Mudança como os negócios e a sociedade funcionam, a computação em nuvem está abrindo largas avenidas de inovação. Desenvolvedores agora estão combinando sistemas de registro a sistemas de envolvimento e um novo estilo de aplicativo baseado em nuvem está emergindo: sistemas de interação. Para esses aplicativos serem sustentáveis, a computação em nuvem precisa ser desenvolvida em software livre e padrões abertos. Este artigo define a base.

Angel Diaz, Vice President, Software Standards and Cloud Labs, IBM

Angel Diaz author photo

Dr. Angel Luis Diaz é Vice-Presidente de Software Standards and Cloud Labs da IBM. Desde 2009, Dr. Diaz lidera sua equipe na transformação de como o software trabalha, agregando valor por meio de interoperabilidade e portabilidade, com base em padrões e software livre. Em 2013, os Cloud Labs da IBM passaram a fazer parte da organização do Dr. Diaz. Sob sua direção, os laboratórios continuam a trazer valor direto a clientes, otimizando seus ambientes de nuvem e fornecendo soluções especializadas que abordam seus desafios mais complexos. Quando não estão inovando em ambientes de clientes, os Cloud Labs estão trabalhando para estender os recursos da IBM na amplitude de suas ofertas de nuvem, usando tecnologias que trazem interoperabilidade e eficiência à nuvem.

Antes dessa função, Dr. Diaz era Vice-Presidente de WebSphere Business Process Management and Connectivity, onde expandiu a área de cobertura de middleware da IBM cultivando crescimento consistente do segmento de negócios. Em funções de liderança anteriores, Dr. Diaz foi Diretor de Desenvolvimento do WebSphere Business Process e Gerente de Projeto de Web Services, onde era responsável por uma gama de ofertas de produtos de Software IBM.

Antes de se juntar ao IBM Software Group, Dr. Diaz era membro da equipe de Pesquisa da IBM e Gerente Senior, onde liderou vários projetos que incluíam tecnologias como XML e serviços da web. Em 1998, Dr. Diaz foi copresidente e coautor do primeiro padrão XML, a Mathematical Markup Language (MathML) do World Wide Web Consortium (W3C). Dr. Diaz participou de várias outras atividades do W3C. Em 2002, Dr. Diaz colaborou com a Organization for the Advancement of Structured Information Standards (OASIS) para iniciar os dois primeiros padrões de serviços da web: o Web Services For Remote Portals (WSRP) e o OASIS Web Services For Interactive Applications (WSIA). Como resultado, Dr. Diaz foi nomeado para o OASIS Technical Advisory Board, que definiu a direção técnica para o trabalho futuro da OASIS.

Dr. Diaz é Ph.D. em Ciência da Computação (computação distribuída, linguagens de programação e álgebra de computador) pelo Rensselaer Polytechnic Institute. É possível entrar em contato com Angel por aldiaz at us.ibm.com.



Chris Ferris, CTO Cloud Interoperability, Software Group Standards Strategy, IBM

Author photo: Chris FerrisChris Ferris é IBM Distinguished Engineer e CTO Cloud Interoperability na organização Software Group Standards Strategy. Ele está envolvido na arquitetura, design e engenharia de sistemas distribuídos na maior parte de seus 30+ anos de carreira em TI e está ativamente envolvido no desenvolvimento de padrões abertos desde 1999. Chris está atualmente liderando o envolvimento técnico da IBM na comunidade OpenStack e fornecendo liderança técnica em diversas iniciativas abertas relacionadas a Nuvem.



31/Jul/2013

Introdução

Fique à Frente de Todos no developerWorks Labs

Experimente tecnologias inovadoras com base na arquitetura de nuvem aberta da IBM no developerWorks Labs. Lá, é possível aprender como iniciar o IBM BlueMix, o Project Icap e mais novas visualizações de tecnologias.

A computação em nuvem está mudando a maneira como pensamos sobre tecnologia e não é uma moda passageira. Consumidores estão usando a nuvem para armazenar música. Empresas Startups estão se voltando à nuvem para se estabelecerem sem grandes investimentos. Grandes empresas e governos estão dependendo das nuvens para tornar mais dados mais disponíveis. A computação em nuvem está mudando como os negócios e a sociedade funcionam e está abrindo largas avenidas de inovação. Estamos vendo como desenvolvedores agora estão combinando sistemas de registro a sistemas de envolvimento e vemos um novo estilo de aplicativo baseado em nuvem emergindo. Esses são sistemas de interação.

Para esses aplicativos serem sustentáveis, a computação em nuvem precisa ser desenvolvida em software livre e padrões abertos. A ampla adoção de software livre e de padrões abertos deve ser o objetivo de todos. Isso significa que clientes não precisarão ter medo de ficarem presos a fornecedores e organizações podem participar de um mercado crescente que dá as boas-vindas a uma ampla variedade de tecnologia de nuvem e provedores de serviços.

Aprendemos por nosso experiência que software livre e padrões abertos permitem que desenvolvedores compartilhem informações de forma mais rápida e fácil e a custos mais baixos. Isso leva a maior inovação. Estamos a um ponto de inflexão. Estamos focando o segmento de mercado em padrões importantes para interoperabilidade e suas implementações de referência de software livre irão:

  • Assegurar que usuários finais tenham uma presença forte no estabelecimento e adoção de paradigmas de computação em nuvem
  • Reduzir barreiras de entrada na computação em nuvem, como qualificações de desenvolvimento e liberdade de escolha
  • Aumentar a viabilidade de longo prazo dos investimento em nuvem dos dias de hoje
  • Apresentar complexidade e fragmentação arquitetônica desnecessárias

Arquitetura de Nuvem Aberta da IBM

No IBM Pulse, em março de 2013, a IBM anunciou sua arquitetura de nuvem aberta e nossos planos para basear todas as nossas ofertas de nuvem em OpenStack, começando com o IBM Smart Cloud Orchestrator. Esse anúncio foi o resultado de mais de um ano de investimento em integração de produto com OpenStack, assim como contribuições significativas para a comunidade do OpenStack para ajudar a melhorar a capacidade do OpenStack em atender os requisitos corporativos e dos provedores de serviços de nuvem. Observando os resultados da adoção, vemos que nossos esforços, assim como aqueles da vibrante comunidade do OpenStack como um todo, foram bem-sucedidos.

Evolução do OpenStack

Para ter uma noção do quanto o OpenStack evoluiu e como está sendo alavancado na empresa, visite os canais do OpenStack Slideshare e YouTube .

Hoje, com mais de 189 organizações e mais de 9.100 indivíduos participando, o OpenStack é a maior comunidade ativa de projeto de nuvem de software livre no mundo. Essa colaboração global massiva de desenvolvedores e tecnologistas de computação em nuvem está trabalhando para produzir uma plataforma de computação em nuvem de software livre de Infraestrutura como Serviço (IaaS) onipresente para nuvens públicas e privadas.

A IBM tem orgulho de ser membro altamente ativo da comunidade do OpenStack e tem orgulho das muitas realizações da comunidade refletidas no release mais recente, Grizzly. O OpenStack está bem postado para entregar portabilidade e interoperabilidade massivas para aplicativos IaaS.


Subindo na Pilha

Não estamos exclusivamente focados no OpenStack, no entanto. Nossa arquitetura de nuvem aberta se estende por toda a pilha, de IaaS até PaaS e SaaS. Além de todos os nossos esforços relacionados ao OpenStack, a IBM trabalha duro explorando uma ampla variedade de tecnologias relacionadas à nossa arquitetura de nuvem aberta, principalmente por ela se estender às camadas PaaS e SaaS, reunindo sistemas de envolvimento, sistemas de registro e a Internet das coisas, possibilitando o que chamamos de sistemas de interação. Chamamos essas explorações, de forma coletiva, de BlueMix. Terei mais o que falar sobre BlueMix, em um instante. Mas antes, gostaria de compartilhar mais algum insight sobre nossa arquitetura de nuvem aberta.

Hoje, há uma pressão significativa nas linhas de negócios para criarem novo valor de negócios com base em recursos móveis, sociais, big data e analíticos. Esses novos aplicativos são alimentados pelo surgimento de novos modelos de desenvolvimento altamente iterativos que usam composição de serviço, arquiteturas abertas, componente de software livre e modelos de programação poliglotas para entregarem soluções rapidamente. Duas tendências adicionais são ativadores chave para esse novo estilo de aplicativos, principalmente as ofertas DevOps e PaaS baseadas em Nuvem, como Heroku, Cloud Foundry e OpenShift. DevOps permite que clientes entreguem resultados de negócios de modo ágil, iterativo e incremental: aplicativos são entregues em dias ou semanas, em vez de nos típicos meses ou anos. Por fim, para atingir tais eficiências de desenvolvimento, as tecnologias PaaS estão evoluindo, o que permite que desenvolvedores montem rapidamente um número substancial de componentes de middleware hospedados na Nuvem de forma extremamente rápida (em segundos).

Serviços de software elásticos com vários proprietários ("nativo da nuvem") são o combustível desse estilo de desenvolvimento. Observamos a evolução e a maturação da economia de API na última década, exemplificada por mais de 10.000 serviços disponíveis para o desenvolvedor baseado em nuvem de sites como programmableweb. Considerando a profundidade e a amplitude dos serviços baseados em software da IBM, especificamente na área móvel, social e analítica, é imperativo que forneçamos implementações acessíveis a desenvolvedores com o clique de um botão.

Apesar de haver com certeza muitas ofertas proprietárias que tentam cobrir vários aspectos desse novo estilo de desenvolvimento e operações, observamos que as ofertas abertas entregam valor real ao cliente e têm maior probabilidade de serem abraçadas pelos desenvolvedores.


O que Queremos Dizer com "Aberto"?

Então, o que queremos dizer com "aberto"? Aberto pode ter diversos significados.

Um significado de "aberto" é software livre (OSS), como o OpenStack, ou um dos muitos projetos hospedados pelas fundações Linux, Apache ou Eclipse, ou simplesmente hospedado no Github. É claro que nem todo OSS é criado de forma igual. É importante que o componente OSS tenha uma licença devidamente aberta, como Apache, Eclipse ou MIT etc. e que também tenha um modelo de controle aberto em que contribuições e inovações de qualquer pessoa, em qualquer lugar, sem preconceito sejam bem-vindas. Além do mais, isso significa que o componente OSS pode ser facilmente estendido e facilmente consumido e integrado por meio de APIs relativamente estáveis e bem-documentadas ou que oferece uma arquitetura plugável que permite uma ampla variedade de plug-ins ou drivers.

Outro significado de "aberto" é a implementação de padrões de interoperabilidade abertos, como aqueles vindos do W3C, IETF, OASIS ou OMG, só para mencionar alguns. É claro que outra forma de padrão é o padrão de fato, que é geralmente estabelecido em decorrência de o mercado abraçar uma solução específica, seja ela proprietária ou aberta. O ideal, para ser aberto, deveríamos evitar padrões de fato proprietários sob o controle de (e que tende a beneficiar) uma única parte.

Cada vez mais, um relacionamento simbiótico está surgindo entre software livre e padrões abertos. Por exemplo, proponentes de padrões abertos emergentes frequentemente se voltam a software livre para implementar os padrões como uma maneira de fornecer uma referência, assim como para fornecer um veículo para direcionar a adoção. Como outro exemplo, as comunidades que estão desenvolvendo um projeto de software livre documentam formalmente as APIs e/ou protocolos de seu projeto quando sentem que as coisas estão estáveis.


Arquitetura de Nuvem Aberta da IBM

Então, de volta à arquitetura de nuvem aberta da IBM. O que queremos dizer com essa frase? Em um alto nível, significa que nossa arquitetura de nuvem é baseada de forma sólida em uma composição de componentes de software livre e, quando possível, implementa formatos, APIs e protocolos de padrão aberto que entregam tanto interoperabilidade quanto valor ao cliente. Essa arquitetura aberta tem diversos benefícios, tanto para a IBM quanto para nossos clientes. Para a IBM, nós nos beneficiamos da inovação paralela que encontramos nas comunidade de software livre, como OpenStack. Além disso, nós nos beneficiamos do ecossistema vibrante de parceiros ISV que crescem dessas iniciativas de software livre e de padrões livres. Nossos clientes se beneficiam da capacidade de alavancar APIs de software livre e de padrões abertos e estendê-las —seja por recurso de terceiro (alavancando os ecossistemas vibrantes de software livre que escolhemos) ou por inovação e extensão própria.

Usando a mesma arquitetura e tecnologias de nuvem aberta em nosso portfólio de nuvem, abordando soluções de nuvem privada, pública e híbrida, também nos beneficiamos de interoperabilidade e portabilidade, não somente de cargas de trabalho, mas de capacidade, entre e através dessas várias ofertas, o que beneficia nossos clientes.

Na verdade, os clientes que optam por computação em nuvem baseada em padrões abertos estão no caminho certo para aproveitarem novas oportunidades. Especificamente, eles poderão proteger seus dados interconectados com analítica de negócios de alto valor entre dispositivos tradicionais e móveis.


Compromisso da IBM com a Arquitetura de Nuvem Aberta

Para ajudar a fazer isso acontecer, a IBM está aplicando sua experiência no suporte a validação de padrões abertos. De Linux, Eclipse e Apache à computação em nuvem, a IBM continua a trabalhar de perto com a comunidade de software livre. Para tornar realidade uma arquitetura de nuvem aberta, a IBM trabalhou para:

  • Criar um Cloud Standards Customer Council com 400 membros que cresceu de aproximadamente 50 membros no lançamento
  • Direcionar padrões de nuvem relacionados, como Open Service for Lifecycle Collaboration, Linked Data no W3C e TOSCA na OASIS, para aprimorar a portabilidade de aplicativo em nuvem
  • Dedicar mais de 500 desenvolvedores a projetos de nuvem aberta
  • Fazer parceria próxima com a OpenStack Foundation, juntamente com seus mais de 9.100 membros de 87 países e 189 patrocinadores corporativos

Vamos Ficar Técnicos

A Figura 1 destaca grande parte das tecnologias baseadas em software livre e em padrões abertos que formam nossa arquitetura em nuvem aberta nos dias de hoje. É claro que por ser aberta, ela envolverá e será estendida ao longo do tempo, pela IBM, pelas comunidades abertas que direcionam as iniciativas de software livre e padrões abertos, por clientes e por nossos parceiros.

Figura 1. A Arquitetura de Nuvem Aberta Emergente
A Arquitetura de Nuvem Aberta Emergente
Figura 2. Evolução de IaaS para um Ambiente Definido por Software Mais Dinâmico Baseado em Analítica
Evolução de IaaS para um Ambiente Definido por Software Mais Dinâmico Baseado em Analítica

OpenStack

Como anunciamos no IBM Pulse, a base de nossa arquitetura de nuvem aberta é baseada no OpenStack, que suporte uma ampla variedade de plataformas de virtualização (KVM, XEN, VMware, Hyper-V, PowerVM, ZVM etc.) , e também no bare metal, e que, ela mesma, é executada na maioria das distribuições Linux. Escolhemos o OpenStack não somente por sua arquitetura (que achamos convincente), mas, ainda mais importante, por para sua comunidade de desenvolvimento, controle aberto e ecossistema vibrante e crescente de provedores, plug-ins e complementos.

Software Defined Network

Um componente fundamental do OpenStack é o serviço OpenStack Networking. Esse serviço fornece uma API de camada de abstração para gerenciar a rede. As tecnologias Software Defined Network (SDN), como controladores OpenFlow, podem ser ativadas como plug-ins para o serviço OpenStack Networking.

Em abril, a Linux Foundation anunciou a formação do Open Daylight Project, o maios projeto SDN de software livre até hoje, com amplo patrocínio do segmento de mercado, incluindo a IBM como patrocinadora Platinum. O Open Daylight Project tem a missão de criar uma plataforma SDN aberta, com base em padrões abertos, incluindo OpenFlow. À medida que o Open Daylight Project amadurece, podemos esperar que o controlador OpenFlow desenvolvido pelos membros do Open Daylight Project será ativado como um plug-in para o serviço OpenStack Networking.

Automação de Implementação

Para a automação de implementação, nossas ofertas irão geralmente suportar receitas e livros de receitas do Chef . No entanto, também suportamos O Puppet e Juju para que os clientes possam alavancar as ferramentas de automação que preferirem ou que já utilizam. Essa é outra característica chave de nossa arquitetura de nuvem aberta: ela permite opção do cliente. Chef, Puppet e Juju são iniciativas de software livre próprias e cada uma tem um ecossistema crescente de receitas, manifestos e amuletos, que são frequentemente, por si só, software livre. A abertura dessas ferramentas e a vibração de seus respectivos ecossistemas beneficiam a IBM e nossos clientes.

Linked Data e OSLC

Por fim, conectando a camada do ambiente definido por software base à camada de composição acima dela (frequentemente chamada de PaaS), usamos um padrão aberto emergente, que é baseado no Linked Data do W3C chamado Open Services for Lifecycle Collaboration (OSLC).

OSLC é uma comunidade aberta que está trabalhando para fazer ferramentas de ciclo de vida de software interoperáveis, permitindo que compartilhem dados umas com as outras. Esse esforço abrange uma ampla gama de disciplinas de desenvolvimento, operações e gerenciamento e um conjunto de ferramentas igualmente diverso. O objetivo é permitir que ferramentas sejam combinadas de maneira que conectem e simplifiquem fluxos de trabalho para reduzir o esforço, a frustração e o custo no ciclo de vida do berço ao túmulo de um aplicativo.

OSLC foi inspirados pela maneira como dados são compartilhados na web e é baseado no Linked Data do W3C. Linked Data é essencialmente uma metodologia para publicação de dados estruturados na Internet para que possam ser intervinculados a dados semelhantes, melhorando sua acessibilidade e utilidade. A ideia para Linked Data foi primeiramente articulada por Tim Berners-Lee e é baseada em quatro princípios básicos:

  1. Use URIs como nomes para coisas.
  2. Use URIs de HTTP para que pessoas possam consultar esses nomes.
  3. Quando alguém consulta um URI, forneça informações úteis, usando os padrões (RDF*, SPARQL).
  4. Inclua links para outros URIs, para que possam descobrir mais coisas.
Figura 3. Plataforma, Mercado e Serviços Centrados no Desenvolvedor em um Ambiente Operacional em Nuvem
Plataforma, Mercado e Serviços Centrados no Desenvolvedor em um Ambiente Operacional em Nuvem

Malha de PaaS

Continuando a subir na pilha, o segmento de mercado está explorando diversas alternativas para a malha de composição de PaaS, incluindo OpenShift e Cloud Foundry. Cada um oferece características semelhantes com relação a suporte para uma ampla variedade de ambientes de tempo de execução (incluindo Java, JavaScript, Python, Ruby etc.), estruturas populares (como Node.js, Tomcate Ruby on Rails etc.) e uma rica variedade de serviços (bancos de dados NoSQL, enfileiramento, sistema de mensagens, armazenamento em cache, analítica, mídia social, big data etc.) e que oferecem uma arquitetura aberta para incorporação de ambientes de tempo de execução, estruturas e serviços adicionais.

Definição e Orquestração de Carga de Trabalho Móvel

Para definição de modelo de carga de trabalho móvel, nossa arquitetura de nuvem aberta incorpora o padrão TOSCA da OASIS. TOSCA é um padrão aberto colaborativo que está sendo desenvolvido pela IBM, SAP, HP, Rackspace e muitos outros. O que é realmente empolgante é que muitas dessas mesmas empresas também estão colaborando para implementar suporte para as descrições de modelos do OASIS TOSCA no projeto OpenStack Heat . Inicialmente, ativamos nosso recurso de implementação de padrão IBM para importar e exportar o formato de modelo OASIS TOSCA. Ao longo do tempo, provavelmente nós veremos a transição do recurso da IBM para o OpenStack Heat.

Internet das Coisas

Abordando a Internet das Coisas, o MQ Telemetry Transport é um protocolo leva de publicação/assinatura com entrega de mensagens bidirecional previsível. É ideal para aplicativos em que uma pequena área de cobertura de código é necessária ou quando a largura da banda da rede é limitada. Uma Internet de — sensores, dispositivos e equipamentos conectados à rede, prédios inteligentes e automóveis em rede —poderia se beneficiar da eficiência desse protocolo.

A comunidade MQTT está atualmente trabalhando para padronizar a especificação sob OASIS. Além disso, há diversas implementações de software livre do protocolo MQTT, incluindo o projeto Eclipse Paho e o projeto Mosquitto .

Figura 4. Serviços de Negócios Acessíveis Disponíveis para Inovadores Terceirizados via API Economy
Serviços de Negócios Acessíveis Disponíveis para Inovadores Terceirizados via API Economy

Aplicativos de Negócios e a Camada SaaS

Na camada SaaS, nossa arquitetura de nuvem aberta aborda segurança e identidade federada (TLS/SSL, OpenID, OASIS SAML e OAuth2.0 da IETF), pagamentos (Google Wallet e Passport da Apple) e interface com o usuário (HTML5 do W3C, JSON da IETF, Apache Cordova e Eclipse).

HTML5 é uma linguagem comum para desenvolver aplicativos ricos para a Internet para diversas plataformas, enquanto ainda suporta funções móveis nativas sem plug-ins. É gerenciada pelo W3C e representa a evolução de HTML4 / XHTML. HTML5 também incorpora padrões como SVG e CSS.

HTML5 simplifica muito o desenvolvimento de aplicativo, pois traz suporte nativo para multimídia em uma ampla gama de plataformas de desktop e móveis. Além disso, traz suporte nativo para tecnologias avançadas, como armazenamento e aplicativos offline, acesso a dispositivo, localização geográfica e dados semânticos.

Apache Cordova é o projeto de software livre que faz aplicativos híbridos "escrever uma vez e executar em qualquer lugar" usando serviços viáveis das plataformas. O Cordova foca o fornecimento de código específico do dispositivo que age como um "calço" para permitir acesso de aplicativo híbrido a funções móveis nativas em uma ampla gama de dispositivos. A comunidade está focada em manutenção contínua e aprimoramentos do código que permitem suporte para dispositivos adicionais. Desde a criação do projeto em 2010, a IBM tem sido uma contribuidora significativa, incluindo novos recursos e melhorando o foco em gerenciamento de release. Juntos, HTML5 e Apache Cordova, são críticos para o desenvolvimento continuado de ricos aplicativos remotos.

Social

Activity Streams é um padrão emergente que fornece aos desenvolvedores um vocabulário comum para descrever eventos de negócios, ativando aplicativos que socializam dados e conhecimento com as pessoas em tempo real. A implementação com arquitetura de TI existente e futura ajuda a simplificar a visibilidade informativa e de linha de negócios entre usuários e suporta a capacidade de uma organização compartilhar, comentar e colaborar.

OpenSocial é um modelo de componente baseado em padrões para aplicativos sociais baseados em nuvem. Esse modelo fornece um método consistente para integrar aplicativos existentes com a capacidade de incluir aplicativos de terceiros em uma única visualização. Isso simplifica a experiência do usuário e permite que usuários trabalhem na maneira que melhor os atende naquele momento. Informações podem ser integradas entre email, sistemas de conteúdo e rich media —tudo dentro de um determinado contexto e entre várias plataformas. O projeto entrega alinhamento entre vários segmentos de mercados por meio do projeto Apache Shindig , uma implementação de referência aberta do OpenSocial e por meio de suporte de padrões líderes, como ActivityStreams e OAuth2.0.

Activity Streams e OpenSocial têm o potencial de ajudar a liberar dados de silos de informações adicionais por meio de compartilhamento de informações em tempo real.

Segurança

OAuth é um protocolo aberto que permite autorização segura em um método simples e padrão de aplicativos em nuvem, na web, remotos e de desktop. Especificamente, permite autorização e acesso a terminais de REST API definidos em um aplicativo ou infraestrutura. O OAuth se tornou uma tecnologia de segurança chave para a integração de REST APIs na empresa, pois fornece acesso a serviços dentro e fora do firewall.


Visualizações de Tecnologia

Participantes do IBM Innovate 2013 podem ter visto ou ouvido falar sobre visualizações desse recurso emergente refletidas em nossa arquitetura de nuvem aberta, que descrevemos acima.

Project Icap

Uma dessas visualizações de tecnologia é o Project Icap. Project Icap combina um Ambiente de Desenvolvimento Integrado (IDE) que fornece ferramentas de desenvolvimento para desenvolvimento rápido altamente interativo que é comum para aplicativos centrados em nuvem e remotos. O IDE fornece suporte para Java (WebSphere Liberty Profile) com modelos de desenvolvimento para JAX-RS, Servlet 3.0 e Spring MVC. Além disso, o IDE Icap suporta JavaScript (Node.js) e desenvolvimento de aplicativo remoto (IBM Worklight). Project ICAP está disponível para download como um plug-in do Eclipse.

Outro recurso do ICAP é seu cloud explorer que pode ser usado para descobrir e compartilhar serviços.

Project ICAP também fornece um sandbox para desenvolvedor que pode ser executado localmente. O sandbox inclui diversos serviços fundamentais que podem ser usados para criar aplicativos, como o serviço de banco de dados relacional com base no Derby, um elastic caching service (ECaaS) baseado no WebSphere Extreme Scale (WXS), um serviço social simples que permite conectar a redes sociais e propriedades de mídia social, como Twitter ou Sina Weibo, e serviços de localização de amostra que desenvolvedores podem integrar a seus aplicativos para fornecer reconhecimento de localização para aplicativos remotos.

BlueMix

Outras visualização de tecnologia é o BlueMix, que é um ambiente de nuvem pública emergente modelado com base em nosso bem-sucedido programa jStart. Esse ambiente de nuvem pública oferece muitos dos mesmos serviços disponíveis por meio do sandbox do Project Icap em execução em uma nuvem OpenStack. Atualmente, estamos executando no OpenStack Folsom, mas temos a intenção de migrar para o release recente do OpenStack Grizzly, em breve.

Nesse ambiente, estamos hospedando uma das plataformas PaaS de software livre emergente na qual é possível desenvolver aplicativos centrados em nuvem, alavancando um conjunto de serviços hospedados, incluindo: PostgreSQL, MySQL, Redis, armazenamento blob, elastic caching (ECaaS), serviços de localização de amostra, um serviço SMS, serviço social simples, RabbitMQ e MongoDB. Temos a intenção de entregar serviços adicionais online ao longo do tempo, da IBM, de fontes de software livre e de parceiros da IBM, em um modo de entrega contínua de operações. Estaremos interessados em seu feedback especialmente com relação a quais serviços gostaria de ver.

A equipe do BlueMix estará trabalhando de perto com clientes que estejam explorando essas duas ofertas de visualização para reunir feedback, entender quais serviços de software são importantes para eles, assim como a maneira para gerenciar os vários aspectos de desenvolvimento, entrega, gerenciamento e hosting desses novos sistemas de interação.


Conclusão

Sempre estamos interessados em seu feedback, portanto, sinta-se à vontade em nos dizer o que acha de nossa arquitetura de nuvem aberta.

Recursos

Comentários

developerWorks: Conecte-se

Los campos obligatorios están marcados con un asterisco (*).


Precisa de um ID IBM?
Esqueceu seu ID IBM?


Esqueceu sua senha?
Alterar sua senha

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

 


A primeira vez que você entrar no developerWorks, um perfil é criado para você. Informações no seu perfil (seu nome, país / região, e nome da empresa) é apresentado ao público e vai acompanhar qualquer conteúdo que você postar, a menos que você opte por esconder o nome da empresa. Você pode atualizar sua conta IBM a qualquer momento.

Todas as informações enviadas são seguras.

Elija su nombre para mostrar



Ao se conectar ao developerWorks pela primeira vez, é criado um perfil para você e é necessário selecionar um nome de exibição. O nome de exibição acompanhará o conteúdo que você postar no developerWorks.

Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres. Seu nome de exibição deve ser exclusivo na comunidade do developerWorks e não deve ser o seu endereço de email por motivo de privacidade.

Los campos obligatorios están marcados con un asterisco (*).

(Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres.)

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

 


Todas as informações enviadas são seguras.


static.content.url=http://www.ibm.com/developerworks/js/artrating/
SITE_ID=80
Zone=Cloud computing
ArticleID=939024
ArticleTitle=Arquitetura de Nuvem Aberta da IBM
publish-date=07312013