Práticas Comprovadas do IBM Business Analytics: Melhores práticas para usar Dados IMS nos Relatórios de BI do IBM Cognos

Produto(s): IMS, IBM Cognos BI Server; Área de Interesse: Business Intelligence

O IBM Cognos BI v10.2 oferece um tipo de conexão de dados para conexões diretas a bancos de dados IMS. Este artigo descreve as melhores práticas para configurar o servidor IBM Cognos BI, preparar o sistema IMS de destino para aplicativos de relatório e criar relatórios.

Richard Tran, Software Engineer, IBM

Richard Tran é engenheiro de software trabalhando na liderança da equipe de IMS Open Database. Ele está envolvido na integração do IMS com outras soluções de negócio, como Business Analytics and Reporting, Content Discovery e Web Enablement.



Kevin Hite, IMS Solution Test, IBM

Kevin Hite photoKevin Hite é engenheiro de software trabalhando na equipe de IMS Performance Test. Ele está envolvido na integração, análise e ajuste do desempenho de novos recursos de IMS em aplicativos e ambientes estilo cliente utilizam uma ampla variedade de ferramentas e produtos IBM.



Nigel Campbell, Senior Developer, IBM

Nigel Campbell é senior developer na IBM Cognos associado a tecnologias de mecanismo de consulta query e acesso de dados usadas pelos produtos IBM Cognos Business Intelligence: análise, consulta, relatório e armazenamento. Ele está no setor há mais de 25 anos desenvolvendo produtos e aplicativos que abrangem muitas plataformas relacionais e não relacionais.



David Hanson, Information Developer, IBM

David Hanson é desenvolvedor de informações para IMS e IMS Enterprise Suite, focado na usabilidade, modernização de IMS e conectividade.



30/Ago/2013

Introdução

Objetivo

Um banco de dados IMS normalmente contém dados operacionais para cargas de trabalho transacionais de alto volume. Essas cargas de trabalho incluem aplicativos de finanças, seguro e varejo que contêm uma variedade de dados importantes sobre clientes, interações e tendências de negócio. Em um cenário típico de inteligência de negócios, os dados operacionais devem ser armazenados e pré-processados antes de estarem acessíveis ao autor do relatório do IBM Cognos Business Intelligence (BI). Porém, contar somente em dados armazenados adiciona restrições à flexibilidade de um aplicativo de relatório de negócios. Porque o autor do relatório tem acesso apenas aos dados armazenados, e não ao sistema transacional online, as informações com os detalhes mais atualizados não estão disponíveis.

O IBM Cognos BI 10.2 oferece um tipo de conexão de dados para conexões diretas ao banco de dados IMS. Com acesso direto ao banco de dados de origem, é possível criar aplicativos de relatório drill-to-detail que aproveitem dados do IMS. Este artigo descreve as melhores práticas para configurar o servidor IBM Cognos BI, preparar o sistema IMS de destino para aplicativos de relatório e criar relatórios.

Aplicabilidade

Este artigo é escrito para IBM Cognos BI 10.2 e IMS Versão 12.

O sistema IMS fornecendo dados para o servidor IBM Cognos BI deve ter os seguintes recursos habilitados:

  • IMS Catalog
  • IMS Common Service Layer (CSL)
  • IMS Open Database Manager (ODBM)
  • IMS Connect

Atualizações de serviço para os seguintes APARs do IMS são necessárias:

  • PM65139
  • PM69378

Visão geral do cenário e informações de contexto

Um aplicativo IMS típico para processamento de seguro pode conter informações como o nome do titular da apólice, o número da apólice, os dados de reivindicação, informações geográficas e números de referência para outros dados.

O autor do relatório trata a origem de dados IMS como faria com qualquer outra origem de dados relacionais. Em alguns casos, estruturas de dados hierárquicos subjacentes podem impor limitações aos tipos de consultas suportadas e como algumas consultas são executadas.

Em geral, o autor do relatório não precisa conhecer as especificidades das estruturas de dados IMS subjacentes ou como são apresentadas via a interface JDBC. Porém, entender a estrutura hierárquica do banco de dados IMS de destino pode ajudar a projetar relatórios e consultas mais eficientes.

Um banco de dados IMS é composto por segmentos que são conectados por relações hierárquicas. Cada segmento contém um ou mais campos contendo dados. Os segmentos de banco de dados do IMS são apresentados como tabelas, e os campos são apresentados como colunas. A relação hierárquica entre os segmentos do banco de dados do IMS são modeladas como relações de chave primária e estrangeira entre tabelas.

O driver IMS Universal JDBC apresenta os bancos de dados IMS hierárquicos subjacentes como origens de dados relacionais via APIs do JDBC. O driver JDBC também realiza a conversão de consulta em nome do servidor IBM Cognos BI.

Para ler mais sobre como as estruturas de dados hierárquicas do IMS são mapeadas para o modelo de banco de dados relacional, consulte a seção chamada Comparison of hierarchical and relational databases no documento IMS Version 12 Application Programming.


Configurando o IBM Cognos BI para origens de dados do IMS

Configurando os parâmetros de conexão do JDBC

O driver IMS Universal JDBC tem suporte para vários parâmetros de conexão padrão que controlam como os dados são recuperados do IMS. Para o relatório do IBM Cognos BI, é importante que o driver retorne todo o conjunto de dados para uma consulta. É recomendado que os parâmetros maxRows e fetchSize sejam deixados nos seus valores padrão (0) para que todo o conjunto de resultados seja retornado para uma consulta.

Modelos do Framework Manager

Um modelo do IBM Cognos BI Framework Manager pode conter assuntos de consulta que acessam dados de um ou mais bancos de dados do IMS. Um modelo consiste em um conjunto de assuntos de consulta de banco de dados (db-query subjects) que mapeiam para as tabelas IMS que podem ser usadas nos assuntos de consulta que representam entidades lógicas/de negócios.

Um assunto de consulta de banco de dados é criado importando metadados retornados pelo driver IMS Universal JDBC. Um assunto de consulta de banco de dados contém uma consulta lógica abstrata que projeta as colunas da tabela ou, opcionalmente, uma instrução SQL personalizada.

Conforme os usuários executam relatórios e realizam consultas ad hoc, o mecanismo de consulta no servidor IBM Cognos BI usa os metadados no modelo Framework Manager e conhecimento da sintaxe SQL do driver IMS Universal JDBC para desenvolver dinamicamente instruções SQL.

Embora o mecanismo de consulta IBM Cognos BI reconheça a sintaxe SQL suportada pelo driver IMS Universal JDBC, há restrições impostas pelo driver IMS Universal JDBC relacionadas ao contexto das referências de uma expressão ou coluna que não podem ser detectadas e podem causar erros de análise. Esses cenários podem ser evitados modelando os assuntos de consulta de banco de dados manualmente.

Um assunto de consulta de banco de dados pode ser definido usando SQL personalizado, que é definido como uma instrução SQL de passagem, como mostra a Figura 1. Usar a abordagem de passagem garante que a sintaxe SQL transmitida para o driver IMS Universal JDBC seja suportada em todos os casos. A Figura 1 mostra o painel de SQL Settings para a janela Query Subject Definition no Framework Manager, em que é possível definir o tipo SQL de passagem.

Figura 1: Selecionando Pass-Through como o SQL Type para um assunto de consulta no Framework Manager
Figura 1: Selecionando Pass-Through como o SQL Type para um assunto de consulta no Framework Manager

É possível converter um assunto de consulta do banco de dados importado para usar Pass-Through SQL de duas maneiras:

  • Editando o assunto de consulta do banco de dados importado e inserindo uma nova instrução.
  • Salvando o assunto de consulta do banco de dados importado, testando a instrução gerada pelo mecanismo de consulta (na guia Query Information), copiando a instrução SQL nativa e colando a instrução como uma definição SQL de consulta do banco de dados.

Metadados adicionais, incluindo colunas calculadas e filtros, podem ser definidos nos assuntos de consulta que usam os assuntos de consulta do banco de dados que serão calculados pelo mecanismo de consulta no servidor do IBM Cognos BI.


Projetando consultas SQL para bancos de dados IMS

É possível reduzir o tamanho do conjunto de resultados da consulta que o driver IMS Universal JDBC retorna para o IBM Cognos BI Server usando filtros (predicados SQL) que são suportados pelo driver IMS Universal JDBC. Os seguintes exemplos usam o banco de dados de amostra Great Outdoors Sales (GOSALES) para ilustrar as regra s de sintaxe de consulta do IMS. Nesses exemplos, o banco de dados GOSALES é tratado como se fosse uma origem de dados IMS com uma estrutura hierárquica subjacente. Um subconjunto da estrutura do banco de dados de exemplo é mostrado na Figura 2. As tabelas GOSALES, H_COUNTRY e H_BRANCH são mostradas como segmentos de banco de dados hierárquicos. O segmento GOSALES é a raiz, com COUNTRY e H_COUNTRY como filhos. H_COUNTRY tem H_BRANCH como filho. O segmento GOSALES contém os campos ROOTKEY e TABTYPE e possui 20 bytes. COUNTRY e H_COUNTRY têm ambos 357 bytes de comprimento e contêm campos idênticos: GS_ROOTKEY, COUNTRY_CODE, LL, COUNTRY_EN, FLAG_IMAGE, SALES_REGION_CODE, ISO_THREE_LETTER_CODE, ISO_TWO_LETTER_CODE, ISO_THREE_DIGIT_CODE e EURO_IN_USE_SINCE. A tabela H_BRANCH tem 1572 bytes de comprimento e contém os campos GS_ROOTKEY, HCTRY_COUNTRY_CODE, BRANCH_CODE, COUNTRY_EN, ADDRESS1, ADDRESS1_MB, ADDRESS2, ADDRESS2_MB, CITY, CITY_MB, PROV_STATE, PROV_STATE_MB, POSTAL_ZONE, COUNTRY_CODE, ORGANIZATION_CODE e WAREHOUSE_BRANCH_CODE.

Figura 2 – Banco de dados hierárquico de amostra com duas tabelas filhas idênticas a partir da tabela raiz e uma tabela de ramificação a partir de uma das tabelas filhas
Figura 2 – Banco de dados hierárquico de amostra com duas tabelas filhas idênticas a partir da tabela raiz e uma tabela de ramificação a partir de uma das tabelas filhas

Para mais informações sobre o banco de dados de amostra, consulte a seção chamada The Sample Outdoors Company no "Guia de Administração e Segurança do IBM Cognos Business Intelligence ", encontrado no Centro de Informações do IBM Cognos 10.2 BI.

Consultas usando junções internas

Operações de junções internas são suportadas pelo driver IMS Universal JDBC para tabelas com uma relação de chave primária e estrangeira em que o predicado é expresso nas colunas que participam da relação de chave estrangeira. O exemplo a seguir é suportado porque a tabela H_BRANCH tem uma relação de chave estrangeira (HCTRY_COUNTRY_CODE) com a tabela H_COUNTRY. Essa relação existe porque os segmentos H_COUNTRY e H_BRANCH estão no mesmo caminho de banco de dados hierárquico no banco de dados IMS subjacente.

SELECT * FROM H_BRANCH INNER JOIN H_COUNTRY ON 
 H_BRANCH.HCTRY_COUNTRY_CODE=H_COUNTRY.COUNTRY_CODE

Uma tentativa de definir uma junção entre duas tabelas sem relações de chave primária e estrangeira adequadas não é suportada, como no seguinte exemplo:

SELECT * FROM COUNTRY INNER JOIN H_COUNTRY ON
 COUNTRY.COUNTRY_CODE=H_COUNTRY.COUNTRY_CODE

Enviar uma consulta com uma junção interna não suportada resultará em um erro do driver IMS Universal JDBC que identifica a causa do problema:

java.sql.SQLException: The tables H_COUNTRY and COUNTRY specified in the query cannot 
be joined together. They are not along the same hierarchic path in the database.

Consultas usando funções matemáticas ou agregadas

Funções matemáticas e agregadas não são suportadas para sequências literais e numéricas que não usam expressões aninhadas. As duas consultas a seguir são suportadas:

SELECT 1 + SUM (COUNTRY_CODE) FROM COUNTRY

SELECT SUM (SIN (COUNTRY_CODE+2)) FROM COUNTRY

Porém, o exemplo a seguir não é suportado porque a expressão 1 + SUM(COUNTRY_CODE) está aninhada dentro da expressão -():

SELECT - (1 + SUM(COUNTRY_CODE)) FROM COUNTRY

O exemplo a seguir não é suportado porque a expressão (2 * 5) está aninhada dentro da expressão SIN (COUNTRY+()).

SELECT SUM( SIN(COUNTRY + (2 * 5 ))) FROM COUNTRY

Expressões aninhadas não suportadas causam o seguinte tipo de erro no driver IMS Universal JDBC:

java.sql.SQLException: Encountered " "(" "( "" at line 1, column 23.

Consultas usando BETWEEN e IN

BETWEEN e IN são suportados quando usados com literais:

SELECT * FROM COUNTRY WHERE COUNTRY_CODE BETWEEN 1 AND 5

SELECT * FROM COUNTRY WHERE COUNTRY_CODE IN (1, 3, 5)

Porém, não são suportados com expressões:

SELECT * FROM COUNTRY WHERE COUNTRY_CODE BETWEEN 1 + 1 AND 5

SELECT * FROM COUNTRY WHERE COUNTRY_CODE IN ( 1 + 1, 3, 5)

O erro para uma expressão não suportada em uma consulta com BETWEEN ou IN varia, dependendo da expressão usada na consulta. Para o segundo exemplo não suportado, a seguinte mensagem de erro é lançada:

java.sql.SQLException: Encountered " "+" "+ "" at line 1, column 44

Expressões na lista de projeção

Chamadas usando expressões exclusivamente na lista de projeção são suportadas:

SELECT COUNTRY_CODE + 1 FROM COUNTRY WHERE COUNTRY_CODE > 0

Expressões não são suportadas no predicado (cláusula WHERE):

SELECT COUNTRY_CODE FROM COUNTRY WHERE COUNTRY_CODE + 1 > 0

As mensagens de erro para esse cenário são similares às do caso anterior. O conteúdo exato da mensagem de erro depende da expressão que levou ao erro.

Usando palavras-chave não suportadas pelo driver IMS Universal JDBC

Sintaxe SQL que não é diretamente suportada pelo driver IMS Universal JDBC pode ser usada no modo Cognos SQL. Porém, há um custo de desempenho direto para usar palavras-chave não suportadas. A seguinte instrução de exemplo não funciona no modo Pass-Through SQL porque o driver IMS Universal JDBC não tem suporte para a sintaxe, mas ela executará no modo Cognos SQL:

SELECT STDDEV(EURO_IN_USE_SINCE) FROM COUNTRY

A camada de interpretação do banco de dados IMS não tem suporte para a palavra-chave STDDEV. Em vez disso, o servidor IBM Cognos BI interpreta a sintaxe e envia a seguinte consulta:

SELECT EURO_IN_USE_SINCE FROM COUNTRY

O valor de desvio padrão resultante é calculado pelo servidor IBM Cognos BI a partir de todo o conjunto de valores retornados. Usar palavras-chave suportadas no modo Cognos SQL, mas não pelo driver IMS Universal JDBC, resultará em grandes conjuntos de resultado de consulta e carga de trabalho pós-processamento adicional no servidor IBM Cognos BI.


Usando macros e prompts do IBM Cognos BI com dados do IMS

É possível usar o recurso de macro do mecanismo de consulta do IBM Cognos BI para parametrizar instruções SQL para maior flexibilidade. Os macros do IBM Cognos BI permite adicionar elementos dinamicamente gerados às consultas de relatório, mesmo em lugares em que o driver IMS Universal JDBC não tem suporte para expressões interpretadas. Por exemplo, o driver IMS Universal JDBC não tem suporte para o uso de expressões em predicados, mas é possível usar macros para, em vez disso, calcular dinamicamente um valor literal suportado.

O exemplo a seguir mostra dois predicados que exploram os macros do IBM Cognos BI:

SELECT
	“BRANCH”.”BRANCH_CODE” AS “BRANCH_CODE”,
	“BRANCH”.”ADDRESS1” AS “ADDRESS1”,
	“BRANCH”.”ADDRESS1_MB” AS “ADDRESS1_MB”,
	“BRANCH”.”ADDRESS2” AS “ADDRESS2”,
	“BRANCH”.”ADDRESS2_MB” AS ADDRESS2_MB”,
	“BRANCH”.”CITY” AS “CITY”,
	“BRANCH”.”CITY_MB” AS “CITY_MB”,
	“BRANCH”.”PROV_STATE” as “PROV_STATE”,
	“BRANCH”.”PROV_STATE_MB” as “PROV_STATE_MB”,
	“BRANCH”.”GOSALES_ROOTKEY” AS “GOSALES_ROOTKEY”,
	“BRANCH”.”POSTAL_ZONE” AS “POSTAL_ZONE”,
	“BRANCH”.”COUNTRY_CODE” AS “COUNTRY_CODE”,
	“BRANCH”.”ORGANIZATION_CODE” as “ORGANIZATION_CODE”,
	“BRANCH”.”WAREHOUSE_BRANCH_CODE” AS “WAREHOUSE_BRANCH_CODE”
FROM
	“GSPCB”.”BRANCH” “BRANCH”
WHERE
	“BRANCH”.”BRANCH_CODE”=#prompt(‘BranchcodePrompt’,’integer’,’103’)#
	#prompt(‘CountryCodePrompt’,’integer’,’ ‘,’AND “BRANCH”.”COUNTRY_CODE” =’)#

Na cláusula WHERE, o valor BRANCH_CODE é definido por um prompt para uma consulta ou o valor inteiro padrão de 103. Se o valor de COUNTRY_CODE for transmitido por um segundo prompt, um segundo predicado é incluído na cláusula WHERE com o valor de prompt especificado. Para mais informações sobre prompts, consulte a seção chamada Creating Prompts Using Query Macros no “Guia do Usuário do IBM Cognos Report Studio”, disponível no Centro de Informações do IBM Cognos BI 10.2.

Também é possível macros para incorporar valores calculados às suas consultas. Por exemplo:

SELECT
	“ORDER_HEADER”.”ORDER_NUMBER” AS “ORDER_NUMBER”,
	“ORDER_HEADER”.”RETAILER_NAME” AS “RETAILER_NAME”,
	“ORDER_HEADER”.”RETAILER_NAME_MB” AS “RETAILER_NAME_MB”,
	“ORDER_HEADER”.”RETAILER_SITE_CODE” AS “RETAILER_SITE_CODE”,
	“ORDER_HEADER”.”RETAILER_CONTACT_CODE” AS “RETAILER_CONTACT_CODE”,
	“ORDER_HEADER”.”SALES_STAFF_CODE” AS “SALES_STAFF_CODE”,
	“ORDER_HEADER”.”SALES_BRANCH_CODE” AS “SALES_BRANCH_CODE”,
	“ORDER_HEADER”.”ORDER_DATE” AS “ORDER_DATE”,
	“ORDER_HEADER”.”GOSALES_ROOTKEY” AS “GOSALES_ROOTKEY”,
	“ORDER_HEADER”.”ORDER_CLOSE_DATE” AS “ORDER_CLOSE_DATE”,
	“ORDER_HEADER”.”ORDER_METHOD_CODE” AS “ORDER_METHOD_CODE”,
FROM
	“GSPCB”.”ORDER_HEADER” “ORDER_HEADER”
WHERE
	“ORDER_HEADER”.”ORDER_DATE” >
		#timestampMask(_add_days( $current_timestamp, -30 ) , ‘yyyymmdd’)# and
	“ORDER_HEADER”.”ORDER_DATE” < = #timestampMask(#current_timestamp , ‘yyyymmdd’)#

A instrução SQL para esse assunto de consulta do banco de dados inclui valores calculados na cláusula WHERE. Dois números inteiros, representando a data atual e 30 dias antes da data atual, são calculados quando a consulta é executada. É possível usar macros para modificar dinamicamente as consultas sem apresentar gasto adicional de desempenho no sistema IMS de destino.


Usando layouts de relatório de mestre-detalhe

Um relatório pode conter um ou mais layouts aninhados definidos como uma relação de mestre-detalhe. Conforme um relatório é executado, dados da linha mestre podem ser usados como valores de filtro para as consultas filhas associadas que são executadas. Esse padrão de relatório pode ser usado para relacionar as consultas em um relatório sem transferir uma junção explícita para o driver IMS Universal JDBC. Esse padrão de relatório está disponível para autores de relatório do Report Studio.

Para mais informações sobre mestre-detalhe e outros padrões de relatório, consulte o artigo do IBM developerWorks chamado IBM Cognos Proven Practices: IBM Cognos BI - Working with Multiple Relational Data Sources.

Para mais informações sobre a otimização de relações de mestre-detalhe, consulte o artigo do IBM developerWorks chamado IBM Cognos Proven Practices: Improving IBM Cognos Report Studio Master Detail Report Performance.


Configurando o IMS para relatório de inteligência de negócios

Diretrizes de configuração de PSB

Os bancos de dados do IMS estão expostos a aplicativos por meio de um Program Specification Block (PSB). Um PSB contém visualizações e permissões de banco de dados na forma de Program Control Blocks (PCBs), que são o equivalente de esquemas de bancos de dados em bancos de dados relacionais. As processing options (PROCOPTs) do PCB mapeiam para os privilégios de tabela e coluna expostos ao seu aplicativo de relatório por meio do driver IMS Universal JDBC.

Os administradores do servidor IBM Cognos BI podem substituir o nível de isolamento de conversão da origem de dados padrão usado para consultas com relação a um banco de dados de destino. Porém, para bancos de dados IMS, o nível de isolamento da transação deve ser definido com as PROCOPTs no PSB para o aplicativo de relatório.

Uma melhor prática é usar apenas esquemas com acesso de leitura não confirmado (PCBs com PROCOPTs ‘G’ e ‘O’) ou acesso de leitura confirmado PCBs com PROCOPT ‘G’) para o banco de dados para aplicativos de relatório. Leituras confirmadas são adequadas para relatórios que acessam dados que podem ser alterados simultaneamente durante a execução do aplicativo de relatório.

Um aplicativo de relatório de negócio normalmente espera usar somente leituras confirmadas. Usar leituras confirmadas com relatórios HTML interativos pode resultar em bloquear a contenção com outros aplicativos que estão tentando atualizar as informações. A contenção pode ocorrer devido a usuários finais pausarem por longos períodos conforme navegam dinamicamente na saída paginada. Para minimizar o período pelo qual os bloqueios são mantidos, considere produzir saídas de relatório que sejam renderizadas como PDF, HTML estático ou relatórios ativos.

Para mais informações sobre o uso de PROCOPTs do IMS para definir níveis de acesso do banco de dados, consulte a seção chamada Preventing a program from updating data: processing options no documento chamado IMS Version 12 Application Programming.

A linguagem de consulta de dados nativa para IMS é DLI. O driver IMS Universal JDBC transformará as instruções SQL no equivalente de DLI. Os predicados SQL (ou seja, cláusula WHERE) são convertidos em um Segment Search Argument (SSA) de DLI que pode ser mais complexo que um SQL direto para conversão de DLI, dependendo de vários fatores, como o predicado e o tipo de banco de dados do IMS.

O administrador do banco de dados pode definir a quantidade de armazenamento principal reservada no pool de trabalho do PSB para conter uma cópia das sequências SSA do usuário durante a execução do programa de aplicativo com o parâmetro SSASIZE do utilitário de geração do PSB. Grandes SSAs potencialmente podem ser gerados por consultas de relatório, de modo que o administrador do banco de dados do IMS deve prever que uma grande quantidade de armazenamento será necessária. O IMS pode calcular dinamicamente o valor do parâmetro SSASIZE durante a Application Control Block Generation (ACBGEN), mas é importante observar a quantidade de espaço de pool exigida por aplicativos de relatório com grandes SSAs de modo que o administrador do sistema do IMS possa ajustar corretamente os buffer pools do IMS. O administrador do banco de dados pode obter essas informações da mensagem DFS0589I emitida pelo utilitário ACBGEN.


Diretrizes de configuração do sistema IMS

Ao executar um relatório com relação a um Banco de Dados IMS de Full Function ou Fast Path (DEDB), a configuração dos buffers pools do IMS pode afetar o desempenho. O IMS possui parâmetros de ajuste para reduzir a E/S do banco de dados ajustando as configurações do buffer de modo que blocos grandes de dados possam ser armazenados em cache. Ferramentas como IMS Buffer Pool Analyzer para z/OS podem analisar ambientes de buffer pool e recomendar alterações ao número de buffers em cada subpool para melhorar o desempenho. Para bancos de dados Fast Path, há um recurso de Virtual Storage Option (VSO) que permite que os dados sejam mapeados para estruturas de recurso de acoplamento ou armazenamento virtual para acesso mais rápido, menor E/S e redução da contenção de bloqueio. Para mais informações sobre buffer pools, consulte a seção chamada IMS buffer pool tuning no documento chamado IMS Version 12 System Administration.

Definições do programa definem o planejamento e as exigências de recursos para programas de aplicativos. O planejamento do programa pode ser realizado de maneira serial ou em paralelo. Se o usuário esperar que outros aplicativos possam estar tentando criar conexões com relação ao PSB enquanto um relatório está em execução, recomenda-se que o planejamento seja definido para paralelo para permitir várias conexões simultâneas. Esse valor pode ser definido usando Dynamic Resource Definition (DRD) por meio de comandos Tipo 2 como CREATE PGM e UPDATE PGM e o parâmetro SCHDTYPE. Como alternativa, isso pode ser definido por meio do parâmetro macro SCHDTYP=PARALLEL do aplicativo de Estágio 1 (APPLCTN).

Diretrizes de configuração do Open Database Manager e do IMS Connect

O IMS Connect é um servidor TCP/IP usado para gerenciar conexões de e para o IMS. No cenário do IBM Cognos BI, a conexão com o IMS é feita para o host e a porta configurados nos parâmetros de definição do sistema do IMS Connect.

O IBM Cognos BI fornece a habilidade de criar relatórios interativos. Esses relatórios podem deixar ResultSets abertos em um estado ocioso por longos períodos enquanto os usuários navegam nos dados interativamente. O IMS Connect pode atingir o tempo limite enquanto espera uma nova solicitação pelo cliente. Para evitar que o aplicativo de relatório perca a conexão, defina o valor de tempo limite do IMS Connect (usando o parâmetro PORTTMOT da instrução ODACCESS no membro HWSCFGxx do conjunto de dados IMS.PROCLIB) para um valor maior que o valor de tempo limite de conexão da origem de dados do IBM Cognos BI. O valor de tempo limite da conexão da origem de dados padrão é de 15 minutos. Consulte Data Source Connection Settings no “Guia de Administração e Segurança do IBM Cognos Business Intelligence”, disponível no Centro de Informações do IBM Cognos 10.2 BI.

O IMS Open Database Manager (ODBM) é um componente da Common Service Layer (CSL) do IMS. O ODBM gerencia as conexões do banco de dados e acessa solicitações que usam IMS Universal Drivers, Open Database Access (ODBA) ou interface CSLDMI. O ODBM converte chamadas do banco de dados do formato Distributed Relational Database Architecture (DRDA) para chamadas DL/I que podem ser interpretadas pelo gerenciador de banco de dados do IMS.

O ODBM, opcionalmente, tem suporte para Resource Recovery Services (RRS) do z/OS como o coordenador do ponto de sincronização. O RRS é requerido quando o protocolo de confirmação de duas fases é usado, mas aplicativos de relatório de inteligência de negócios não usam confirmações de duas fases. Em geral, recomenda-se que RRS não seja habilitado (RRS=NO) para o cenário IBM Cognos BI.


Diagnóstico para análise de consulta

Visualização de consultas decompostas

Quando o modo Pass-Through SQL não é usado, o IBM Cognos BI tenta decompor consultas para a sintaxe suportada antes de enviá-las para o driver IMS Universal JDBC. Você pode desejar examinar a sintaxe decomposta para localizar gargalos de desempenho ou determinar por que uma consulta não retorna os resultados esperados. É possível visualizar essas informações para o IBM Cognos BI Framework Manager e o Report Studio.

Para instruções do Framework Manager, consulte a Nota Técnica de Suporte de Software IBM em http://www-01.ibm.com/support/docview.wss?uid=swg21345724.

Para instruções do Report Studio, consulte a seção chamada Visualização do SQL de todo um relatório ou consulta no “Guia do Usuário do IBM Cognos Report Studio”, disponível no Centro de Informações do IBM Cognos BI 10.2.

Rastreio de driver IMS Universal JDBC

O driver IMS Universal JDBC fornece vários parâmetros como parte da URL de conexão do DriverManager que pode ser usada para habilitar rastreio dinâmico:

  • traceFile - Especifica um nome de arquivo em que os dados de rastreio serão registrados
  • traceFileAppend - Especifica se as entradas de rastreio são anexadas a um arquivo de log existente (true) ou substituem as informações existentes (false).
  • traceDirectory - Especifica o caminho do diretório em que o arquivo de rastreio é armazenado.
  • traceLevel - Um campo de sinalizador de 1 byte que controla as configurações de rastreio do driver. Defina isso para o valor -1 para habilitar o rastreio para todos os componentes do driver.

Para mais informações sobre a URL de conexão do DriverManager, consulte a seção chamada Connecting to an IMS database by using the JDBC DriverManager interface no documento chamado IMS Version 12 Application Programming.

Comentários

developerWorks: Conecte-se

Los campos obligatorios están marcados con un asterisco (*).


Precisa de um ID IBM?
Esqueceu seu ID IBM?


Esqueceu sua senha?
Alterar sua senha

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

 


A primeira vez que você entrar no developerWorks, um perfil é criado para você. Informações no seu perfil (seu nome, país / região, e nome da empresa) é apresentado ao público e vai acompanhar qualquer conteúdo que você postar, a menos que você opte por esconder o nome da empresa. Você pode atualizar sua conta IBM a qualquer momento.

Todas as informações enviadas são seguras.

Elija su nombre para mostrar



Ao se conectar ao developerWorks pela primeira vez, é criado um perfil para você e é necessário selecionar um nome de exibição. O nome de exibição acompanhará o conteúdo que você postar no developerWorks.

Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres. Seu nome de exibição deve ser exclusivo na comunidade do developerWorks e não deve ser o seu endereço de email por motivo de privacidade.

Los campos obligatorios están marcados con un asterisco (*).

(Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres.)

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

 


Todas as informações enviadas são seguras.


static.content.url=http://www.ibm.com/developerworks/js/artrating/
SITE_ID=80
Zone=Information Management
ArticleID=942121
ArticleTitle=Práticas Comprovadas do IBM Business Analytics: Melhores práticas para usar Dados IMS nos Relatórios de BI do IBM Cognos
publish-date=08302013