Avançar para a área de conteúdo

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

A primeira vez que acessar o developerWorks, um perfil será criado para você. Informações do seu perfil (tais como: nome, país / região, e empresa) estarão disponíveis ao público, que poderá acompanhar qualquer conteúdo que você publicar. Seu perfil no developerWorks pode ser atualizado a qualquer momento.

Todas as informações enviadas são seguras.

  • Fechar [x]

Ao se conectar ao developerWorks pela primeira vez, é criado um perfil para você e é necessário selecionar um nome de exibição. O nome de exibição acompanhará o conteúdo que você postar no developerWorks.

Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres. Seu nome de exibição deve ser exclusivo na comunidade do developerWorks e não deve ser o seu endereço de email por motivo de privacidade.

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

Todas as informações enviadas são seguras.

  • Fechar [x]

Migrando os aplicativos SPADE do InfoSphere Streams para SPL, Parte 3: Migrar aplicativos SPADE com funções definidas pelo usuário

Um guia introdutório de exemplos

Kevin Erickson, Senior Software Engineer, I.B.M.
Photo of Kevin Erickson
Kevin Erickson passou a fazer parte da IBM em Rochester, MN, em 1981, como engenheiro eletricista trabalhando no desenvolvimento e teste de unidades de disco rígido. Ele contribuiu para uma grande variedade de produtos e tecnologias IBM, desde sistemas de controle de servomecanismo de eixo e atuador de disco rígido até componentes de kernel do sistema operacional do AS/400 e sucessor. Mais recentemente, Kevin trabalhou no teste de desempenho do supercomputador Roadrunner, o primeiro computador a quebrar a barreira de 1 petaflop. Em 2009, ele se transferiu para o Software Group para trabalhar com a equipe do InfoSphere Streams, primariamente em diversas funções relacionadas a testes. Ao longo de sua carreira na IBM, Kevin recebeu 14 patentes nos EUA e várias em outros países. Ele possui bacharelado em Engenharia Elétrica da Universidade de Minnesota.
Richard P. King, Senior Programmer, IBM
Richard King é membro da equipe do InfoSphere Streams há vários anos. Quando ele passou a fazer parte da IBM em 1977, trabalhou como Associate Programmer no desenvolvimento do System/38. Desde sua transferência para a Research Division da IBM no IBM Thomas J. Watson Research Center in Yorktown em 1981, ele trabalhou em uma ampla gama de projetos, incluindo o design e o desenvolvimento do que se tornou a IBM Sysplex Coupling Facility. Richard é bacharel em Engenharia Industrial e Pesquisa de Operações pela Universidade Cornell e mestre em Pesquisa de Operações e Engenharia Industrial pela Universidade Northwestern.

Resumo:  O novo recurso mais significativo da Versão 2.0 do produto IBM InfoSphere® Streams é a transformação do modelo de linguagem de programação de Stream Processing Application Declarative Engine (SPADE) para Stream Processing Language (SPL). Os usuários com aplicativos SPADE de versões anteriores precisarão migrar e portar seus aplicativos para SPL ao atualizar suas instalações para a Versão 2.0. Este tutorial é a Parte 3 de uma série com 5 partes que usa exemplos reais de SPADE para demonstrar uma série de procedimentos detalhados para migrar e portar diferentes tipos de conteúdo de aplicativos SPADE. A Parte 3 demonstra a migração de aplicativos SPADE com funções definidas pelo usuário.

Visualizar mais conteúdo nesta série

Data:  18/Jul/2011
Nível:  Intermediário

Atividade:  2895 visualizações

Antes de iniciar

Introdução

Mais na série

Procure mais informações na série Migrando aplicativos SPADE do InfoSphere Streams para SPL :

  • Parte 1: Migre aplicativos SPADE básicos
  • Parte 2: Migre aplicativos SPADE de modo misto
  • Parte 3: Migre aplicativos SPADE com função definida pelo usuário
  • Parte 4: Migre aplicativos SPADE com user-defined operator (UDOP)
  • Parte 5: Migre aplicativos SPADE com user-defined built-in operator (UBOP)

Cada parte é autocontida e não depende do exemplo anterior. Portanto, é possível aprender como migrar esses tipos de aplicativos SPADE em qualquer ordem. No entanto, os exemplos são organizados com base no que pode ser considerado o mais fácil até o mais difícil e, por isso, completar cada parte seguindo a ordem pode ser benéfico.

A seção "Antes de iniciar" é repetida em cada tutorial para que você possa concluir cada parte independentemente.

O IBM InfoSphere Streams é um sistema de computador de alto desempenho desenvolvido para aplicativos de fluxo de mídia que englobam vários tipos de disciplinas empresariais, científicas, de engenharia e ambiental. InfoSphere Streams é uma plataforma de análise altamente escalável e avançada que pode ser usada para analisar e resolver rapidamente muitos problemas reais, em tempo real, usando vários fluxos de dados de milhares de fontes de dados ativas, além de consultar dados de armazéns de dados. O InfoSphere Streams fornece um ambiente de desenvolvimento e execução de aplicativos que é voltado para usuários que desenvolvem aplicativos específicos para ingerir, filtrar, analisar, correlacionar, classificar, transformar e processar grandes volumes de fluxos de dados contínuos. Esses eficientes aplicativos resultam em resultados de tomadas de decisões mais rápidas e inteligentes dentro de diversos setores de negócios como saúde, transporte, financeiro, manufatura, comunicações, energia e segurança.

A Versão 2.0 do produto IBM InfoSphere Streams apresenta vários recursos novos e aprimoramentos das versões 1.x anteriores, o mais significativo é a transformação do modelo de linguagem de Stream Processing Application Declarative Engine (SPADE) para Stream Processing Language (SPL). As principais razões para esse mudança é tornar a linguagem mais simples, mais intuitiva e mais uniforme. A mudança mais visível com o SPL é a sintaxe, que possui uma estrutura e aparência mais próxima de C ou Java™, tornando-o assim mais fácil para os programadores lerem, entenderem e serem mais produtivos ao escrever aplicativos SPL.

Como o modelo de linguagem de programação foi transformado de SPADE para SPL na Versão 2.0 do InfoSphere Streams, usuários com aplicativos SPADE de versões anteriores precisam migrar e portar seus aplicativos para SPL ao atualizar suas instalações. Informações iniciais para ajudar os usuários a fazer isso são disponibilizadas como parte do produto final, que são fornecidas primariamente no IBM Streams Processing Language SPADE Application Migration and Interoperability Guide. Esse guia está localizado no subdiretório doc abaixo do diretório em que o IBM InfoSphere Streams está instalado ou no IBM InfoSphere Streams Information Center (consulte Recursos).

O IBM Streams Processing Language SPADE Application Migration and Interoperability Guide contém informações básicas e instruções para migrar aplicativos SPADE, mas as informações são apresentadas em um nível razoavelmente alto sem exemplos específicos de portagem. Este tutorial complementa o guia de alto nível fornecendo exemplos de migrações de aplicativos de SPADE para SPL. Você usará um aplicativo SPADE de amostra que é incluído como parte da instalação SPADE como base para o exemplo de migração neste tutorial. Porém, é recomendado que você entenda os procedimentos gerais de migração contidos no guia de alto nível antes de abordar os procedimentos passo a passo detalhados esboçados neste tutorial.

Finalmente, você deve ter pelo menos conhecimentos básicos em, e experiência com, a linguagem de programação SPADE antes de continuar com este tutorial. Você também deve ter acesso a uma versão do InfoSphere Streams anterior à Versão 2.0 (geralmente chamada aqui de Versão 1.2.x, porque essa é a versão usada para obter e trabalhar com os exemplos de amostra) assim como uma instalação da Versão 2.0 para executar os exercícios neste tutorial. Você também precisa pelo menos de uma compreensão básica de SPL, que pode ser adquirida lendo o IBM Streams Processing Language Introductory Tutorial e testando os vários exemplos dados aqui. O tutorial introdutório de SPL, assim como vários outros documentos úteis para aprender sobre aspectos mais avançados de SPL, modelos de operador, kits de ferramentas do operador e assim por diante, pode ser encontrado no subdiretório doc abaixo do diretório em que o IBM InfoSphere Streams está instalado ou no IBM InfoSphere Streams Information Center (consulte Recursos).


Configuração

Antes de continuar com qualquer um dos exemplos de migração portagem, há alguns pré-requisitos gerais que devem ser atendidos. Esses pré-requisitos devem ser configurados assim:

  1. Assegure-se de que a instalação do InfoSphere Streams Versão 1.2.x esteja disponível com o código de amostra original (inalterado) localizado no diretório de instalação dentro desamples .
  2. Assegure-se de que uma instalação do InfoSphere Streams Versão 2.0 esteja disponível.
  3. Assegure a disponibilidade de pelo menos uma conexão de ponto de acesso terminal para cada versão de instalação com o ambiente apropriado configurado para trabalhar com cada versão.
  4. Crie um diretório ativo base, localizado em seu diretório inicial, para colocar e trabalhar com as amostras de migração. O nome sugerido para esse diretório, que é usado ao longo deste exemplo, é migrationsamples. Se ainda não tiver sido criado, emita os seguintes comandos para criar esse subdiretório:
    cd ~
    mkdir migrationsamples
    


Entendendo conceitos gerais para os exemplos

Há vários itens comuns que dizem respeito a cada um dos exemplos de migração e portagem discutidos neste tutorial. Alguns desses itens são ambientais, enquanto outros são métodos e técnicas sugeridos para lidar com etapas específicas dos processos de portagem.

Instalação dupla

Observe que tanto o InfoSphere Streams Versão 1.2.x quanto a Versão 2.0 são usados nos exemplos ao longo deste tutorial. Ao trabalhar com os vários elementos dos aplicativos SPADE, o uso da versão 1.2.x é necessário, ao passo que ao trabalhar com os vários aspectos dos procedimentos de migração e aplicativos SPL, é necessário o uso da Versão 2.0. O comando spade-to-spl, que é um comando usado primariamente para converter código SPADE para SPL, está disponível em instalações da Versão 2.0.Assim, quando você chegar ao ponto do processo de migração em que o comando spade-to-SPL é emitido, haverá uma mudança do uso de uma instalação SPADE para o uso de uma instalação SPL.

Ordem de correções e portagem pós-migração

Uma das principais etapas do processo de migração é a execução do comando de conversão spade-to-spl. Depois dessa conversão, uma lista de erros, avisos e mensagens informativas podem aparecer. Os itens nessa lista podem ser tratados em qualquer ordem, mas geralmente é mais fácil resolver os problemas mais simples primeiro, porque eles frequentemente não requerem nenhuma mudança explícita, embora em alguns casos algumas mudanças possam ser feitas com base na preferência do usuário. Você pode continuar a avaliar os problemas e a trabalhar na resolução deles em ordem crescente de dificuldade. Essa é a filosofia e metodologia usada neste tutorial, o que significa que problemas específicos de conversão podem ser apresentados fora da ordem numérica relatada pelo processo de conversão.

Opções de compilação para aplicativos SPADE ou SPL

Ao longo deste tutorial, a abordagem para a compilação de aplicativos é diferente para SPADE e SPL. Para ambos os tipos de aplicativos, tanto o método distribuído de compilação quanto o independente podem ser usados. As abordagens usadas neste tutorial foram selecionadas para reduzir o número geral de etapas e comandos que teriam que ser executados para demonstrar determinados aspectos dos processos de migração.

Para as amostras de aplicativos SPADE, o uso do processo makefile para compilar e gerar scripts de execução fáceis de usar torna o processo de execução e validação das amostras relativamente descomplicado, embora eles usem o ambiente de aplicativo distribuído. Para os aplicativos SPL sendo migrados a partir das amostras de aplicativos SPADE (e, em geral, ao desenvolver inicialmente quaisquer novos aplicativos SPL), é geralmente mais rápido e fácil empregar no início o método de aplicativo independente de compilação. O método distribuído é melhor para ajustes na produção final, quando a carga de trabalho do aplicativo precisa ser distribuída em diversos nós de cluster para produzir as melhores características de desempenho. Portanto, para manter o conteúdo deste tutorial o mais simples possível, a abordagem independente é usada para aplicativos SPL.

1 de 10 | Próximo

static.content.url=http://www.ibm.com/developerworks/js/artrating/
SITE_ID=80
Zone=Information Management
ArticleID=699981
TutorialTitle=Migrando os aplicativos SPADE do InfoSphere Streams para SPL, Parte 3: Migrar aplicativos SPADE com funções definidas pelo usuário
publish-date=07182011
author1-email=kjerick@us.ibm.com
author1-email-cc=
author2-email=rpk@us.ibm.com
author2-email-cc=