Avançar para a área de conteúdo

Contagem regressiva para 2013... - construindo o Telescópio Espacial James Webb

Listen
Escute o podcast ou clique com o botão direito para fazer o download (7 min 41 sec, 3.52MB)
Faça o download da trascrição do podcast (166KB)

Quando o Telescópio Webb decolar para seu posto no espaço, a um milhão de milhas de distância, ele será operado por umas 200.000 linhas de código de software. Um dos seus objetivos será procurar por sinais fracos de luz infravermelha para nos ajudar a entender melhor as origens do universo. Como uma falha do sistema envolveria a missão de um ônibus espacial para repará-la, o software precisa estar correto desde o início.

A NASA escolheu uma solução de desenvolvimento de sistemas IBM Rational para ser utilizada por três de seus parceiros na construção do telescópio. A solução atuará como base para todo o projeto que se estenderá por várias décadas, permitindo que diferentes empresas de desenvolvimento "arrastem e soltem" códigos de software diretamente nessa base, que será então automaticamente preenchida para suportar todas as fases do projeto. Essa modelagem pode acelerar o desenvolvimento de software em quase 30%, com verificações de qualidade construídas em cada etapa.

Foi percorrido um longo caminho desde o desenvolvimento do Telescópio Hubble há aproximadamente 20 anos. O Hubble era uma combinação de aplicativos proprietários. Quando uma correção era necessária, os engenheiros tinham que identificar não apenas qual o aplicativo de software resolveria o problema, mas às vezes localizar o próprio desenvolvedor que escrevera o código original anos antes.


Sobre o Telescópio Espacial James Webb (Origem: http://www.jwst.nasa.gov)

O que é o Telescópio Espacial James Webb?

Esse grande telescópio espacial infravermelho está planejado para ser lançado em 2013, substituindo o Telescópio Espacial Hubble. Ele servirá como o principal observatório para milhares de astrônomos no mundo inteiro, na próxima década. O Telescópio Webb buscará traços de luz visível e infravermelha a partir das primeiríssimas estrelas, para oferecer pistas para a formação do Universo.

Em que o Telescópio Webb é diferente do Hubble?

Há algumas semelhanças ? ambos os telescópios estão (ou estarão) no espaço. Ambos buscam aprimorar o nosso entendimento de processos como o nascimento de estrelas e a evolução de galáxias. No entanto, há muitas diferenças.

Para começar, o Telescópio Webb irá primeiramente examinar o Universo nos comprimentos de onda infravermelhos, enquanto o Hubble o estuda em comprimentos de onda ópticos e ultravioletas. O Telescópio Webb também tem um espelho muito maior que o Hubble. Essa área coletora de luz maior significa que ele pode investigar espaços bem maiores de tempo do que o Hubble é capaz. O Hubble está em uma órbita bem próxima ao redor da terra, enquanto o Telescópio Webb estará a um milhão de milhas de distância, no segundo ponto Lagrange (L2).

Especificamente, o que o Telescópio Webb fará?

Ele tem quatro objetivos científicos:

O Fim da Idade Média: A Primeira Luz e Reionização* busca identificar os primeiros objetos luminosos que se formaram no princípio do Universo e segue a história da ionização.

O Grupo de Galáxias* determinará como galáxias e matéria escura, incluindo gás, estrelas e núcleos ativos evoluíram até os dias atuais.

O Nascimento de Estrelas e Sistemas Protoplanetários* focaliza o nascimento e desenvolvimento pioneiro de estrelas e planetas.

Sistemas planetários e a origem da vida* estuda as propriedades físicas e químicas de sistemas solares (incluindo o nosso).

Onde ele irá orbitar?

O Telescópio Webb ficará localizado no segundo ponto Lagrange (L2) do sistema Sol-Terra, a aproximadamente um milhão de milhas da Terra. As forças combinadas gravitacionais do Sol e da Terra quase podem segurar uma nave espacial neste ponto e é necessária relativamente pouca propulsão de foguete para manter uma nave espacial próxima a L2. A temperatura fria e estável do ponto L2 permitirá que ele faça observações bastante sensíveis, necessárias sobre infravermelho.

Qual o tamanho dele?

O Telescópio Webb tem o tamanho de um ônibus escolar e tem um espelho grande, de 6,5 metros de diâmetro e um guarda-sol do tamanho de uma quadra de tênis. O espelho e o guarda-sol não caberão inteiros na nave; por isso ambos se dobrarão e abrirão apenas quando o Telescópio estiver no espaço sideral.

Quem está desenvolvendo o Telescópio?

O Telescópio Webb é uma colaboração internacional entre a NASA*, a ESA (Agência Espacial Européia)*, e a CSA (Agência Espacial Canadense)*. A NASA tem responsabilidade geral e seu Centro de Vôo Espacial Goddard* está gerenciando o esforço de desenvolvimento. Acima de 1.000 pessoas em mais de 17 países estão trabalhando no projeto.

Quem é James Webb e por que ele tem um telescópio com o seu nome?

James Webb é um antigo Administrador da NASA que estabeleceu a infra-estrutura para as missões do Apolo à lua.


Cronologia IBM e NASA

1944
A IBM ajuda a projetar e construir a Calculadora Controlada de Seqüência Automática* para a Universidade de Harvard. Ela é utilizada por cientistas da Marinha para preparar tabelas balísticas.

1957
Dois computadores IBM 704* são utilizados para controlar o Sputnik I da União Soviética, o primeiro satélite artificial do mundo.

1959
Os Estados Unidos apressam seu lançamento de satélite, incluindo o primeiro vôo de macacos dos E.U.A. (Able e Baker) ao espaço sideral. Um sistema de processamento de dados IBM 709* é utilizado nesse esforço.

1962
O Astronauta John Glenn, do Projeto Mercury, na cápsula espacial Friendship 7, se torna o primeiro americano a entrar em órbita da Terra. Seu vôo histórico, de três órbitas em quatro horas, foi monitorado em tempo real por computadores IBM.

1968
Uma Unidade de Instrumento montada pela IBM*, de 2 ton, 1 m de altura, 6,5 m de diâmetro, guia os astronautas da Apolo 8 no primeiro vôo tripulado ao redor da lua.

1969
Os astronautas da Apolo 11 fazem o primeiro pouso tripulado na Lua, com a ajuda de computadores IBM

1970
Computadores IBM em Houston ajudam controladores de vôo no dramático salvamento da Apolo 13.

1971
Computadores IBM ajudam a guiar o pouso da Apolo 14 e da Apolo 15 na Lua. Fotografias capturadas pela Mariner 9, a primeira nave espacial a orbitar Marte, são aprimoradas por computadores IBM.

1982-85
A tecnologia IBM suporta vôos bem-sucedidos dos Ônibus Espaciais Columbia, Challenger, Discovery, Atlantis e Endeavour, respectivamente.

1993
O IBM ThinkPad 750C* torna-se o primeiro computador portátil moderno a voar no espaço, como parte da missão do Ônibus Espacial Endeavour para restaurar o Telescópio Hubble.

1997
O Pathfinder da NASA, equipado com tecnologia IBM RS/6000 para seu computador integrado, pousa em Marte.

2002
A IBM trabalha em conjunto com cientistas da NASA para analisar dados tele-robóticos durante as expedições MER (Mars Exploration Rover) 2003.

2006
A NASA utiliza o IBM software para desenvolver software e sistemas que irão operar o Telescópio Espacial James Webb, que irá procurar mais de perto o início do tempo e a formação não observada das primeiras galáxias.



*Você será direcionado para páginas com conteúdo em inglês.

Site da NASA
Telescópio Espacial James Webb
Tecnologia por trás do telescópio
IBM Rational
Viagem e transporte
IBM no segmento aéreo
Esteja em dia com a inovação
Histórias de inovação

 
Obter o Adobe® Flash® Player
 
Clique aqui para ver a versão Flash