permitem a extensão da UML para atender a um domínio particular. Frequentemente, o mesmo modelo de UML é extensível a diversos domínios diferentes. Por exemplo: o sistema que rastreia os pontos de fidelidade pode ser basicamente o mesmo para duas empresas aéreas, com algumas pequenas diferenças na nomeação dos itens e certos atributos e operações que são específicos da empresa. Ou pontos de vista diferentes no mesmo sistema podem requerer perfis diferentes. Por exemplo: o domínio da auditoria financeira e o domínio de reserva são dois campos totalmente incompatíveis que focam em aspectos muito diferentes, ou pontos de vista, do mesmo sistema. Talvez os auditores que processam grandes quantidades de dados não queiram compartilhar seus critérios de auditoria ou valores de atributos com os analistas de reserva, enquanto os gurus da reserva talvez não queiram compartilhar suas fórmulas de aplicação de descontos de fidelidade.

Modelos de marcação

Tradicionalmente, era necessário aplicar o perfil diretamente no modelo para permitir a modelagem para um domínio específico. Para diversos domínios, não havia muita escolha: era necessário aplicar diversos perfis no mesmo modelo ou duplicar o modelo e aplicar um perfil separado para cada um. No primeiro caso, o modelo teria perfis irrelevantes e possivelmente perfis reservados; no segundo caso, os modelos poderiam facilmente ficar fora de sincronia.

A partir da Versão 8, o Rational Software Architect passou a suportar o conceito de modelos de marcação: modelos que importam um pacote e armazenam os dados relacionados aos perfis e estereótipos aplicados nos pacotes importados. Os pacotes são importados usando um Element Import estereotipado com o estereótipo Marking Import . Os perfis aplicados no modelo de marcação serão aplicados virtualmente no pacote importado, dessa forma os estereótipos poderão ser aplicados nos pacotes importados e nos seus conteúdos. Ao aplicar estereótipos no pacote importado, somente o modelo de marcação será modificado, e não o recurso atual do pacote.

Figura 10. Uso do modelo de assistente de novo modelo para criar um novo modelo de marcação
The Project Explorer context menu

Visualização expandida da Figura 10.

Para acessar as informações do perfil, os perfis e recursos aplicados que contêm os pacotes importados precisam ser distribuídos, além do modelo de marcação.

Observação:
Se estiver iniciando um ambiente de tempo de execução, certifique-se de que as configurações a seguir estão presentes nos argumentos para ativar o suporte para modelos de marcação:

-Dorg.eclipse.uml2.uml.util.UMLUtil$ProfileApplicationHelper.INSTANCE=
   com.ibm.xtools.modeler.ui.marking:com.ibm.xtools.modeler.ui.marking.internal.
   ModelerProfileApplicationHelper

-Dorg.eclipse.uml2.uml.util.UMLUtil$StereotypeApplicationHelper.INSTANCE=
   com.ibm.xtools.modeler.ui.marking:com.ibm.xtools.modeler.ui.marking.internal.
   ModelerStereotypeApplicationHelper

Propriedades do estereótipo

As propriedades dos estereótipos agora podem ser exibidas nos diagramas de duas formas:

  1. A primeira forma é clicando com o botão direito do mouse para mostrar o menu de contexto do elemento do diagrama e selecionando Filters >Stereotype and Visibility Style > Show Stereotype Compartment When Not Empty. Isso torna o compartimento do estereótipo, que contém os nomes e os valores dos atributos, visível.
  2. A segunda forma é incluindo uma observação do atributo do estereótipo das seguintes formas:
    1. Clicando com o botão direito do mouse no elemento com estereótipo e selecionando Add UML > Stereotype Attribute Note. Uma observação anexada será incluída no elemento estereotipado original.
    2. Como alternativa, na paleta:
      1. Selecione a caixa de paletas UML Common (consulte a Figura 11).
      2. No grupo da paleta Comment , escolha o item de ferramenta Stereotype Attribute Note Attachment .
      3. Em seguida, clique no elemento estereotipado e arraste o cursor para uma área vazia do diagrama.
      4. No menu de contexto resultante, escolha Create Stereotype Attribute Note Attachment to new Element: Stereotype Attribute Note.
Figura 11. Exibindo as propriedades do estereótipo
A UML diagram

Visualização maior da Figura 11.

Conjuntos de propriedades

Conjuntos de propriedades são usados para agrupar uma coleção de atributos (ou propriedades). Eles potencializam a funcionalidade dos perfis e simplificam a aplicação de estereótipos. Um perfil de conjunto de propriedades é aplicado a um pacote em um modelo (ou modelo raiz). Os estereótipos em um perfil de conjunto de propriedades são similares aos estereótipos requeridos por serem implicitamente aplicados aos elementos da metaclasse especificada. Alem disso, é possível salvar conjuntos de valores e aplicá-los para substituir rapidamente os padrões definidos no perfil.

Para criar um perfil de conjunto de propriedades:

  1. Primeiro, crie um perfil UML normal e, em seguida, aplique o perfil de conjunto de propriedades implementado ao perfil.
  2. Em seguida, aplique o estereótipo PropertyProfile à raiz do perfil.
  3. Agora é possível incluir estereótipos. À medida que os estereótipos são incluídos, você verá que o estereótipo Set é aplicado automaticamente em todos os estereótipos do perfil.

Observações:

  • Para cada estereótipo criado, será necessário incluir uma extensão de metaclasse ao pacote além das outras extensões de metaclasse desejadas. Isso porque os estereótipos nos perfis de conjuntos de propriedades devem ser aplicados nos pacotes; os conteúdos dos pacotes nos quais o estereótipo foi aplicado terão automaticamente os estereótipos relevantes aplicados.
  • O estereótipo PropertyProfilee o estereótipo Set contêm uma propriedade chamada category, mas o seu uso desejado é diferente. O objetivo da categoria PropertyProfile é descrever uma categoria mais ampla, como uma linguagem (Linguagem Unificada de Auditoria), enquanto o objetivo da categoria Set é corresponder a um tipo específico na linguagem (Classe). A categoria do estereótipo Seté importante, pois se ela não for correspondente, a UI do conjunto de propriedades não será mostrada.

Após criar o perfil de conjunto de propriedades, ele deve ser aplicado a um modelo ou pacote. Ao navegar no modelo, os elementos relevantes do modelo terão uma guia Property com o rótulo Property Sets. Nela, é possível definir os valores desejados. Se os valores padrão forem alterados, o estereótipo correspondente será automaticamente aplicado ao elemento. (Além disso, o nome do atributo aparecerá em negrito para indicar que o estereótipo foi alterado.) Ao clicar no botão Apply Defaults , os valores padrão serão restaurados e o estereótipo aplicado automaticamente será alterado.


Conformidade da UML

Agora, o Rational Software Architect suporta os dois novos diagramas de UML descritos na especificação da UML: o diagrama da visão geral da interação e o diagrama de sincronização. Além disso, foi incluído o suporte para diversos novos elementos, que serão descritos nas subseções seguintes.

Diagrama da visão geral da interação

O diagrama da visão geral da interação pode ser visto como um diagrama de atividades restrito para controlar fluxos e diagrama de sequência integrados. Dessa forma, eles são úteis para expressar fluxos de controle e também as interações individuais presentes. Os diagramas de sequência que aparecem nos diagramas da visão geral da interação não precisam ser criados do zero: é possível reutilizar diagramas existentes, arrastando-os para o diagrama da visão geral da interação ou selecionando a ferramenta de paleta Interaction Reference da caixa de paletas Interaction Overview.

Para trabalhar com os conteúdos que estão dentro dos diagramas de sequência referenciados (chamados de Interaction Reference), no menu de contexto do elemento do diagrama de referência da interação, selecione Filters > Show Inline Sequence Diagram.

Figura 12. Um diagrama da visão geral da interação
Interaction overview diagram tab with UML diagram

Visualização maior da Figura 12.

Diagrama de sincronização

O diagrama de sincronização retrata linhas de vida em um período de tempo. O eixo vertical representa o tempo em diagramas de sequência, mas o diagrama de sincronização usa o eixo horizontal para representar o tempo. Estados ou condições são incluídos nas linhas de vida horizontais para representar as alterações nos estados ou condições ao longo do tempo. Como ocorre com os diagramas de sequência, existe o conceito de mensagens. No entanto, como o foco recai sobre os estados e condições ao longo do tempo, as mensagens são enviadas entre esses estados ou condições.

Figura 13. Um diagrama de sincronização
A payment collection timing diagram

Visualização maior da Figura 13.

Diagramas de sequência

Agora, o componente UML Modeler inclui suporte para mensagens perdidas e mensagens encontradas.

Mensagens perdidas e mensagens encontradas

Para cumprir com a especificação da UML, agora é possível criar mensagens perdidas e mensagens encontradas.

  • Para criar uma mensagem perdida, arraste a mensagem para uma área vazia do diagrama.
  • Para criar uma mensagem encontrada, arraste a mensagem, começando de uma área vazia do diagrama.
Figura 14. Mensagens perdidas e encontradas em um diagrama de sequência
Check-in Sequence Diagram tab view

Visualização maior da Figura 14.

Refatoração

Ao excluir um sinal ou uma operação referenciados de uma mensagem, o nome da mensagem será atualizado para \Unspecified\ no diagrama de sequência e o sinal ou a operação referenciados serão removidos. É possível renomear a mensagem conforme desejado.

A movimentação de uma operação de uma classe para outra produzirá o mesmo resultado, a menos que a operação seja movida para uma superclasse e ainda esteja visível na classe na qual faz referência. Novamente, nesse caso, as mensagens das linhas de vida serão definidas como \Unspecified\.

Regras de validação

É possível se beneficiar mesmo que, no passado, você tivesse diagramas nos quais executava refatorações antes desses aprimoramentos. Como exemplo, vamos supor que você abra um diagrama no qual, anteriormente, você moveu uma operação correspondente a uma mensagem em um diagrama de sequência de um classificador para outro. Como resultado, o diagrama agora conterá uma mensagem inválida.

Foi apresentada uma regra de validação para tratar mensagens inválidas em diagramas de sequência. A restrição dessa regra pode ser encontrada na seguinte especificação da UML 2.2:

UML 2.2 > UML 2.2 Specification > Interactions Package > Messages > Message signature operation should be contained in target lifeline classifier

Agora, ao chamar uma operação particular e validar o modelo, um aviso será gerado ao validar o modelo. A restrição de validação é controlada pela especificação private operation call da UML 2.2:

UML 2.2 > UML 2.2 Specification > Interactions Package > Messages > Private operation call (ou UML 2.2 > Model Quality Dimensions > Correctness > Private operation call).

Dica:
Para visualizar a definição da restrição ou para ativar e desativar a restrição, selecione a visualização Preferences e, em seguida, selecione Model Validation >Constraints.

Figura 15. A página Model Validation, Constraints na visualização Preferences
Private operation call

Diagramas de atividades

Ação Start Object Behavior

O elemento de ação Start Object Behavior agora é suportado. Para criar uma ação Start Object Behavior:

  1. Selecione a caixa de paletas Actions .
  2. Escolha o item de ferramenta Start Object Behavior no grupo de ferramentas Object Actions .

Dica:

Também é possível localizar a ação Start Object Behavior no submenu Object Action no menu de contexto Add UML.

Figura 16. Um Start Object Behavior em um diagrama de atividades
Activity Diagram tab view

Visualização maior da Figura 16.

Diagrama da máquina de estado

Pontos de entrada e saída

Agora é possível incluir pontos de entrada e pontos de saída nas bordas dos estados compostos e dos estados ortogonais.

  1. Para isso, inclua um estado composto ou um estado ortogonal à máquina de estado (na caixa de paletas State Machine, selecione o grupo State types e, em seguida, selecione Composite State ou Orthogonal State).
  2. Em seguida, na caixa de paletas State Machine, escolha o grupo de ferramentas Pseudostate Types , seguido de Entry Point ou Exit Point.

Dica:

Também é possível localizar as opções Entry Point e Exit Point no menu de contexto Add UML.

Any Receive Event

A ação Any Receive Event agora é suportada.

  1. Para incluir uma ação Any Receive Event, primeiro inclua uma transição em uma região do estado.
  2. Nas propriedades da transição, ative a guia Triggers e, em seguida, clique no botão Add .
  3. No menu suspenso Event Type , escolha Any Receive Event.
  4. Clique no botão OK.
Figura 17. Selecionando um Any Receive Event em um diagrama de sequência com um ponto de entrada e um ponto de saída
The Add Trigger dialog window

Visualização maior da Figura 17.


Pontos de vista

Os pontos de vista foram aprimorados para suportar uma linguagem ativa. Também é possível compartilhar pontos de vista, e uma API foi incluída ao ponto de extensão para suportar melhor o uso do ponto de vista em domínios diferentes.

Linguagem ativa

Agora é possível associar a linguagem ativa ao ponto de vista. Na caixa de diálogo Preferences (página Modeling > Viewpoints , mostrada na Figura 18), agora está disponível uma nova guia intitulada Active Language . Ela pode ser usada para configurar a linguagem padrão dos pontos de vista definidos pelo usuário.

Figura 18. A guia Active Language na página de preferências dos pontos de vista
The Viewpoints dialog window

Exportando e importando pontos de vista

Além disso, agora é possível compartilhar pontos de vista. Na página de preferências dos pontos de vista, foram incluídos dois botões para suportar a importação e a exportação de pontos de vista. Clique em Export na página de preferências dos pontos de vista para exibir a janela "Export viewpoints".

Figura 19. Caixa de diálogo "Export viewpoints"
Activated within the Viewpoints window

Compare os aprimoramentos de mesclagem

Suporte aprimorado ao alias

Ao mesclar duas versões de um modelo no qual o alias foi modificado, a revisão agora mostrará uma única alteração de modificação ao invés de mostrar um par de alterações de inclusão e exclusão.

Figura 20. Mesclando um modelo no qual o alias foi alterado
The Compare Merge editor

Visualização maior da Figura 20.

Opção incluída para filtrar o log de exportação

Ao executar uma sessão de mesclagem, é possível filtrar a exibição para ocultar as alterações que não são relevantes. Agora, ao clicar no botão Save List of Changes , uma caixa de diálogo Save Changes será exibida antes da geração do arquivo. Nas opções dessa caixa de diálogo, será possível decidir se deseja aplicar as configurações do filtro ao arquivo de log.

Figura 21. A caixa de diálogo Save Changes em uma sessão de mesclagem
'Currently visible deltas on delta tree' selected

Visualização maior da Figura 21.


O que virá a seguir

Este artigo forneceu uma visão geral da nova funcionalidade no componente UML Modeler do Rational Software Architect Versão 8.0. Ao aproveitar esses aprimoramentos, será possível modelar de forma mais eficaz e eficiente, com ênfase em diagramas mais claros, prevenções e resoluções de problemas e fluxos de trabalho que suportam a colaboração.

O próximo e último arquivo desta séria descreve importantes alterações na API e adições que permitem a extensão dos recursos do Rational Software Architect.


Agradecimentos

O autor expressa sua gratidão ao Dusko Misic e ao Michael Hanner pela revisão deste artigo e a Judith Broadhurst pela edição.

Recursos

Aprender

Obter produtos e tecnologias

Discutir

Comentários

developerWorks: Conecte-se

Los campos obligatorios están marcados con un asterisco (*).


Precisa de um ID IBM?
Esqueceu seu ID IBM?


Esqueceu sua senha?
Alterar sua senha

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

 


A primeira vez que você entrar no developerWorks, um perfil é criado para você. Informações no seu perfil (seu nome, país / região, e nome da empresa) é apresentado ao público e vai acompanhar qualquer conteúdo que você postar, a menos que você opte por esconder o nome da empresa. Você pode atualizar sua conta IBM a qualquer momento.

Todas as informações enviadas são seguras.

Elija su nombre para mostrar



Ao se conectar ao developerWorks pela primeira vez, é criado um perfil para você e é necessário selecionar um nome de exibição. O nome de exibição acompanhará o conteúdo que você postar no developerWorks.

Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres. Seu nome de exibição deve ser exclusivo na comunidade do developerWorks e não deve ser o seu endereço de email por motivo de privacidade.

Los campos obligatorios están marcados con un asterisco (*).

(Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres.)

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

 


Todas as informações enviadas são seguras.


static.content.url=http://www.ibm.com/developerworks/js/artrating/
SITE_ID=80
Zone=Rational
ArticleID=604683
ArticleTitle=Atualização sobre os recursos de modelagem UML no IBM Rational Software Architect Versão 8.0: Parte 2. Aprimoramentos da modelagem UML
publish-date=12222010