Avançar para a área de conteúdo

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

A primeira vez que acessar o developerWorks, um perfil será criado para você. Informações do seu perfil (tais como: nome, país / região, e empresa) estarão disponíveis ao público, que poderá acompanhar qualquer conteúdo que você publicar. Seu perfil no developerWorks pode ser atualizado a qualquer momento.

Todas as informações enviadas são seguras.

  • Fechar [x]

Ao se conectar ao developerWorks pela primeira vez, é criado um perfil para você e é necessário selecionar um nome de exibição. O nome de exibição acompanhará o conteúdo que você postar no developerWorks.

Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres. Seu nome de exibição deve ser exclusivo na comunidade do developerWorks e não deve ser o seu endereço de email por motivo de privacidade.

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

Todas as informações enviadas são seguras.

  • Fechar [x]

IASPs Comutáveis do IBM i: uma Configuração Funcional por Meio de Exemplos

Um guia passo a passo para seu funcionamento com o armazenamento em cluster do IBM i

Ian Marshall, IBM i Consultant, IBM UK Ltd
Ian Marshall é consultor do IBM i no IBM Hursley Innovation Centre e auxilia a habilitação de soluções IBM ISV para a plataforma IBM i, participando de todos os aspectos do sistema operacional. Passou a fazer parte da IBM em 1991, trabalhando com suporte aos clientes do AS/400 durante oito anos. Depois de 10 anos desempenhando a função de consultor técnico sobre produtos IBM WebSphere® Commerce em várias plataformas, Ian voltou a trabalhar com a marca IBM i no Innovation Centre.

Resumo:  A tecnologia de conjunto de armazenamentos auxiliares independentes IBM i (IASP) é o bloco de criação fundamental para o fornecimento de recursos comutáveis entre vários servidores IBM i. A implementação dessa tecnologia é fácil? Há várias referências a esse assunto, entre elas: IBM i 6.1 Independent ASPs: A Guide to Quick Implementation of Independent ASPs, IBM eServer iSeries Independent ASPs: A Guide to Moving Applications to IASPs, Clustering and IASPs for Higher Availability on the IBM eServer iSeries Server e Independent ASP Performance Study on the IBM eServer iSeries Server. Entretanto, apesar de abrangente, o material fazia referência a versões anteriores do sistema operacional ou não fornecia um guia passo a passo conciso e fácil para configurar IASPs comutáveis e fazê-los funcionar, do hardware para cima. Por isso, decidi compilar minha própria contribuição na forma de um guia por etapas sobre como configurar IASPs para duas partições do IBM i e torná-las comutáveis. Assim, é possível mudar o armazenamento de um nó de backup primário para um secundário em um cenário de pseudo-failover.

Data:  06/Ago/2012
Nível:  Intermediário Também disponível em :   Inglês
Atividade:  2097 visualizações
Comentários:  


Hardware físico

Primeiro, devemos avaliar o ambiente de hardware inicial. A Figura 1 é uma ilustração esquemática do hardware físico do servidor IBM Power Systems™, detalhando uma boa parte do hardware tal como ele é visto da parte traseira do rack. É possível ver no esquema que há um código de cor indicando como é a alocação dos vários barramentos para cada uma das partições. Há duas partições, IS0470 e IS0471, com alocações de barramento e placa. Os recursos com a cor magenta se referem ao IS470 e os azuis, ao IS471. É possível observar que o barramento 11, com o código de cor verde, tem um IOP 2844 que aciona um controlador de barramento SCSI e um controlador de fita Fibre Channel. Esses recursos de barramento do sistema são os recursos compartilhados (e, assim, comutados) entre as duas partições. O controlador de disco SCSI controla todas as 12 unidades dentro da unidade de expansão inferior.


Figura 1. Esquema do layout do rack


Configuração de HMC

Alocações desejadas e necessárias

Agora, precisamos configurar o hardware de acordo com o layout ilustrado. Nos perfis de partição do Hardware Management Console (HMC), nós os configuramos para que as alocações na cor magenta ou azul sejam configuradas como recursos desejados para suas respectivas partições. O barramento 11 restante, mostrado em verde, deve ser marcado como desejado em ambas as partições.


Figura 2. Alocações para IS0470 (partição primária)

Definição do conjunto de E/S

Agora, precisamos configurar um conjunto de E/S para cada uma das partições, para poder adicionar os nossos recursos compartilhados a ele com o objetivo de permitir que o servidor as comute dinamicamente. Na tela Partition do servidor, clique no ícone adjacente para escolher uma das duas partições e selecione Properties no menu suspenso.


Figura 3. Seleção de Properties para uma partição

Agora, selecione Hardware e, em seguida, I/O. No fim da lista de adaptadores, selecione I/O Pools.


Figura 4. Conjuntos de E/S da partição

Em seguida, é exibido o painel I/O Pools, que permite gerar IDs de conjunto adicionais para uma partição. Ao clicar na seta para baixo referente ao campo do número do grupo, será exibido o próximo número de conjunto que pode ser alocado. Selecione esse número e clique em Add. É possível ver o novo conjunto na lista.


Figura 5. Definição de um novo conjunto de E/S

Clique em OK para aceitar o acréscimo do novo conjunto.

Será necessário repetir o processo de inclusão de grupos na outra partição de compartilhamento. Use o mesmo ID do conjunto para a partição de compartilhamento.

Inclusão de um recurso compartilhado no conjunto de E/S

Agora, precisamos incluir os adaptadores compartilhados (obrigatórios) no conjunto que acabamos de criar. Selecione a partição primária na lista de partições no HMC. Selecione o ícone como feito anteriormente, mas, desta vez, selecione Manage profiles.


Figura 6. Selecione o perfil de configuração de uma partição

Para editar o perfil, selecione o perfil da partição e, em seguida, Actions -> Edit. Suponho que já esteja familiarizado com isso. Selecione a guia I/O e role a tela até os adaptadores marcados como desejados. Clique no link referente a um dos adaptadores compartilhados. O seguinte painel será exibido. Selecione Use in I/O Pool e insira o ID do conjunto gerado anteriormente. Em seguida, clique em OK.


Figura 7. Associe o recurso da placa ao seu conjunto de E/S

É necessário repetir esse procedimento em cada adaptador que deseja compartilhar. Neste caso, todos os que estão no barramento 11.

Habilitação do OptiConnect virtual

Após a conclusão do processo de inclusão de todos os adaptadores compartilhados no conjunto de E/S, voltamos para o painel de E/S dentro da configuração do perfil.

Selecione OptiConnect e Use virtual OptiConnect para este perfil de partição.


Figura 8. Habilite o Opticonnect virtual

Clique em OK para salvar o perfil.

Em seguida, é necessário selecionar o perfil da partição de backup e repetir as etapas acima para incluir os adaptadores do perfil dessa partição no mesmo conjunto de E/S e habilitar o OptiConnect virtual.

Resumo da configuração do HMC

Nas duas partições, incluímos um conjunto de E/S compartilhado com o mesmo número de identificação para ambas, com o objetivo de habilitar cada uma delas a participar do compartilhamento dos recursos de adaptador e de qualquer dispositivo conectado (no nosso caso, várias unidades de disco). Além disso, para cada adaptador compartilhado, em ambos os perfis de partição, nós os incluímos no conjunto de E/S definido e habilitamos o OptiConnect virtual em cada um dos perfis de partição.


Ative a partição primária e a de backup

Agora, é necessário ativar cada uma das partições usando os perfis configurados, restaurar o Código Interno Licenciado (LIC) e o sistema operacional como normais, tomando o cuidado, em cada partição, de só alocar e formatar para o ASP1 unidades que não estejam conectadas aos adaptadores no barramento compartilhado (no nosso caso, o barramento 11). A alocação e formatação das unidades compartilhadas serão realizadas mais tarde.

Com os dois servidores operacionais e todas as correções em funcionamento, podemos passar à configuração das definições de objeto para suportar um ambiente em cluster. O armazenamento em cluster é o mecanismo de suporte que permite o gerenciamento de um ambiente de IASP comutado.


Suporte a TCP/IP para um ambiente em cluster

Antes de começar, é necessário garantir um ambiente TCP/IP que seja operacional. No nosso caso, seguimos a recomendação e alocamos endereços IP para o controle do IASP separados dos endereços usados para o Telnet regular, FTP e outros serviços. Na Figura 9, haverá duas interfaces na partição primária: 172.19.78.98, para a atividade regular de TCPIP, e 172.16.78.99, que será usada para o suporte de armazenamento em cluster (com os endereços 172.16.78.102 e 172.16.78.103, respectivamente, usados no servidor de backup). Entretanto, estamos trabalhando com uma única interface em cada partição.


Figura 9. Interface IP separada para o suporte ao armazenamento em cluster

Para suportar as comunicações para o armazenamento em cluster, iniciamos o daemon TCPIP INET, que é o suporte fundamental para o monitoramento do armazenamento em cluster, nos dois servidores.

STRTCPSVR SERVER(*INETD)

Em seguida, como mostra a Figura 10, as configurações do navegador de operações foram alteradas para iniciar automaticamente esse daemon em ambos os servidores.


Figura 10. Autoinicialização do daemon INET


Configuração do ambiente em cluster

Agora estamos em condições de criar o ambiente em cluster. Estes são os comandos que foram usados para gerar os objetos necessários. É importante ressaltar que só foi necessário executar os comandos CRTCLU, , ADDDEVDMNE e CRTCRG na partição primária porque o INETD foi iniciado e replicou a configuração para a partição de backup.

Criação do cluster

Inclua os dois nós, IS0470 e IS0471, no cluster. Em cada nó, nomeamos um endereço TCP/IP dedicado para uso nas comunicações e na sinalização do cluster.

CRTCLU CLUSTER(CLUSTER) NODE((IS0470 ('172.16.78.99')) (IS0471 ('172.16.78.103')))

Criação do domínio do dispositivo

É necessário incluir cada um dos nós que aparecem no cluster na entidade de domínio do dispositivo.

ADDDEVDMNE CLUSTER(CLUSTER) DEVDMN(DEVDMN) NODE(IS0470)

ADDDEVDMNE CLUSTER(CLUSTER) DEVDMN(DEVDMN) NODE(IS0471)

Criação de uma descrição de dispositivo para o IASP

Crie uma descrição do dispositivo em cada partição executando o seguinte comando nas duas (o INETD não replica este comando). O nome e o nome do recurso foram mantidos, e padronizamos o nome DEVD em cada partição.

CRTDEVASP DEVD(IASPDEVICE) RSRCNAME(IASPDEVICE) TEXT('IASP device to be switched')

Criação do grupo de recursos de cluster

Finalmente, criamos o grupo de recursos de cluster. Ele liga o objeto comutável do sistema operacional (no nosso caso, IASPDEVICE) ao cluster e define a função desempenhada por cada um dos nós do cluster (primário, backup, etc.)

CRTCRG CLUSTER(CLUSTER) CRG(CRG) CRGTYPE(*DEV) EXITPGM(*NONE) USRPRF(*NONE) RCYDMN((IS0470 *PRIMARY *LAST *NONE *NONE) (IS0471 *BACKUP *LAST *NONE *NONE)) CFGOBJ((*NONE *DEVD *ONLINE *NONE))

Agora, todos os objetos do sistema operacional foram gerados


Configuração do conjunto de discos

Só falta criar o conjunto de discos propriamente dito, formatar as unidades e vinculá-las à descrição do dispositivo IASPDEVICE. Só é possível fazer isso usando o navegador de operações Disk Pool Wizard.

Inicie o IBM Navigator para i

Se ainda não tiver uma conexão ao seu servidor, crie uma para que ela apareça em My Connections.

Clique em iSeries Server para expandi-lo (talvez seja necessário efetuar sign on). Clique em Configuration and Servicee, em seguida, em Hardware e Disk Units (serão solicitados o ID do usuário e a senha do Dedicated Service Tools).


Figura 11. Conexão ao SST

Forneça esses dados para habilitar a configuração de disco

Clique com o botão direito do mouse em Disk Pools e selecione New Disk Pool.


Figura 12. Ative o assistente Disk Pool


Figura 13. Tela de abertura do assistente New Disk Pool

Clique em Next. Em seguida, clique em New Disk Pool.


Figura 14. Definição do novo conjunto de discos

Em Type of Disk Pool, selecione Primary.

Insira o nome do dispositivo de IASP criado anteriormente. (No nosso caso, IASPDEVICE). Selecione ou limpe Protect the data in the disk pool , conforme for adequado (optamos por não proteger). Clique em OK.


Figura 15. Device description already found

Se tudo estiver correto, esta mensagem será exibida. Ela indica que a descrição do dispositivo já existe (foi criada anteriormente nos dois servidores). Clique em OK para continuar.

O novo conjunto de discos é mostrado na área de janela à direita. Destaque-o e selecione Next.


Figura 16. Selecione o conjunto de discos

A janela Add Disk Units é exibida. Selecione Add Disks


Figura 17. Inclua unidades de disco

Destaque os discos que deseja incluir no IASP e selecione Add (todos os 12 dispositivos foram selecionados).


Figura 18. Device description already found

A Figura 18 continuará sendo mostrada enquanto os discos são formatados e incluídos no IASP (se for o seu primeiro IASP, o número de ASP é 144).


Observações para o leitor

Tenha em mente que o fato de mover o conteúdo do IASP de um servidor para outro não é uma comutação instantânea e não mantém a disponibilidade dos aplicativos. Os IASPs, por si só, não preenchem os requisitos de alta disponibilidade da maioria dos clientes. Para isso, a IBM recomenda combinar o IASP com uma tecnologia de replicação de alta disponibilidade, como o IBM PowerHA SystemMirror para i, que explora a tecnologia de armazenamento em cluster para fornecer alta disponibilidade, seja no DASD nativo local ou no armazenamento externo conectado ao Fibre Channel.


Sobre o autor

Ian Marshall

Ian Marshall é consultor do IBM i no IBM Hursley Innovation Centre e auxilia a habilitação de soluções IBM ISV para a plataforma IBM i, participando de todos os aspectos do sistema operacional. Passou a fazer parte da IBM em 1991, trabalhando com suporte aos clientes do AS/400 durante oito anos. Depois de 10 anos desempenhando a função de consultor técnico sobre produtos IBM WebSphere® Commerce em várias plataformas, Ian voltou a trabalhar com a marca IBM i no Innovation Centre.

Ajuda para Relatar Abuso

Relatar abuso

Obrigado. Esta entrada foi sinalizada para atenção do moderador.


Ajuda para Relatar Abuso

Relatar abuso

Falha no envio do Relatório de abuso. Tente novamente mais tarde.


developerWorks: Registre-se


Precisa de um ID IBM?
Esqueceu seu ID IBM?


Esqueceu sua senha?
Alterar sua senha

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos de uso do developerWorks.

 


Na primeira vez que você efetua sign in no developerWorks, um perfil é criado para você. Informações selecionadas do seu perfil developerWorks são exibidas ao público, mas você pode editá-las a qualquer momento. Seu primeiro nome, sobrenome (a menos que escolha ocultá-los), e seu nome de exibição acompanharão o conteúdo que postar.

Selecione seu nome de exibição

Ao se conectar ao developerWorks pela primeira vez, é criado um perfil para você e é necessário selecionar um nome de exibição. O nome de exibição acompanhará o conteúdo que você postar no developerWorks.

Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres. Seu nome de exibição deve ser exclusivo na comunidade do developerWorks e não deve ser o seu endereço de email por motivo de privacidade.

(Deve possuir de 3 a 31 caracteres.)


Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos de uso do developerWorks.

 


Classificar este artigo

Comentários

static.content.url=http://www.ibm.com/developerworks/js/artrating/
SITE_ID=80
Zone=Tecnologia Java, Software livre
ArticleID=829048
ArticleTitle=IASPs Comutáveis do IBM i: uma Configuração Funcional por Meio de Exemplos
publish-date=08062012