Garanta um Servidor Virtual Resiliente

Configure e implemente servidores virtuais resilientes usando IBM PureFlex System

IBM® PureFlex™ vem com o hardware pré-integrado e com a pilha de gerenciamento pré-carregada para maior conveniência, mas ainda há algumas etapas manuais necessárias para que ele possa ser usado para hospedar servidores virtuais resilientes. Neste artigo, os autores explicam e mostram como configurar e implementar um servidor virtual resiliente (o hypervisor KVM da Red Hat é usado para a demonstração). As instruções fornecidas são válidas para o primeiro release do IBM PureFlex System, incluindo fix packs. Releases futuros do PureFlex System devem simplificar o processo.

CheKim Chhuor, Senior Software Engineer, IBM

CheKim ChhuorCheKim Chhuor (também conhecido como CK) atualmente trabalha no IBM China Systems and Technology Lab, em Xangai. Sua área de atuação atual é o melhoramento do tempo de maturação e a consumabilidade do IBM PureFlex System. Anteriormente, ele trabalhou na IBM Poughkeepsie com vários produtos de gerenciamento de sistemas. Também trabalhou na IBM Montreal como consultor. Possui vários anos de experiência em consultoria em infraestrutura da web e tem certificações IBM em WebSphere, DB2 e On Demand Business.



Hai Hang Wang, Software Engineer, IBM

Hai Wang photoHai Hang Wang trabalha atualmente no IBM China Systems and Technology Lab, em Xangai, na equipe PureFlex System Time-to-Value. Ele trabalhou anteriormente na equipe ToolsCenter, como engenheiro de software. Sua área de atuação atual é o melhoramento da usabilidade e consumabilidade do PureFlex System.



Yong Han, Software Engineer, IBM

Yong Han photoYong Han trabalha no IBM China Systems and Technology Lab, em Xangai. Atualmente, ele trabalha na equipe de teste da solução Flex para melhorar a usabilidade do PureFlex System em ambientes de cliente. Sua área de atuação atual são as tecnologias de virtualização de plataforma e implementação de carga de trabalho.



Wen Qian, Software Engineer, IBM

Wen Qian photoWen Qian (Omi) trabalha no IBM China Systems and Technology Lab, em Xangai. Atualmente, seu objetivo é melhorar o tempo de maturação e a consumabilidade do PureFlex System.



15/Out/2012

IBM® PureFlex System é um sistema especialista integrado que combina nós de cálculo, armazenamento e recursos de rede com inteligência pré-desenvolvida e conhecimento e padrões de automação. Embora o sistema venha com muitos componentes pré-carregados e já integrados no momento da fabricação, há algumas etapas que o usuário deve realizar manualmente para usar os recursos avançados de virtualização. Este artigo explica esse processo, mostrando as principais etapas para ir de um sistema recém-configurado para a implementação de um dispositivo virtual em um conjunto de sistema resiliente. Também apresenta explicações e conceitos importantes.

Antes de continuar, se você nunca ouviu falar em IBM PureFlex System ou no conceito de dispositivo virtual, leia este artigo do developerWorks:Automatize seu Dispositivo de Nuvem Virtual no IBM PureFlex System.

Embora o PureFlex System tenha suporte integrado para tecnologias de virtualização heterogêneas, como IBM PowerVM® e Kernel-based Virtual Machine (KVM), as etapas da configuração de cada um não são idênticas. Este artigo trata apenas da tecnologia KVM. A tecnologia PowerVM será abordada em um artigo futuro.

O cenário maior

Um dos recursos mais valiosos do PureFlex System é ter o gerenciamento de sistema e o gerenciamento de virtualização integrados ao design do sistema, em vez de exigir que o usuário integre por conta própria. Outro recurso valioso do PureFlex System é que a oferta integrada inclui plataformas de cálculo heterogêneas, armazenamento compartilhado e capacidade de rede avançada. No lado da integração, há elementos de chassi pré-cabeados no rack e software pré-carregado no sistema.

Muitos desses recursos são proporcionados pelo Flex System Manager (FSM), um dispositivo que é executado em um nó de cálculo dentro do chassi. Obviamente, o desenvolvimento de todos esses recursos de ponta a ponta em um único pacote expõe a equipe de TI a um espectro maior de problemas de gerenciamento. Isso pode parecer que o design do sistema e a interface com o usuário são complexos em comparação a algumas ofertas de software puro. Mas, se alguém desenvolvesse um rack de sistemas que incluísse:

  • Plataformas heterogêneas
  • Armazenamento compartilhado
  • Rede avançada

usando componentes de diferentes fornecedores, essa pessoa deveria ser exposta a mais desafios de integração e diferentes interfaces com o usuário em cada estágio do ciclo de vida — planejamento, aquisição, instalação, configuração, gerenciamento, manutenção e suporte. Essa configuração exige diferentes funções e conhecimento para colocar os sistemas em execução. O PureFlex System (e outros membros da família IBM PureSystems™) foi projetado para minimizar o número de especialistas físicos necessários para gerenciar esse tipo de implementação e integração.

Dito isso, as instruções neste artigo aplicam-se apenas ao primeiro release do PureFlex System (incluindo fix packs). Estamos trabalhando duro para simplificar e integrar vários aspectos do gerenciamento do sistema e do gerenciamento de virtualização. O próximo release exigirá menos ações do usuário para realizar as mesmas tarefas em muito menos tempo.

Para começar nossa trajetória na configuração e implementação de servidores virtuais resilientes com PureFlex System, vamos examinar a conectividade e a configuração de hardware.


Configuração de hardware e conectividade

O hardware usado para este artigo é o seguinte:

  • 1 Chassi IBM Flex System Enterprise
  • 1 IBM Flex System Manager
  • 1 Comutador SAN IBM Flex System FC3171 8 GB (baseado em tecnologia QLogic)
  • 1 Comutador Ethernet IBM Flex System EN2092 1 GB (antiga tecnologia BNT)
  • 1 servidor de armazenamento IBM Storwize V7000
  • 3 nós de cálculo IBM Flex System x240 com Emulex HBA

A Figura 1 mostra como esses componentes estão ligados.

Figura 1. Topologia das conexões Ethernet e Fibre Channel
Topologia das conexões Ethernet e Fibre Channel

Os nós de cálculo estão ligados automaticamente ao comutador Ethernet e ao comutador Fibre Channel no painel intermediário do chassi. A primeira porta Ethernet do Flex System Manager está ligada ao painel intermediário do comutador Ethernet integrado da camada 2 do Chassis Management Module (CMM), e a mesma coisa acontece para o módulo de gerenciamento integrado (IMM) dos nós de cálculo. O V7000 está ligado ao comutador Ethernet do chassi e ao comutador SAN do chassi de fábrica.

O diagrama de topologia seria mais complexo se tivéssemos caminhos redundantes de Ethernet e Fibre Channel e se houvesse mais de um chassi no domínio de gerenciamento. Para esse exercício, mantivemos as coisas simples com um único caminho de conexão.

O PureFlex System geralmente vem pré-cabeado dentro do rack. O usuário precisa apenas conectar as respectivas portas de uplink EN2092 ao comutador top of rack (TOR).


Instalação do sistema

Após conectar a rede e a energia, a instalação do sistema é bem simples, portanto, não iremos abordá-la em detalhes aqui. Em essência, o usuário conecta um monitor, teclado e mouse ao Flex System Manager usando o cabo breakout do console. Em seguida, o assistente de instalação abre e fornece informações básicas como hora, endereços de rede, nome da conta do administrador e senha. O Flex System Manager reinicializa ao final da instalação para receber a nova configuração.

Após o primeiro login, as tarefas da instalação inicial orientam o usuário a atualizar os componentes do sistema e gerenciar o chassi.

Conferir o status do hardware no mapa de chassi do Flex System Manager

O mapa de chassi do Flex System Manager é uma interface eficiente que consolida o ponto de ativação da maioria dos recursos do Flex System Manager, principalmente, gerenciamento de hardware e status. A Figura 2 mostra a visualização do mapa de chassi do nosso sistema.

Figura 2. Conferir o status do hardware no mapa de chassi
Conferir o status do hardware no mapa de chassi

Observe que o Flex System Manager (FSM) está no compartimento 1 (inferior esquerdo), seguido de três nós x240. Os comutadores Ethernet e Fibre Channel são exibidos respectivamente na traseira do chassi. O usuário pode ignorar os nós POWER nos compartimentos 7 e 10 e os comutadores Fibre Channel e Ethernet extras no compartimento 1 e compartimento 4 da traseira do chassi.

Para iniciar o console da web do Flex System Manager:

  1. Clique na guia Chassis Manager para abrir uma lista de chassi sob gerenciamento.
  2. Clique no chassi que você deseja gerenciar. O nome usado neste exercício é TTV_chassis.

Em circunstâncias normais, não deve haver ícones de alerta vermelhos nos componentes do chassi. Se houver componentes em status crítico, entenda o que há de errado e resolva se possível. Um status crítico pode fazer com que algumas etapas deste artigo não sejam realizadas com sucesso.

Observe que o controlador de armazenamento intermediário Storwize V7000 não é descoberto automaticamente durante a tarefa de gerenciar chassi. É necessário executar o comando manageV7000 a partir da interface da linha de comando do Flex System Manager para isso. Por exemplo:

smcli manageV7000 -i V7000_IP_address -p superuser_password

Observe também que o V7000 não aparece no mapa de chassi. Ele aparece apenas na tabela Resource Explorer.

Conferir o status de todos os recursos

Quando um chassi é incluído no escopo de gerenciamento do Flex System Manager, este solicita acesso aos componentes de hardware em segundo plano, usando contas integradas padrão que variam de acordo com o componente. Para um certo componente, pode haver mais de um protocolo a ser desbloqueado. Quando o acesso for obtido, o Flex System Manager recupera o status de funcionamento dos componentes gerenciados para exibir na coluna Problems.

Para conferir o status dos componentes:

  • No lado direito do Chassis Manager, selecione General Actions > Resource Explorer.
  • Clique em All Systems para exibir todos os recursos gerenciados pelo Flex System Manager. Certifique-se de que Access state e Problems state dos recursos mencionados acima estejam OK.
Figura 3. Conferir o estado de acesso dos recursos
Conferir o estado de acesso dos recursos

Se o estado de acesso for Partial Access ou No Access, clique no estado para ver quais protocolos apresentaram falha no desbloqueio e tente corrigir. Se houver problemas, também é possível clicar nele para ver a descrição e tentar corrigir.


Configurando o armazenamento SAN

Um PureFlex System é fornecido com Storwize V7000 como dispositivo de armazenamento compartilhado padrão. Quando um PureFlex System é pedido com nós de cálculo POWER, eles são posicionados na fábrica para ter visibilidade dos controladores V7000 dentro dos comutadores Fibre Channel. No entanto, nós de cálculo x86 atualmente não são cobertos por esse processo, por isso o zoneamento deve ser feito manualmente por meio da interface da web do comutador.

Da mesma forma, quando nós POWER são pedidos, o V7000 também é inicializado na fábrica para ter um conjunto de armazenamento básico. Mas, caso o sistema não venha com o V7000 pré-inicializado, pode ser necessário acompanhar manualmente o assistente de instalação do V7000, que orienta o usuário a criar um conjunto de armazenamento básico que consome todos os discos internos do V7000.

Embora o chassi IBM Flex System Enterprise ofereça suporte completo para conexões SAN de caminhos diversos com um par de comutadores FC, é necessário ter cuidado para dividir em áreas para caminhos diversos entre as portas HBA, os comutadores e os controladores do V7000. Zoneamento está além do escopo deste artigo. Leia a mais sobre zoneamento.

Uma abordagem simples é começar com um único caminho durante esse processo de instalação para evitar confusão. Quando o ambiente for entendido e estiver funcionando corretamente, ative o segundo caminho para obter maior disponibilidade.

Após validar ou concluir o zoneamento e colocar o V7000 sob gerenciamento do Flex System Manager, é necessário verificar a conexão do ambiente SAN. Colete o inventário dos comutadores e do V7000 para permitir que o Flex System Manager tenha uma imagem completa da infraestrutura de armazenamento.

A conectividade SAN com bom funcionamento é essencial para o fornecimento de ponta a ponta de servidores virtuais. É fornecido um comando para validar se cada nó de cálculo tem visibilidade do armazenamento SAN. Recomendamos que o usuário valide visualmente essa conectividade antes de continuar.

Na interface da linha de comando do Flex System Manager, execute o comando smcli dumpstcfg para ver as informações da configuração SAN. Certifique-se de que Switches, Storage Subsystems e Hosts Accessible Containers estejam corretos na lista de configuração SAN.

Lista 1. Lista de configuração SAN
1- USERID@r2-c3-chl-fsmeth0:-> smcli dumpstcfg
2-               SAN Configuration
              ------------------------
3- Switches
   --------
4- Name              OID   Provider IP     Switch IP               WWPN

5- FC Switch   8729  9.27.20.203   9.27.20.203         10000000DD1F247F

6- Storage Subsystems
   ------------------
7- Name           OID Provider IP  Subsystem IP                Largest Slice (in GBs) 
8- Storwize V7000 9540    -       {'9.27.20.225'}        6701.5

9- Server Accessible Containers
   --------------------------------------
10- NAME: STORAGE SUBSYSTEM/POOL
11- KVM_host_1:       Storwize V7000/DefaultPoo101 
12- FSM_host:         Storwize V7000/DefaultPoo101
13- KVM_host_2:       Storwize V7000/DefaultPoo101
14- ImRepo_host:      Storwize V7000/DefaultPoo101

Se os contêineres que podem ser acessados pelo servidor, da linha 11 à 14, mostram que os hosts não estão conectando ao V7000 como era esperado, verifique se o zoneamento de comutador está correto e, em seguida, colete o inventário dos nós de cálculo, comutadores e V7000 novamente. Certifique-se de que a coleção de inventários seja concluída com sucesso e sem erros.


Instalar RHEL em um nó de cálculo para repositório de imagem

O repositório de imagem é uma das peças necessárias do gerenciamento de imagens de virtualização do Flex System Manager. Dispositivos virtuais são gerenciados por meio do repositório de imagem durante a captura e a implementação. Dessa forma, o repositório deve ser executado em um host com o mesmo acesso à infraestrutura SAN que os nós do hypervisor. Um repositório de imagem está sendo executado no sistema operacional Red Hat Enterprise Linux (RHEL) com IBM Systems Director Common Agent e o subagente VMControl Common Repository instalados. Siga estas instruções para configurar um repositório de imagem.

Instalar o RHEL6.2

  1. Inicie o assistente de instalação, selecione Basic Server para instalar. Não são necessários outros pacotes.
  2. Após o sistema operacional ser instalado, configure a rede.
  3. Coloque o SELinux no estado permissivo e desative o firewall:
    1. O agente comum não pode ser instalado quando a política do SELinux está no estado enforcing. Para verificar o estado do SELinux, execute o comando getenforce. Se a saída for enforcing, execute setenforce 0 para colocar o SELinux no estado permissive.
    2. O firewall precisa ser desativado para garantir que o protocolo CIM não seja descoberto pelo Flex System Manager. Para verificar o estado do firewall, execute o comando service iptables status. Se o resultado não for firewall is not running, execute service iptables stop e chkconfig iptables off para desativar o firewall.
  4. Instale os pacotes necessários para o IBM Systems Director Common Agent. É necessário instalar alguns pacotes antes de instalar o Common Agent:
    • libcrypt.so.1
    • libc.so.6
    • libdl.so.2
    • libstdc++.so.5
    • libgcc_s.so.1
    • libm.so.6
    • libnsl.so.1
    • libpam.so.0
    • libpthread.so.0
    • librt.so.1
    • unzip
    • bind-utils
    • net-tools
    • libstdc++.so.6
    • db4
    • libselinux
    • cracklib
    • audit-libs
    Todos esses pacotes estão disponíveis no diretório /packages/ da imagem ISO do RHEL 6.2.

Instalar o IBM Systems Director Common Agent e subagente

Instalar o Common Agent

  1. Faça o download do pacote do Common Agent 6.3.1 para Linux na página de downloads do IBM Systems Director (selecione a instalação manual).
  2. Faça upload do pacote de agente SysDir6_3_1_Common_Agent_Linux_x86.tar.gz para o host do repositório de imagem e, em seguida, extraia e execute dir6.3.1_commonagent_linux_x86 para iniciar a instalação.
  3. Para verificar o status do Common Agent, execute install_root/agent/runtime/agent/bin/endpoint.sh status. Se o Common Agent não estiver funcionando, execute endpoint.sh start para iniciar o Common Agent.
  4. Descubra e colete o inventário no sistema operacional:
    1. Na página inicial do Flex System Manager, selecione a guia Plug-ins.
    2. Clique em System Discovery na seção Discovery Manager e insira o endereço IP do sistema operacional.
    3. Clique em Discover Now.
    4. Após o sistema operacional ser descoberto, clique no estado de acesso do sistema e insira a conta para solicitar acesso.
    5. Quando o estado de acesso do sistema operacional for OK, colete o inventário no host do repositório e no sistema operacional, clicando com o botão direito nos recursos e selecionando Inventory > Collect Inventory.
  5. Verifique os protocolos do sistema operacional. Clique com o botão direito no sistema operacional do host de repositório de imagem e selecione Security > Configure Access. Certifique-se de que os protocolos CIM e CAS estejam disponíveis. Um motivo comum para falha na verificação de protocolo são regras inadequadas de firewall. Quando estiver em dúvida, tente desativar o firewall para ver se funciona.

Instalar o subagente VMControl Common Repository

Observe: Se você estiver usando o segundo release do PureFlex System, ignore esta etapa. A instalação do subagente é parte da criação do assistente de repositório de imagem.

Para iniciar o console da web do Flex System Manager:

  1. Abra a página de resumo do VMControl e selecione a guia Basics.
  2. Clique em Install Agent. Siga o assistente Agent Installation.
    1. Na página Agents, selecione e inclua o pacote de subagente CommonAgentSubagent_VMControl_ComonAgentRepository-2.4.1.
    2. Na página Systems, selecione e inclua o host do repositório de imagem, ImRepo_host.
  3. Colete novamente o inventário do sistema operacional para ter certeza de que estão disponíveis agentes para gerenciamento do Flex System Manager.

Criar o repositório de imagem do VMControl

  1. Na página de resumo do VMControl, selecione a guia Virtual Appliances.
  2. Clique em Create image repository e siga o assistente Create Image Repository.
    1. Na página Name, especifique o nome do repositório de imagem. Neste exercício, o nome KVM_SAN_ImRepo é usado.
    2. Na página Target System, selecione o sistema operacional do host do repositório de imagem.
    3. Na página Storage, selecione o conjunto de armazenamento criado no V7000, como DefaultPool01.

Para simplificar, fornecemos um arquivo de resposta com kickstart customizado para instalar RHEL 6.2 para o repositório de imagem. Ele configura automaticamente o SELinux e o firewall e instala pacotes exigidos. Com a ajuda do arquivo de kickstart, apenas as seguintes etapas são necessárias:

  1. Instalar o IBM Systems Director Common Agent
  2. Descobrir e coletar o inventário no sistema operacional do host
  3. Instalar o subagente VMControl Common Repository
  4. Coletar o inventário no sistema operacional do host novamente
  5. Criar o repositório de imagem do VMControl

Instalar RHEL KVM nos nós de cálculo

No host do hypervisor KVM, é necessário instalar o IBM Systems Director Platform Agent para KVM para que o Flex System Manager controle o hypervisor remotamente. Além disso, é necessário configurar e ativar o daemon SNMP para uso do conjunto de sistema de rede.

Instalar o RHEL 6.2 para hosts KVM

  1. Siga o assistente de instalação. Na página de seleção de pacotes, selecione todos os grupos nas categorias Desktops e Virtualization.
  2. Após instalar o sistema operacional, configure a ponte de rede para a conectividade de rede do servidor virtual:
    1. Faça backup do arquivo de script de rede /etc/sysconfig/network-scripts/ifcfg-eth0.
    2. Navegue até o diretório de script e crie outra cópia do script de rede para definir uma ponte do Linux associada à placa de rede: cp ifcfg-eth0 ifcfg-br0
    3. Edite o arquivo de script (um endereço IP estático está configurado no sistema):
      • Para ifcfg-eth0:
        DEVICE=eth0
        TYPE=Ethernet
        ONBOOT=yes
        NM_CONTROLLED=no
        BRIDGE=br0
        HWADDR=00:14:5E:C2:1E:40
      • Para ifcfg-br0:
        DEVICE=br0
        TYPE=Bridge
        ONBOOT=yes
        NM_CONTROLLED=no
        BOOTPROTO=static
        IPADDR=9.27.20.222
        NETMASK=255.255.252.0
        GATEWAY=9.27.20.1
    4. Reinicie a rede: service network restart
    5. Inclua as seguintes linhas no arquivo /etc/sysctl.conf para desativar o processamento do Netfilter:
      net.bridge.bridge-nf-call-ip6tables = 0
      net.bridge.bridge-nf-call-iptables = 0
      net.bridge.bridge-nf-call-arptables = 0
  3. Coloque o SELinux no estado permissivo e desative o firewall. Confira as etapas detalhadas.
  4. Instale os pacotes necessários para a instalação do KVM Platform Agent e ativação do console de controle remoto do servidor virtual.
    • vncserver
    • libconfig
    • libsysfs
    • lm_sensors
    • net-snmp
    • net-snmp-libs
    • redhat-lsb
    Todos esses pacotes estão disponíveis no diretório /Packages/ da imagem ISO do RHEL 6.2.

Configurar o daemon SNMP para topologia de rede

É necessário ativar SNMP para todos os sistemas e comutadores que devem aparecer no Inventário de Topologia de Rede para o conjunto do sistema de rede disponível. Na interface da linha de comando do host KVM, execute os comandos a seguir para garantir que SNMP esteja disponível.

  • A topologia de rede exige acesso a SNMP de árvore MIB2. Abra o arquivo /etc/snmp/snmpd.conf em um editor e verifique se todas as linhas a seguir existem para a configuração necessário de SNMP. Certifique-se de que ambas as linhas que começam com view apareçam:
    # Make at least snmpwalk -v 1 localhost -c public system fast again.
    #       name       incl/excl   subtree   mask(optional)
    view   systemview   included   .1.3.6.1.2.1.1
    view   systemview   included   .1.3.6.1.2.1
  • Execute o comando a seguir para reiniciar o serviço SNMP: service snmpd restart
  • Execute o comando a seguir para garantir que o serviço SNMP inicie quando o sistema reinicializar: chkconfig snmpd on

Instalar o KVM Platform Agent para gerenciamento de virtualização

  • Faça o download do KVM Platform Agent 6.3.1 para RHEL 6.2 na página de download do IBM Systems Director. Selecione a instalação manual.
  • Faça upload de SysDir6_3_1_Platform_Agent_Linux_RHEL6KVM_x86_64.tar.gz para o host KVM.
  • Extraia o arquivo do Platform Agent.
  • Execute dir6.3.1_platform_agent_linux_rhel6kvm_x86_64 para iniciar a instalação.

Descobrir e coletar inventário no SO do host do KVM

Descubra e colete inventário no sistema operacional do host do KVM:

  1. Descubra os sistemas operacionais dos hosts do KVM.
  2. Solicite acesso aos sistemas operacionais descobertos.
  3. Quando o estado de acesso do sistema operacional for OK, colete o inventário nos hosts do KVM e nos sistemas operacionais.
  4. Verifique os protocolos do sistema operacional: Clique com o botão direito no sistema operacional do host do KVM e selecione Security > Configure Access. Certifique-se de que os protocolos CIM e SNMP estejam disponíveis.

Para simplificar, um arquivo de resposta com kickstart customizado é fornecido para instalar o RHEL 6.2 para host KVM. Ele configura automaticamente o SELinux e o firewall e instala pacotes exigidos. Usando esse arquivo de kickstart, é necessário apenas realizar as etapas a seguir:

  1. Configure a ponte de rede.
  2. Configure e ative o daemon SNMP.
  3. Instale IBM Systems Director Platform Agent para KVM.
  4. Descubra e colete inventário no sistema operacional do host.

Criar um servidor virtual e instalar o SO

Crie um servidor virtual do VMControl do Flex System Manager e, em seguida, instale um sistema operacional nele. A criação de um servidor virtual é bem simples usando o assistente, mas a instalação do sistema operacional tem considerações adicionais.

Métodos de instalação padrão do sistema operacional, como PXE ou montagem remota de arquivo ISO através de IMM, aplicam-se ao servidor virtual, mas este artigo demonstra um método com desempenho melhor que os métodos padrão. O método consiste em copiar o arquivo ISO da mídia de instalação para uma unidade lógica no V7000 e, em seguida, usar a unidade lógica para emular um dispositivo de DVD para inicializar o servidor virtual para a instalação. Nós chamamos a unidade lógica de unidade de mídia de instalação.

Para instalar um sistema operacional no servidor virtual:

  1. Crie e configure a unidade de mídia de instalação.
  2. Crie um servidor virtual usando o assistente do VMControl.
  3. Ligue o servidor virtual.
  4. Instale o sistema operacional no servidor virtual através de controle remoto de VNC.
  5. Remova a unidade da mídia de instalação da lista de boot do servidor virtual.

Observe que a unidade de mídia de instalação precisa ser instalada apenas uma vez para o uso posterior. Também é possível capturar um servidor virtual instalado anteriormente como um dispositivo virtual e implementá-lo. Nesse caso, não será necessário instalar o sistema operacional novamente.

Criar a mídia de instalação e copiar o conteúdo do ISO para ela

Primeiro, utilize o recurso de gerenciamento de armazenamento do Flex System Manager para criar a unidade de mídia de instalação no V7000 e mapeá-la automaticamente a um host hypervisor sem precisar mexer muito nas interfaces do servidor de armazenamento ou do comutador. Em seguida, copie o conteúdo do arquivo ISO para ela e, por fim, designe-a como a unidade de boot ao criar o servidor virtual.

  1. Faça upload da imagem ISO para o host KVM usando o comando scp.
  2. Crie a unidade de mídia de instalação e mapeie para o host. Para criar a unidade lógica no V7000:
    1. Na página de resumo do VMControl, clique na guia Virtual Servers and Hosts.
    2. Selecione o host de destino KVM_host_1. Clique com o botão direito no host KVM e selecione System Configuration > Edit Host.
    3. Na guia Disks, clique em Create e escolha o conjunto de armazenamentos DefaultPool01. Clique em Apply.
    4. Insira o rótulo do volume (o nome deve terminar com _ISO), que é RHEL_ISO neste exercício, e o tamanho do disco. Clique em OK.
    5. Após a criação ser concluída, o disco é exibido como conectado ao host KVM na sua página Disks.
      Figura 4. Verificar a conexão do disco no host KVM
      Verificar a conexão do disco no host KVM

Copiar o conteúdo para a unidade da mídia de instalação

Faça upload do arquivo ISO da mídia de instalação para o host (por exemplo, no diretório /tmp). Use o comando dd para fazer uma cópia binária do arquivo ISO para a unidade da mídia de instalação.

Em nosso sistema, demorou dois minutos para realizar a cópia binária. A partir de então, a unidade pode ser reutilizada para cada instalação posterior de um servidor virtual. Estamos supondo que a instalação do sistema operacional possa ser realizada usando apenas um arquivo ISO de DVD. Caso o conteúdo do segundo DVD seja necessário, recomendamos que você instale esses pacotes após a conclusão da instalação inicial.

Para criar um servidor virtual usando o assistente do VMControl:

  1. Na página de resumo do VMControl, clique na guia Virtual Servers and Hosts.
  2. Clique com o botão direito no destino KVM host KVM_host_1 e selecione System Configuration > Create Virtual Server. Siga o assistente Create Virtual Server.
    1. Na página Name, insira o nome do servidor virtual, que é VS_RHEL61 neste exercício.
    2. Na página Processor, especifique o número de processadores e quantidade de memória a ser atribuído a esse servidor virtual.
    3. Na página Disk and Devices, clique em Add Existing Disks para incluir a mídia de instalação RHEL_ISO criada na etapa Crie a unidade de mídia de instalação e mapeie para o host.
    4. Na mesma página, clique em Create New Disk para incluir o disco recém-criado que foi especificado na lista de discos e dispositivos designados.
    5. Na página Boot Order, especifique First ISO Device (cdrom) como o dispositivo de inicialização e o First Virtual Disk (hd) como o segundo.
    6. Na página Network, selecione as redes que deseja designar a esse servidor virtual.
Figura 5. Página de resumo do assistente Create Virtual Server
Página de resumo do assistente Create Virtual Server

Instalar o sistema operacional no servidor virtual através de controle remoto de VNC

Antes de continuar, certifique-se de que você tem um pacote de software de visualizador de VNC (como RealVNC) instalado na sua estação de trabalho e configurado para abrir arquivos com a extensão .vnc.

Para instalar um sistema operacional no servidor virtual:

  1. Na página de resumo do VMControl, clique na guia Virtual Servers and Hosts.
  2. Clique com o botão direito no servidor virtual de destino VS_RHEL61 e selecione Power On/Off > Power On.
  3. Clique com o botão direito no servidor virtual e selecione Remote Access > Remote Console para abrir o console remoto para iniciar a instalação do sistema operacional.

Configurar endereço IP e remover o disco de boot

Quando a instalação do sistema operacional for concluída, configure a rede do servidor virtual e remova o disco de boot do servidor.

  1. Desligue o servidor virtual através do VNC ou do console da web do Flex System Manager.
  2. Na página de resumo do VMControl, clique na guia Virtual Servers and Hosts.
  3. Clique com o botão direito no servidor virtual e selecione System Configuration > Edit Virtual Server.
  4. Escolha a guia Disks and Devices, selecione boot disk e clique em Remove.
  5. Ligue o servidor virtual.

Agora a criação do servidor virtual e a instalação do sistema operacional foram concluídas.


Capturar o servidor virtual como dispositivo virtual

A tarefa de captura permite realizar captura em diversas fontes para criar um dispositivo virtual. Em seguida, é possível implementar o dispositivo para criar um servidor virtual completo, com um sistema operacional totalmente funcional e aplicativos de software.

Um mecanismo de ativação permite que um servidor virtual implementado a partir de um dispositivo virtual seja customizado automaticamente como parte da implementação, quando o servidor for iniciado pela primeira vez. Nós usamos o Virtual Solutions Activation Engine (VSAE) para captura do sistema operacional Linux. VSAE está incluído no VMControl para aplicar configuração de IP a partir de um dispositivo virtual capturado com VMControl. Para Windows, é possível suar VMCWINAE.

Embora o uso de um mecanismo de ativação seja opcional, ele é conveniente para a implementação de um dispositivo virtual — garante que o servidor virtual implementado terá rede IP configurada ao ser iniciado pela primeira vez e que o usuário não precisará incluir isso remotamente para configurar a rede. Isso é especialmente útil em um ambiente de nuvem de autoatendimento totalmente automatizado, no qual DHCP não esteja sendo usado.

Instalar o Virtual Solutions Activation Engine (VSAE)

Para instalar o VSAE no servidor virtual:

  1. Faça login no servidor virtual e copie o pacote VSAE do Flex System Manager. O pacote vmc.vsae.tar está localizado no diretório /opt/ibm/director/proddata/activation-engine no Flex System Manager.
  2. Extraia o conteúdo do arquivo compactado.
  3. Execute o comando ./linux-vsae.sh no diretório extraído do VSAE para instalá-lo no servidor virtual.
  4. Observe que, caso você esteja usando o segundo release do PureFlex System, deve executar /opt/ibm/ae/AE.sh -reset para reconfigurar o VSAE.

Capturar o servidor virtual

Para capturar o servidor virtual:

  1. Desligue o servidor virtual VS_RHEL61.
  2. Clique com o botão direito no servidor virtual e selecione System Configuration > Capture.
  3. Siga o assistente Capture para capturar o servidor virtual e criar um dispositivo virtual chamado VS_RHEL61_VA.
Figura 6. Página de resumo do assistente Capture Virtual Server
Página de resumo do assistente Capture Virtual Server

Criar um conjunto de sistema de rede

O novo servidor virtual deve comunicar-se em uma VLAN diferente da VLAN de gerenciamento. Portanto, é necessário configurar o controle de rede para que ele possa configurar e gerenciar automaticamente as VLANs. VLANs adicionais estão disponíveis ao implementar o dispositivo virtual através do VMControl.

Três etapas principais são necessárias para configurar o Controle de Rede:

  1. Coletar e visualizar a topologia de rede.
  2. Criar o perfil de rede lógica.
  3. Criar o conjunto de sistema de rede.

Coletar e visualizar a topologia de rede

São necessárias informações de topologia sobre os dispositivos de rede para criar um conjunto de sistema de rede. Para coletar as informações, ative o protocolo SNMP em todos os comutadores Ethernet e sistemas operacionais no conjunto de sistema de rede. Em seguida, colete e visualize a topologia de rede através da interface da web do Flex System Manager.

Verificar o status de SNMP no comutador Ethernet e sistemas operacionais
A ativação de SNMP foi realizada em dois sistemas operacionais de hosts KVM. Consulte Configurar o daemon SNMP para topologia de rede para instruções detalhadas de configuração e confirmação. Para configurar o SNMP no comutador Ethernet:

  1. Certifique-se de que o SNMP está ativado no comutador.

    Para a interface da linha de comando do comutador, use o comando /cfg/sys/ssnmp/snmpv3/v1v2. No prompt, insira e para ativar o SNMP e, em seguida, insira apply. Insira save se o SNMP for ativado com sucesso.

    Para a Interface da web do Flex System Manager:

    1. Na página Chassis Manager, em General Actions, clique em Resource Explorer e selecione All Systems.
    2. Clique com o botão direito no comutador Ethernet e selecione Security > Configure Access.
    3. Certifique-se de que o tipo de acesso do SNMP esteja disponível e que o estado de acesso seja OK. Se o SNMP estiver bloqueado, é necessário desbloquear. Primeiro, selecione o SNMP e clique em Configure Credentials. Siga o assistente Configure Credential.
      1. Na página Credential Type, selecione SNMP v3.
      2. Na página Credential Details, insira os detalhes corretos com base no perfil de SNMP do comutador. Este é o usuário SNMP padrão:
        • ID do usuário: adminmd5
        • Protocolo de Autenticação: MD5 (a senha padrão de autenticação é geralmente adminmd5)
        • Protocolo de Privacidade: DES (a senha padrão de autenticação é geralmente adminmd5)
      3. Na página Configure Access, clique no nome do comutador Ethernet switch para confirmar que a credencial de SNMP está desbloqueada.
      Figura 7. Verificando o status de SNMP no comutador Ethernet
      Verificando o status de SNMP no comutador Ethernet
  2. Certifique-se de que o inventário está sendo coletado no comutador:
    1. Na página Resource Explorer, clique em All Systems.
    2. Clique com o botão direito no comutador Ethernet e selecione Inventory > Collect Inventory.
  3. Verifique se cada terminal IP tem uma máscara de sub-rede:
    1. Na página Resource Explorer, clique em All Systems.
    2. Clique com o botão direito no comutador Ethernet e selecione Properties.
    3. Clique na guia Inventory. Na árvore de navegação na caixa Collected Items, expanda Network Configuration e clique em IP Interface.
    4. Verifique o campo Subnet Mask na tabela no lado direito. Certifique-se de que haja um valor válido. Se não houver, configure a máscara de sub-rede no comutador Ethernet e colete o inventário novamente.
  4. Certifique-se de que forwarding database (FDB) está ativado e que Spanning Tree Protocol (STP) e Link Layer Discovery Protocol (LLDP) estão ligados no comutador e na porta. Na interface da web do comutador, para expandir a árvore de navegação no lado esquerdo, clique em IBM Flex System EN2092 1Gb ScSw > Layer 2:
    1. Clique em FDB, cujo estado deve ser FORWARD.
    2. Clique em Spanning Tree Groups, cujo estado deve ser On.
    3. Clique em LLDP > General, cujo estado deve ser On.

Coletar topologia de rede
Na interface da web do Flex System Manager:

  1. Na guia Plug-ins, clique em Network Control.
  2. No campo Common Tasks no lado direito, clique em Network Topology Inventory.
  3. Clique em Collect network topology for SNMP-enabled resources.
  4. Selecione All Systems no menu suspenso Show.
  5. Selecione dois hosts KVM e o comutador Ethernet na tabela All Systems (View Members). Clique em Add para incluí-los no campo Selected no lado direito.
  6. Clique em Collect Topology.
Figura 8. Selecionando sistemas para coletar a topologia de rede
Selecionando sistemas para coletar a topologia de rede

Visualizar topologia de rede
Quando a tarefa de coleta da topologia de rede for concluída:

  1. Clique em View network topology na página Network Topology Inventory.
  2. Certifique-se de que o sistema operacional dos dois hosts KVM e o comutador Ethernet estejam incluídos no campo Selected.
  3. Selecione Port-level no menu suspenso Network topology perspective e clique em View Topology.
  4. Certifique-se de que há conexões entre o comutador Ethernet e os hosts KVM.
Figura 9. Visualizando a topologia de rede
Visualizando a topologia de rede

Criar o perfil a rede lógica

Os perfis de rede lógica definem os atributos que descrevem as redes lógicas que residem em um conjunto de sistema de rede. É garantido que os servidores que estão na mesma rede lógica possam conectar-se uns aos outros. Esse é um dos principais recursos dos conjuntos de sistema de rede. Cada perfil de rede lógico especifica um ID de VLAN ao qual conectar servidores virtuais.

Para criar um perfil de rede lógico:

  1. Na guia Plug-ins, clique em Configuration Templates na seção Configuration Manager.
  2. Clique em Create.
  3. Selecione System pool no menu suspenso Template type.
  4. Selecione Logical Network Configuration no menu suspenso Configuration to create a template.
  5. Especifique um nome no campo Configuration template name.
  6. Clique em Continue.
  7. Clique em Create. Siga o assistente Logical Network Configuration:
    1. Na página Profile Name, especifique o nome do perfil. VLAN457 é usado neste exercício.
    2. Na página VLAN Configuration, selecione um ID de VLAN. 457 é selecionado neste exercício.
  8. Clique em Save.
Figura 10. Página de resumo do assistente Logical Network Configuration Profile
Página de resumo do assistente Logical Network Configuration Profile

Criar o conjunto de sistema de rede

Para criar um conjunto de sistema de rede

  1. Na página de resumo do VMControl, selecione a guia System Pools. Selecione Network system pools no menu suspenso View.
  2. Clique em Create. Siga o assistente Create Network System Pool:
    1. Na página Name, especifique o nome do conjunto de sistema de rede. KVM_NSP é usado neste exercício.
    2. Na página Initial System, selecione o comutador a ser incluído no conjunto do sistema de rede, que, neste exercício, é o comutador Ethernet.
    3. Na página Logical Network Profiles, clique em Add para incluir todos os perfis com implementação permitida nesse conjunto de sistema de rede. Neste exercício, é VLAN457.
Figura 11. Página de resumo do assistente Create Network System Pool
Página de resumo do assistente Create Network System Pool

Criar um conjunto de sistema de servidor

Um conjunto de sistema de servidores agrupa hosts semelhantes de forma lógica e facilita a relocação de servidores virtuais de um host para outro no mesmo conjunto.

Para criar um conjunto de sistema de rede

  1. Na página de resumo do VMControl, selecione a guia System Pools. Selecione Server system pools no menu suspenso View.
  2. Clique em Create. Siga o assistente Create Server System Pool:
    1. Na página Name, especifique o nome do conjunto de sistema de servidores. KVM_SSP é usado neste exercício.
    2. Na página Pooling Criteria:
      1. Clique em Only add hosts capable of the virtual server relocation.
      2. Clique em Only add hosts connected to a network system pool and capable of automated network deployment.
      3. Selecione o conjunto de sistema de rede de destino na tabela Network System Pools (View Members). Neste exercício, é KVM_NSP.
    3. Na página Initial Host:
      1. Selecione All Targets no menu suspenso Show.
      2. Selecione um dos hosts KVM e clique em Add para incluí-lo no campo Selected.
      3. Selecione o armazenamento de destino no menu suspenso Available shared storage, que é Storwize V7000 neste exercício.
    4. Na página Additional Hosts, selecione o outro host KVM e clique em Add para incluí-lo na caixa Selected.
Figura 12. Página de resumo do assistente Create Server System Pool
Página de resumo do assistente Create Server System Pool

Implementar o dispositivo virtual no conjunto do sistema de servidores

Para implementar o dispositivo virtual:

  1. Na página de resumo do VMControl, selecione a guia Virtual Appliances.
  2. Selecione o dispositivo virtual a ser implementado na tabela Virtual Appliances (View Members) e clique em Deploy Virtual Appliance.
  3. Siga o assistente Deploy Virtual Appliance:
    1. Na página Target, selecione KVM_SSP, que é o conjunto de sistema de servidores de destino.
    2. Na página Name, especifique o nome do servidor virtual. VS_RHEL61_deploy é usado neste exercício.
    3. Na página Network Mapping, selecione VLAN1032, que é o perfil de rede lógica de destino no menu suspenso Assigned Virtual LAN on Host.
    4. Na página Product, insira os atributos de rede.
Figura 13. Inserindo atributos de rede na página Product
Inserindo atributos de rede na página Product

Validar que os recursos foram criados adequadamente

Certifique-se de que o disco virtual foi criado no armazenamento V7000 e que a VLAN foi criada na comutação de rede.

Disco virtual criado no V7000

Na interface da web do V7000, visualize Volumes > Volumes by Host. O novo volume é criado em KVM_host_2 com o UID 60050768028083283800000000000193.

Figura 14. Visualizando o novo disco virtual no V7000
Visualizando o novo disco virtual no V7000

Na interface da linha de comando KVM_host_2, execute o comando ls /dev/disk/by-id. O volume recém-criado é listado, podendo ser identificado pelo UID.

Lista 2. Visualizando o novo disco virtual conectado ao host KVM
[root@r2-c3-ch1-ite4-eth0 ~]# ls /dev/disk/by-id/
scsi-360050768028083283800000000000193
scsi-360050768028083283800000000000193-part1
scsi-360050768028083283800000000000193-part2
wwn-0x60050768028083283800000000000193
wwn-0x60050768028083283800000000000193-part1
wwn-0x60050768028083283800000000000193-part2

VLAN criado na comutação de rede

No console da web do comutador Ethernet, para expandir a árvore de navegação no lado esquerdo, clique em IBM Flex System EN2092 1Gb ScSw > Layer 2 > Virtual LANs. A nova VLAN 457 é incluída na porta automaticamente.

Figura 15. Visualizando a nova VLAN criada no comutador Ethernet
Visualizando a nova VLAN criada no comutador Ethernet

Conclusão

Neste artigo, explicamos o processo de ponta a ponta do PureFlex System para configurar um repositório de imagem, instalar o hypervisor KVM, criar um conjunto de sistema de rede e um conjunto de sistema de servidores, criar e instalar um servidor virtual e capturar e implementar um dispositivo virtual para relocação ativa com resiliência.

Também mostramos alguns pontos importantes para concentrar a validação ao longo do caminho. Embora cada ambiente sempre tenha seus próprios desafios, esperamos que a explicação e as etapas de validação tenham sido suficientes para guiá-lo ao sucesso.

Continuaremos a integrar, simplificar e automatizar agressivamente o IBM PureFlex System para melhorar o tempo de maturação geral e reduzir o nível de qualificação necessário para utilizar o sistema.


Download

DescriçãoNomeTamanho
Sample codekickstartfiles.zip3KB

Recursos

Aprender

Obter produtos e tecnologias

Discutir

  • Participe da comunidade do developerWorks. Entre em contato com outros usuários do developerWorks e explore os blogs, fóruns, grupos e wikis voltados para desenvolvedores.

Comentários

developerWorks: Conecte-se

Los campos obligatorios están marcados con un asterisco (*).


Precisa de um ID IBM?
Esqueceu seu ID IBM?


Esqueceu sua senha?
Alterar sua senha

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

 


A primeira vez que você entrar no developerWorks, um perfil é criado para você. Informações no seu perfil (seu nome, país / região, e nome da empresa) é apresentado ao público e vai acompanhar qualquer conteúdo que você postar, a menos que você opte por esconder o nome da empresa. Você pode atualizar sua conta IBM a qualquer momento.

Todas as informações enviadas são seguras.

Elija su nombre para mostrar



Ao se conectar ao developerWorks pela primeira vez, é criado um perfil para você e é necessário selecionar um nome de exibição. O nome de exibição acompanhará o conteúdo que você postar no developerWorks.

Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres. Seu nome de exibição deve ser exclusivo na comunidade do developerWorks e não deve ser o seu endereço de email por motivo de privacidade.

Los campos obligatorios están marcados con un asterisco (*).

(Escolha um nome de exibição de 3 - 31 caracteres.)

Ao clicar em Enviar, você concorda com os termos e condições do developerWorks.

 


Todas as informações enviadas são seguras.


static.content.url=http://www.ibm.com/developerworks/js/artrating/
SITE_ID=80
Zone=Linux, Cloud computing
ArticleID=840168
ArticleTitle=Garanta um Servidor Virtual Resiliente
publish-date=10152012